Perception and action about food security: a case study of family farmers in Vitorino/PR

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.21499

Keywords:

Self-consumption; Rural development; Sustainability; Quality of Life.

Abstract

The predominance of Brazilian land occupied by commodity crops presents a production model that threatens the country's food security and sovereignty. Thus, the practice of production for self-consumption emerges as a strategy to guarantee food security for rural families. It is all types of production carried out within the family unit, which is used by family members in order to meet their needs.  In this context, this article aims to understand the production for self-consumption, as well as the perception of family farmers on the issue of food security in the municipality of Vitorino/PR. Qualitative research was conducted with the support of participatory training meetings and the use of the participant observation method, and semi-structured interviews were applied with twenty-two family farmers in the municipality. The data presented show the importance of production for self-consumption in the face of the need to combat food and nutritional insecurity in the country, especially in the rural area, which has undergone many transformations. The concern with poison in food was very present in the narratives, so that food produced with pesticides or industrialized is perceived as synonymous with food that produces insecurity of consumption, besides being a health risk. 

Author Biographies

Caroline Viganó, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Contadora, Mestre em Desenvolvimento Regional pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Desenvolvimento, Alimentação, Mercados e Políticas Públicas (GEPPADEM). Especialista em cálculos trabalhistas (UNOPAR) .Especialista em Contabilidade, Perícia e Auditoria (UNOPAR) e possui graduação em Ciências Contábeis pela UTFPR.

Larisse Medeiros Gonçalves, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

É Engenheira Agrônoma pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA) (2017) e Mestra em Agronomia, com ênfase em Produção Vegetal (Diversificação e Manejo Sustentável de Hortaliças), pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) (2020). Especialista em gestão, licenciamento e auditoria ambiental (2018). Pós graduanda em Engenharia e Segurança do Trabalho. Atualmente, cursa doutorado no Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Regional (PPGDR) da UTFPR, a pesquisa em foco para tese engloba a articulação de redes agroecológicas diante o contexto pandêmico. É integrante e colaboradora de Grupo de Estudos de Sustentabilidade e Ambiente (http://www.pb.utfpr.edu.br/gepas/index.php). Ademais, também trabalha com facilitação, acompanhamento e indicadores de transição agroecológica em agroecossistemas familiares, cadeiras curtas de abastecimento, bem como temáticas acerca da Soberania Alimentar e Segurança Alimentar e Nutricional.

Cristiane Maria Tonetto Godoy, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria (2008), mestrado em Extensão Rural pela Universidade Federal de Santa Maria (2011) e Doutorado no Programa de Pós-Graduação em Extensão Rural (2015), atualmente é bolsista pós-doc do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional UFTPR, Campus Pato Branco. Atuou também como tutor a distância da Universidade Aberta do Brasil - UFSM e como assessora territorial de gestão social do projeto Nedet/MDA. Tem experiência na área de Agronomia, Extensão Universitária, Desenvolvimento Regional , atuando principalmente nos seguintes temas: agricultura familiar, agroecologia, educação ambiental, desenvolvimento rural, sustentabilidade, gênero, população rural, meio ambiente e sociedade, extensão rural, comunicação rural, territorialidade, extensão universitária, produção acadêmica, desenvolvimento regional e as demais nuances.

José Ricardo da Rocha Campos, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Possui Graduação em Agronomia e Mestrado em Produção Vegetal pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) em Diamantina - MG. Doutor em ciências, área de concentração Solos e Nutrição Mineral de Plantas, pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ/USP) em Piracicaba - SP. Atuou nas seguintes áreas: Gênese, Morfologia e Classificação do Solo com ênfase na relação Solo/Paisagem; na relação entre a morfoestratigrafia e a formação do solos e Geofísica Rasa com o uso do Radar de Penetração do Solo (GPR).

Wilson Itamar Godoy, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Professor Associado nível 4, atuando desde 1994 no Curso de Agronomia da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Campus Pato Branco. Graduado em Engenharia Agronômica pela UFSM (1981), especializado em Olericultura pela UFV(1990), Mestre em Fitotecnia pela UFRGS (1998) e Doutor em Agronomia pela UFPel (2005). Foi coordenador do curso de graduação em Agronomia da UTFPR e Diretor da DIREC (Diretoria de Relações Empresariais e Comunitárias). Foi Extensionista Rural durante 10 anos, em diversas cidades paranaenses na EMATER-PR(1982-1992). Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional (PPGDR), da UTFPR, na Linha de Pesquisa Regionalidade e Desenvolvimento, no qual pesquisa e orienta no Mestrado e no Doutorado, os seguintes temas: Comunicação Rural, Tecnologias de Informação e Comunicação no rural (TICs), Extensão Rural, Feira-livre, Agricultura Familiar, Educação ambiental, Desenvolvimento Rural Sustentável, Agroecologia e Avaliação da sustentabilidade de Agroecossistemas. Líder do Grupo de Estudo e Pesquisa em Ambiente e Sustentabilidade (GEPAS). Publicou o livro ?As feiras-livres de Pelotas sob o império da globalização: perspectivas e tendências? e diversos outros artigos sobre o assunto. Revisor de periódicos: Revista Brasileira de Agroecologia, Revista Horticultura Brasileira, Ciência Rural, Revista de Economia e Sociologia Rural; Revista Redes, Revista GEPEC e a Revista Desenvolvimento Regional em Debate. Foi Tutor do Grupo PET-Agronomia (UTFPR, Pato Branco) durante 10 anos (ago 2009 / fev 2019). Coordenador de diversos eventos de Extensão Universitária no Sudoeste Paranaense. Atual coordenador do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional do Campus Pato Branco.

References

Anjos, F. S., Caldas, N. V., Grisa, C., Niederle, P. A., & Schneider, E. P. (2004). Abrindo a caixa-verde: estudo sobre a importância econômica do autoconsumo na agricultura familiar meridional. II Seminário internacional sobre Desenvolvimento Regional, 1-19.

Ana, W. P. S., & Lemos, G. C. (2018). Metodologia Científica: a pesquisa qualitativa nas visões de Lüdke e André. Revista Eletrônica Científica Ensino Interdisciplinar, 4(12), 531-541.

Assis, D. M. S. D., Tavares-Martins, A. C. C., Beltrão, N. E. S., & Sarmento, P. S. D. M. (2020). Percepção ambiental em comunidades tradicionais: um estudo na Reserva Extrativista Marinha de Soure, Pará, Brasil. Ambiente & Sociedade, 23.

Beck, U. (2011). Sociedade de Risco: Rumo a uma outra modernidade. trad. Sebastião Nascimento. Editora, 34.

Brighenti, J., Biavatti, V. T., & de Souza, T. R. (2015). Metodologias de ensino-aprendizagem: uma abordagem sob a percepção dos alunos. Revista Gestão Universitária na América Latina-GUAL, 281-304.

Camargo, J. S. M., & Navas, R. (2017). Programas Institucionais de Compra da Agricultura Familiar no Município de Ribeirão Grande/SP: Uma Análise a Partir da Produção e Consumo. Revista Nera, (35), 230-245.

Costa, L. A. D., Marques, A. D. A., Sampaio, J. R. F., Santana, W. J. D., & Rocha, E. M. B. (2021). Food insecurity in farmers: violation of the human right to adequate food. Cadernos Saúde Coletiva, 29, 122-132.

Corrêa, M. L. M., Pignati, W. A., & Pignatti, M. G. (2019). Segurança Alimentar, produção de alimentos e saúde: um olhar para os territórios agrícolas de Mato Grosso. ACENO-Revista de Antropologia do Centro-Oeste, 6(11), 129-a.

Cruz, F. T. D., & Schneider, S. (2010). Qualidade dos alimentos, escalas de produção e valorização de produtos tradicionais. Revista Brasileira de Agroecologia, 5(2), 22-38.

Dallanôra, I. B. (2020) Modernização do espaço rural brasileiro: “novo” olhar para a agricultura familiar. Caderno de Geografia, 30(2), 289-289.

Dutra, R. M. S.; De Souza, M. M. O. (2017) Cerrado, Revolução Verde e a Evolução no Consumo de Agrotóxicos. Sociedade & Natureza, 29(3), 469-484.

Gavioli, F. R., & Costa, M. B. B. (2011). As múltiplas funções da agricultura familiar: um estudo no assentamento Monte Alegre, região de Araraquara (SP). Revista de Economia e Sociologia Rural, 49(2), 449-472.

Gazolla, M. (2004). Agricultura familiar, segurança alimentar e políticas públicas: Uma análise a partir da produção para autoconsumo no território do Alto Uruguai/RS. (Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural/UFRGS.) Porto Alegre – RS, 287p.

Gazolla, M., & Schneider, S. (2007). A produção da autonomia: os "papeis" do autoconsumo na reprodução social dos agricultores familiares. Estudos: sociedade e agricultura. 15(1), 89-122.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. (6a ed.), Ediitora Atlas SA.

Gliessman, S. (2020). A vision for future food and agriculture systems. Journal Agroecology and Sustainable Food Systems. 44, 137-138.

Grisa, C. (2009). Riscos e consumo de alimentos na agricultura familiar: a reemergência da produção para autoconsumo. Encontro Nacional de Estudos do Consumo, 1-25.

Grisa, C., & Schneider, S. (2008). "Plantar pro gasto": a importância do autoconsumo entre famílias de agricultores do Rio Grande do Sul. Revista de Economia e Sociologia Rural, 46(2), 481-515.

Grisa, C., Schneider, S., Conterato, M. A., & Ferreira, F. (2006). A produção para autoconsumo no Brasil: uma análise a partir do Censo Agropecuário 2006. Aspectos multidimensionais da agricultura brasileira: diferentes visões do Censo Agropecuário, 165-186.

Grisa, C., Gazolla, M., & Schneider, S. (2010). A" produção invisível" na agricultura familiar: autoconsumo, segurança alimentar e políticas públicas de desenvolvimento rural. Agroalimentaria, 16(31), 65-79.

Hoffmann, R. (1995). Pobreza, insegurança alimentar e desnutrição no Brasil. Estudos avançados, 9(24), 159-172.

Hoyos, C. J. C., & D'Agostini, A. (2017). Segurança alimentar e soberania alimentar: convergências e divergências/Food Security and Food Sovereignty: convergences and divergences. Revista Nera, (35), 174-198.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia. Cidades-Vitorino. https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/pr/vitorino.html

IPARDES. Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (2018). Caderno Estatístico Município de Vitorino, 2018. http://www.ipardes.gov.br/cadernos/MontaCadPdf1.php?Municipio=85520

IPARDES. Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (2020). Caderno Estatístico Município de Vitorino, 2020. http://www.ipardes.gov.br/cadernos/MontaCadPdf1.php?Municipio=85520

Leite, S. (2004). Autoconsumo y sustentabilidad en la agricultura familiar: una aproximación a la experiencia brasileña. Políticas de seguridad alimentaria y nutrición en América Latina, São Paulo: Hucitec, 123-181.

Lopes, A. C. S., Menezes, M. C. D., & Araújo, M. L. D. (2017). O ambiente alimentar e o acesso a frutas e hortaliças:“Uma metrópole em perspectiva” 1. Saúde e Sociedade, 26, 764-773.

Lopes, A. C. S., Menezes, M. C. D., & Araújo, M. L. D. (2017). O ambiente alimentar e o acesso a frutas e hortaliças:“Uma metrópole em perspectiva” 1. Saúde e Sociedade, 26, 764-773.

Marcon, T. (2012). Progresso, modernização e sustentabilidade: desafios para as políticas agrícolas. Olhar de Professor, 15(1), 131-142.

Nishikawa, D. L. L. (2012). Alternativas ao modelo hegemônico da agricultura: o caso da associação de produtores rurais dos Garcias no município de Bom Repouso (MG). Tese de doutorado. Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara.

Novaes, H. T. (2017). Reestruturação do campo e o fetichismo da “revolução verde”. Revista Ciências do Trabalho, (9).

Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). (2017). Panorama da segurança alimentar e nutricional, Santiago.

Santos, B. D. S. (2002). Produzir para viver: os caminhos da produção não capitalista. Rio de janeiro: Civilização brasileira, 3.

Santos, L. A. S. (2008). O corpo, o comer e a comida: um estudo sobre as práticas corporais alimentares cotidianas a partir da cidade de Salvador. SciELO-EDUFBA.

Santosa, I., & Suyanto, A. (2017). The Benefit of Mix Farming Agribusiness to Strengthen Food Sustainability of The Farmer Household at Agrotourism Areas. Journal of Art and Humanities, 6(10), 24-31.

Seyferth, G. (2013). Memória coletiva, identidade e colonização: representações da diferença cultural no Sul do Brasil. MÉTIS: história & cultura, 11(22).

Pereira A. S. et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica.

Teixeira, I. B. C. (2007). O desafio da segurança alimentar e nutricional (SAN) para as famílias rurais: O que temos no nordeste? III Jornada Internacional de Políticas Públicas, 1-8.

Viganó, C., Gonçalves, L. M., Cattani, J. P. C., & Campos, J. R. D. R. (2019). Autoconsumo e agroecologia: um retrato da agricultura familiar no município de Vitorino-PR. X Seminário Internacional sobre Desenvolvimento Regional.

Vieira, E. D. L. P., Mendonça, X. M. F. D., & do Carmo Almeida, J. F. (2019). Produção e consumo de hortaliças orgânicas: eixo gerador de segurança alimentar. Revista de Extensão da Integração Amazônica, 1(2), 88-91.

Vottri, M., Godoy, C. M. T., Godoy, W. I., & da Rocha Campos, J. R. (2019). A Agroecologia como alternativa ao modelo de produção vigente: Algumas reflexões para o município de Vitorino/PR. Sociedade em Debate, 25(3), 171-185.

Published

18/10/2021

How to Cite

VIGANÓ, C. .; GONÇALVES, L. M. .; GODOY, C. M. T. .; CAMPOS, J. R. da R. .; GODOY, W. I. .; OLIVEIRA, P. H. de . Perception and action about food security: a case study of family farmers in Vitorino/PR. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, p. e461101321499, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.21499. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/21499. Acesso em: 8 dec. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences