The use of carnivorous plants as a tool for teaching botany and environmental education

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i14.22153

Keywords:

Scientific literacy; Practical class; Droseraceae; Teaching Strategy; Lentibulariaceae; Drawing workshop; Ecological person.

Abstract

In an attempt to give meaning to learning in Science teaching and make it more effective and attractive, teachers must continually rethink and improve their pedagogical practices, adopting didactic instruments that allow the realization and facilitation of learning, with approaches that lead to reflection on the environmental themes, in a contextualized way. Thus, this research aimed to use carnivorous plants as didactic tools in order to awaken the environmental sensitivity of students from two schools in Quirinópolis, Goiás. Therefore, a pedagogical intervention was carried out involving the exposure of some environmental concepts and a practical activity with carnivorous plants. Before and after the execution of the pedagogical intervention, the students answered questionnaires and made drawings, which helped to verify the validity of the didactic method used. We found that the proposed activity enabled them to learn more about carnivorous plants, noting their ecological importance and the close relationship of the diversity of this group with the state of conservation of the environment in which they live, providing opportunities for reflections on our attitudes that directly impact the environment. Before getting to know the plants, the students' drawings represented them as “humanized” beings, “people-eaters”, with a dangerous character, presenting a risk to humanity. After the practical class, the drawings already illustrated the real morphological characteristics of these vegetables. Given the data, we can infer that the use of carnivorous plants is an attractive practice for the teaching of Science, especially botany, approaching several themes in a contextualized and interdisciplinary way, favoring a non-fragmented learning.

Author Biographies

Diego de Souza Aguiar, Secretaria Municipal de Educação

He has a degree in Biological Sciences from UEG - State University of Goiás, Campus Quirinópolis. Specialist in Environmental Management at Centro Educacional Evangélico Líber - CEEL, Porangatu, GO (College CGESP, Goiânia, GO), Master in Environment and Society (Environmental Sciences) UEG - State University of Goiás, Campus Morrinhos. Professor of Science and Biology at the Municipal Education Department of Quirinópolis, GO, Director at the Rural Municipal School Polo Lino Gedeão, Quirinópolis, GO and current President of CACS - FUNDEB Social Control and Monitoring Council, Quirinópolis, GO.

Surya Macário Rodrigues, Universidade Federal de Goiás

Biologist Graduated from the Pontifical Catholic University of Goiás (2010). Specialization in biological sciences in the field of education (biology). Technical server at the Federal University of Goiás in the Department of Ecology and Evolution and active member of the Practical Classes Center; attending Zoology (Invertebrates and Vertebrates) and Cell Biology - in Plant Anatomy (whenever necessary). Master from the State University of Goiás in the Environment and Society Program. Doctoral student in Animal Biodiversity at PPGBAN/UFG. Biologist by training, artist by vocation and entrepreneur.

Rafael Arruda, Universidade Federal de Mato Grosso

Graduated in Biological Sciences from the Federal University of Mato Grosso do Sul (2001), Master in Ecology and Conservation of Natural Resources from the Federal University of Uberlândia (2004), and Doctor in Biological Sciences (concentration area in Ecology) from the National Research Institute of the Amazon (2008). I am currently an Adjunct Professor at UFMT, and accredited in the PPGs in Plant Biology and Environmental Sciences. I am also a professor at the Postgraduate Program in Plant Biology at UFMS. I work in the field of ecology, specifically with plant-plant and plant-animal biological interactions. I was stricken with a malignant kidney tumor in 2012, and was discharged from treatment in 2017.

References

Almeida, M. de S.; Oliveira, M. S.; Carneiro, M. V. B.; Cunha, M. B. M.; Paz, J. A. A. S.; Gomes, K. J. S. & Silva, F. N. da. (2020). O ensino de solos: perspectiva de práticas extensionistas na conscientização em educação ambiental no Maciço de Baturité, CE. Research, Society and Development, 9 (7), e961974914.

Alves, J. F.; Silva, L. B. da & Reis, D. A. dos. (2020). Reflexões sobre metodologias do ensino de Biologia. Research, Society and Development, 9 (8), e850985951.

Alves, P. F. S.; Kondo, M. K.; Ferreira, V. G.; Pereira, D. G. C.; Santos, S. R. dos & Sampaio, R. A. (2021). Sobrevivência de espécies nativas em função da calagem em área degradada na bacia do Rio Pandeiros. Research, Society and Development, 10 (10), e551101019072.

Andrade, M. L. F. & Massabni, V. G. (2011). O desenvolvimento de atividades práticas na escola: um desafio para os professores de Ciências. Ciência & Educação, 17 (4), 835-854.

Aoyama, E. M. & Labinas, A. M. (2020). Revista de apoio ao Projeto de Extensão “Natureza & Criança: aprendendo com animais e plantas”. Scientia Vitae, 10 (29), 46-52.

Barbosa, A. S.; Maximo, L. M.; Oliveira, T. A. C.; Bastos, A. P. C. & Araújo, F. C. L. (2020). Valorização dos conhecimentos sobre plantas medicinais: uma abordagem para o ensino de ciências. Research, Society and Development, 9 (11), e4719119993.

Bordin, K. M.; Zanotelli, P. & Secretti, G. (2014). Percepção ambiental de estudantes de área urbana e rural. Revista da SBEnBio, 7, 4469-4477.

Brasil. (1997). Parâmetros Curriculares Nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Secretaria de Educação Fundamental. -Brasília: MEC/SEF.

Brasil. (1999). Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF.

Brasil. (2000). Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ciências Naturais. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A.

Brasil. (2014). Lei n° 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências.

Brasil. (2018). Base Nacional Comum Curricular: Ensino Médio. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, Brasil.

Campos, D. B. de & Cavalari, R. M. F. (2018). O professor de Biologia enquanto “sujeito ecológico”: conhecimentos, valores e participação política na prática docente. Revista Eletrônica de Educação, 12 (1), 184-198.

Canclini, N. G. (1999). Consumidores e cidadãos: Conflitos multiculturais da globalização. (4 ed.). Rio de Janeiro: UFRJ.

Carvalho, I. C. M. (2013). O sujeito ecológico: a formação de novas identidades na escola. In: Pernambuco, M. & Paiva, I. (Orgs.). Práticas coletivas na escola. Campinas: Mercado de Letras.

Catelan, M. M.; Henn, L. G. & Marquezan, F. F. (2020). A influência das políticas neoliberais no ensino de história, nos anos finais do ensino fundamental: algumas reflexões sobre os PCNs e a BNCC. Research, Society and Development, 9 (3), e71932432.

CNS (Conselho Nacional de Saúde). (2012). Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. <https://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf>. 13.Jul.2018.

CNS (Conselho Nacional de Saúde). (2016). Resolução nº 510, de 07 de abril de 2016. <http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/Reso510.pdf>. 14.Mai.2018.

Costa, F. W. D. & Aguiar, P. R. (2020). A formação da cidadania ecológica articulada à Educação Ambiental na escola. Revista Cerrados, 18 (2), 245-274.

Cunha, N. R. S.; Lima, J. E.; Gomes, M. F. M. & Braga, M. J. (2008). A intensidade da exploração agropecuária como indicador da degradação ambiental na região dos cerrados, Brasil. Rev. Econ. Sociol. Rural, 46 (2), 291-323.

Eisenstein, E. & Estefenon, S. B. (2011). Geração digital: riscos das novas tecnologias para crianças e adolescentes. Revista Hospital Universitário Pedro Ernesto, 10 (Supl. 2), 42-52.

Ferreira, A. C. & Pontes, A. N. (2020). Interdisciplinaridade na Psicologia Ambiental na interrelação homem natureza. Research, Society and Development, 9 (11), e979119669.

Gamarra, R. M.; Higa, L. T.; Gamarra, M. C. T.; Carrijo, M. G. G.; Mota, J. S.; Notari, F.; Rodrigues, A. G. S.; Dalmas, F. B. & Paranhos Filho, A. C. (2021). Fragmentação da vegetação em região de área protegida no Cerrado. Research, Society and Development, 10 (7), e27310716230.

Juniper, B. E.; Robins, R. J. & Joel, D. M. (1989). The Carnivorous Plants. London: Academic Press.

Lelis, D. A. de J. & Marques, R. (2021). Políticas Públicas de Educação Ambiental no Brasil: um panorama a partir de eventos internacionais e nacionais. Research, Society and Development, 10 (7), e39910716841.

Lima, D. A.; Resende, I. L. M. & Silva, A. V. (2015). Burmanniaceae, Droseraceae e Lentibulariaceae em vereda e mata de galeria inundável de Quirinópolis, Goiás, Brasil. Heringeriana, 9, 49-63.

Lima, D. L.; Alves, T. S.; Oliveira, A. P. G.; Catalani, T. G. T.; Dalmas, F. B. & Paranhos Filho, A. C. (2020). Identificação e quantificação semiautomática de desmatamento por Sensoriamento Remoto. Research, Society and Development, 9 (4), e30942721.

Lopes, P. R; Souza, I. F; Leme, M; Brandão, J. A. V; Costa, R. M. G. F. & Figueiredo, R. A. (2011). Diagnóstico socioambiental: o meio ambiente percebido por estudantes de uma escola rural de Araras (SP). Pesquisa em Educação Ambiental, 6 (1), 139-155.

Lovatto, P. B.; Altemburg, S. A. N.; Casalinho, H. & Lobo, E. A. (2011). Ecologia Profunda: o despertar para uma Educação Ambiental complexa. REDES, 16 (3), 122-137.

Medeiros, D. R.; Goi, M. E. J. (2020). A Resolução de Problemas como uma metodologia investigativa no Ensino de Ciências da Natureza. Research, Society and Development, 9 (1), e49911579.

Mendes, O. A. B.; Araújo, C. S. T.; Bastos, S. M. C. & Júnior, J. G. T. (2020). Ensino de Ciências nos anos iniciais do Ensino Fundamental: Prática docente dos professores da rede municipal de Uruaçu, Goiás. Research, Society and Development, 9 (8), e636986235.

Moraes, R. & Galiazzi, M. C. (2007). Análise textual discursiva. Ijuí: Editora Unijuí.

Morais, I. L. de; Rizzo, C. D.; Brandelero, S. M. & Hannibal, W. (2021). Eficácia de placas educativas no descarte de resíduos sólidos urbanos e à não alimentação do sagui-de-trufo-preto (Callithrix penicillata). Research, Society and Development, 10 (13), e300101321463.

Neves, A.; Bündchen, M. & Lisboa, C. P. (2019). Cegueira botânica: é possível superá-la a partir da Educação? Ciênc. Educ., 25 (3), 745-762.

Neves, K. O. G.; Magalhães Netto, J. F. de & Ferreira, R. G. S. (2021). Ambientes Virtuais de Aprendizagem e Chatbot como facilitadores do Processo de Ensino e Aprendizagem de Biologia. Research, Society and Development, 10 (5), e56410515386.

Oliveira Júnior, C. I. de; Cardoso, A. T.; Rodrigues, R. P.; Resende, R. X.; Oliveira, G. F. de & Klein, K. V. (2020). Jogos e aprendizado: ensinando propriedades coligativas por meio de um jogo didático. Research, Society and Development, 9 (4), e118942925.

Pereira, A. S.; Shitsuka, D. M.; Parreira, F. J. & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. Ed. UAB/NTE/UFSM. URL <https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1>.

Pereira, K. B.; Dinardi, A. J.; Pessano, E. C. (2020). A abordagem da Educação Ambiental em um Projeto Pedagógico de um Curso de Ciências da Natureza. Research, Society and Development, 9 (8), e101985200.

Pimentel, Q. F. & Carvalho, E. T. de. (2019). A Contribuição de uma Associação Ecológica e Ambientalista ao Ensino de Ciências em de Jaciara: limites e possibilidades. Research, Society and Development, 8 (8), e29881219.

Sampaio, D. (1996). Voltei à escola. Lisboa: Editorial Caminho, AS. 219p.

Sano, P. T. (2021). Prefácio. In: Vasques, D. T., Freitas, K. C. & Ursi, S. Aprendizado ativo no ensino de Botânica. Instituto de Biociências, Universidade de São Paulo, 4-6.

Santagueda, V. M. P.; Cantalice, A. S.; Silva, A. B. da & Mafort, M. E. (2020). Comportamento sustentável: promoção da consciência ambiental por meio de gincana. Research, Society and Development, 9 (2), e177921976.

Santos, A. E. dos; Dantas, L. F. S.; Alves, T. R. S. & Braga, E. S. O. (2020). O uso de memes como recurso pedagógico no ensino de química: uma visão dos professores da disciplina. Research, Society and Development, 9 (7), e240974020.

Seeger, F. D.; Ghisleni, T. S. & Bortoluzzi, V. I. (2021). Educação a distância, mídia e indivíduo na sociedade pós-moderna: reflexões sobre educação e cultura mediatizada pelo consumo. Research, Society and Development, 10 (1), e35110110165.

Silva, A. F. da; Bianchi, V. & Araújo, M. C. P. de. (2021). A concepção de educação ambiental dos professores do Ensino Fundamental II: apontando elementos para uma reflexão crítica. Research, Society and Development, 10 (11), e123101119388.

Silva, D. R. da; Santos, S. S.; Carbo, L.; Silva, J. L. da; Berton, A. & Mello, G. J. (2020). Atividades práticas e lúdica no ensino de Ciências: sequência didática sobre calor e temperatura. Research, Society and Development, 9 (5), e186953368.

Silva, C. V; Cruz, D. D. (2014). Educação ecológica para a conservação das plantas carnívoras. Gaia Scientia, 8 (1), 279-293.

Silva, J. A. da; Santos, T. V. A. dos; Lucena, E. M. P. de; Bonilla, O. H.; Pantoja, L. D. M.; Edson-Chaves, B. & Mendes, R. M. de S. (2021). Alunos do Ensino Médio da rede pública de Fortaleza-CE e o interesse pela Botânica. Research, Society and Development, 10 (4), e18110413660.

Silva, V. A. da; Nunes, J. R. S. & Silva, P. S. L. da. (2021). A observação de aves como facilitador do ensino de Biologia. Research, Society and Development, 10 (11), e476101119674.

Souza, P. P. S. & Pereira, J. L. G. (2011). Representação social de meio ambiente e educação ambiental nas escolas públicas de Teófilo Otoni-MG. Revista Brasileira de Educação Ambiental, 6, 35-40.

Souza, V. C. & Lorenzi, H. (2012). Botânica Sistemática. (3 ed.). São Paulo: Instituto Plantarum. 768p.

Ursi, S, Freitas, K. C. & Vasques, D. T. (2021). Cegueira Botânica e sua mitigação: um objetivo central para o processo de ensino-aprendizagem de Biologia. In: Vasques, D. T., Freitas, K. C. & Ursi, S. Aprendizado ativo no ensino de Botânica. Instituto de Biociências. Universidade de São Paulo. 12-30.

Viecheneski, J. P.; Lorenzetti, L. & Carletto, M. (2012). Desafios e práticas para o ensino de Ciências e Alfabetização Científica nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Atos de pesquisa em educação, 7 (3), 853-876.

Vizzotto, P. A.; Rosa, L. S. da; Duarte, V. M. & Mackedanz, L. F. (2020). O uso do Teste de Alfabetização Científica Básica em estudantes do Ensino Fundamental: análise da confiabilidade de medida nesse grupo. Research, Society and Development, 9 (3), e79932447.

Wandersee, J. H. & Schussler, E. E. (2001). Toward a theory of plant blindness. Plant Science Bulletin, 47 (1), 2-9.

Xavier, M. V. B.; Santos, L. L.; Fonseca, A. P. M.; Almeida, E. S. de; Almeida, L. V. O.; Aguiar, R. M. A. S.; Duarte Moreira, C. D.; Semensato, B. D.; Ferreira, J. M. & Oliveira, P. V. A. de. (2021). Capacidade de uso e manejo conservacionista do solo de um fragmento de cerrado sensu stricto, Montes Claros-MG. Research, Society and Development, 10 (7), e41410716697.

Published

03/11/2021

How to Cite

MORAIS, I. L. de .; AGUIAR, D. de S.; RODRIGUES, S. M. .; ARRUDA, R. The use of carnivorous plants as a tool for teaching botany and environmental education. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 14, p. e338101422153, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i14.22153. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/22153. Acesso em: 20 jun. 2024.

Issue

Section

Education Sciences