Dialogue on the teaching-learning relationship in the discipline of Physics with high school students

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i14.21786

Keywords:

Learning difficulty; Teaching-learning; Teaching Physics.

Abstract

Culturally, a view was created in which Physics is a discipline considered complex both in High School and in Higher Education. Therefore, this study aimed to assess the perception of students about the teaching-learning relationship in the discipline of Physics and identify the problems mentioned by them that somehow hinder this relationship. The research is of a mixed type, and data were obtained through a questionnaire containing 6 objective and discursive questions, which was applied personally and individually to high school students enrolled in the 3 main public schools in the city of Confresa-MT, the questionnaire was applied to 263 students between the months of April and October 2019. Through data analysis, it was possible to verify that 58.17% of the students rate the teaching-learning process as great or good and some students related the quality of the process with the way the teacher teaches classes, even considering that to have Success in this process requires that the whole environment is in harmony, among the main problems mentioned are: teacher's difficulty in explaining the contents, distractions, lack of interest and bad behavior in the classroom in general. As points to improve the quality of the process, they mentioned: changing the content explanation method, more dynamic classes, and more interaction between teacher and student.

Author Biographies

Bruno Aguiar Sfredo, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso

Graduado em Física (IFMT) 2021

Jéssica de Oliveira Andrade Borges, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso

Mestranda do Programa de Pós-Graduação Em Ensino (PPGEn- IFMT-UNIC - 2021).

Ana Cláudia Tasinaffo Alves, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso

Doutora em Educação em Ciências e Matemática pela Rede Amazônica em Educação em Ciências REAMEC (2018).

References

Almeida Júnior, J. B. (1980). A evolução do ensino de Física no Brasil (2ª parte). Revista Brasileira de Ensino de Física, São Paulo. 2(1), 55-73. http://www.sbfisica.org.br/rbef/pdf/vol02a06.pdf.

Barros, M. & Martins, S. (2020). Artefatos digitais para o Museu DICA: contribuições para a formação de professores de Física. Caderno Brasileiro de Ensino de Física. 37(1), 283-314. https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/2175-7941.2020v37n1p283/42904.

Borges, A. T (2002). Novos rumos para o laboratório escolar de ciências. Caderno Brasileiro de Ensino de Física. 19(3), 291-313. https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/6607.

Cardoso. D. (2020). Mídia, Ciência e Ensino> Análise de materiais desenvolvidos por licenciandos em Física. Caderno Brasileiro de Ensino de Física. 37(3), 1628-1658. https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/75000/44959.

Coelho, A. L. M. de B. (2021). Aspectos sobre a visão humana em uma abordagem interdisciplinar no ensino médio. Caderno Brasileiro de Ensino de Física. 38,(2), 1096-1112. https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/76672/47325.

Costa, L. G. & Barros, M. A. (2015). O ensino da física no brasil: problemas e desafios. EDUCERE, 2015. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2015/21042_8347.pdf.

Creswell, J. W. (2007). Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto; tradução Luciana de Oliveira da Rocha – 2. Ed. - Porto Alegre, Artmed, 2007.

Durkheim, É. (2011). Educação e sociologia. Tradução. Stephania Matousek. Petrópolis: Vozes, 2011 – (Coleção textos fundantes de Educação). Evolução histórica do processo ensino-aprendizagem. https://pedropeixotoferreira.files.wordpress.com/2015/02/durkheim_2011_educacao-e-sociologia_book.pdf.

Fernandes, J., Guimarães, M. H. U., Robert, A. e Passos, M. M. (2020). Estudo da evasão dos estudantes de Licenciatura e Bacharelado em Física: uma análise à luz da Teoria do Sistema de Ensino de Bourdieu. Caderno Brasileiro de Ensino de Física. 37(1), 105-126. https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/2175-7941.2020v37n1p105/42895.

Ferreira, G. K. e Custódio, J. F. (2021). Cenários do debate sobre a natureza da ciência nos cursos de Licenciatura em Física no Brasil. Caderno Brasileiro de Ensino de Física. 38(2), 1022-1066. https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/74094/47132.

Haidar, M. L. M.(1972). O ensino secundário no império brasileiro. São Paulo: Gribaldo, USP.

Martins, J. T. & Oliveira, E. A. G. (2020). Atividades experimentais de Física da revista Ciência Hoje e das Crianças. Caderno Brasileiro de Ensino de Física. 37(2), 455-478, ago. 2020. https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/2175-7941.2020v37n2p455/43902.

Moreira, M. A. (2018). Uma análise crítica do ensino de Física. Estudos Avançados. 92(34). https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142018000300073.

Pereira, M. M. (2020). Sentidos do (e no) Ensino de Física no Ensino Médio: articulações com a teoria histórico-cultural. Caderno Brasileiro de Ensino de Física. 37(1), 1-5. https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/2175-7941.2020v37n1p1/42907.

Pszybylski, R. F.; Motta, M. S. & Kalinke, M. A. (2020). Uma revisão sistemática sobre as pesquisas realizadas em programas de mestrado profissional que versam sobre a utilização de smartphones no Ensino de Física. Caderno Brasileiro de Ensino de Física. 37(2), 406-427. https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/2175-7941.2020v37n2p406/43900.

Reis, W. F. & Macêdo, J. A. (2015). Um estudo sobre a importância das atividades experimentais dos livros didáticos para o ensino de física. Revista Científica Semana Acadêmica. 75(1). https://semanaacademica.org.br/system/files/artigos/artigo_-_wendel_e_josue_1.pdf.

Ricardo, E. C. & Freire, J. C. A. (2007). A concepção dos alunos sobre a física do ensino médio: um estudo exploratório. Revista Brasileira de Ensino de Física. 29(2), 251-266. https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-11172007000200010&lng=pt&tlng=pt.

Sampaio, G. M. D. (2004). A História do Ensino de Física no Colégio Pedro II de 1838 até 1925. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. http://146.164.248.81/hcte/docs/dissertacoes/2004/glads_maria_delia_sampaio.pdf.

Sestari, F. B.; Garcia, I. K. & Santarosa, M. C. P. (2021). Ações interdisciplinares no ensino de Física: Pressupostos teóricos e revisão da literatura. Caderno Brasileiro de Ensino de Física. 38(2), 883-913. https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/67750/47045.

Silva, J. P.; Toledo, T. A. & Carbo, L. Estado da arte: utilização do método investigativo na disciplina de Física no período de 2013-2018. Revista Prática Docente. 5(1), 344-359, jan/abr 2020. http://periodicos.cfs.ifmt.edu.br/periodicos/index.php/rpd/article/view/622/274.

Published

30/10/2021

How to Cite

SFREDO, B. A. .; BORGES, J. de O. A. .; ALVES, A. C. T. . Dialogue on the teaching-learning relationship in the discipline of Physics with high school students. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 14, p. e197101421786, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i14.21786. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/21786. Acesso em: 15 jun. 2024.

Issue

Section

Exact and Earth Sciences