Critical review of movies: developing portuguese language reading skills with deaf students

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i15.22558

Keywords:

Libras; Teaching; Critical review; Reading and analysis; Portuguese language.

Abstract

The review is a genre that is very present in our daily lives and suitable for working in Portuguese Language classes, since this genre can provide the reader with information that will help them in the analysis of the work, thus contributing to the choice or not of the purchase/read. In this regard, this work aims to analyze the textual genre critical review of films as a tool for the development of reading skills in Portuguese with deaf students. Its theoretical basis is the studies by Machado; Mascarello and Bakhtin . In this sense, studies like this one are justified by expanding the discussion about the importance of using this genre in Portuguese language classes. In addition, the work is relevant, as it deals with the inclusion of deaf students. Thus, the research contributes towards encouraging pedagogical practices to favor deaf students' critical reading. The results showed that working with a critical review of films can be a good strategy for deaf students to develop reading skills in Portuguese.

References

Alves, E. de O. (2020). Português como segunda língua para surdos: iniciando uma conversa. Ideia.

Antunes, I. (2003). Aula de português: encontro e interação, Parábola Editorial.

Baktin, M. (2003). Estética da criação verbal. Martins Fontes.

Batista, C. A. M., & M., M. T. E. (2007). Educação Inclusiva: atendimento educacional especializado em deficiência mental. In: (coord.) Formação continuada a distância de professores para o atendimento educacional especializado: deficiência mental. MEC/SEESP.

Brasil. (1997). Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: língua portuguesa. MEC/SEF.

Brasil. (2000). Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Brasil. (2002). Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm>.

Brasil (2010). Lei nº 12.319, de 1º de setembro de 2010. Regulamenta a profissão de Tradutor e Intérprete da Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Brasil. (2015). Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência).

Brasil. (2017). Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Educação é a Base. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME. <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_publicacao.pdf>

Carmelo, B. (2014). A Família Bélier: “Todo sonho é possível”. < http://www.adorocinema.com/filmes/filme-214860/>

Cristiano, A. (2018). O que é surdez? <https://www.libras.com.br/o-que-e-surdez>

Cunha, J. N. F. R. G. (2020) Oficinas pedagógicas para uma educação inclusiva. e-book - Toledo, Pr: Instituto Quero Saber. 206 p.

Costa, M. P. P. (2020). Interpretação educacional (Libras-português): subjetividades a partir dos discursos dos intérpretes.

Drumond de Andrade, (1987). C. Brasil. Escritor/Poeta/Cronista.<https://www.citador.pt/frases/a-leitura-e-uma-fonte-inesgotavel-de-prazer-mas-p-carlos-drummond-de-andrade-1210>

Fabrício, N. M. C, S., V. C. B., & Z., V. B. (2007). Singularidade na Inclusão: estratégias e resultados. Pulso.

Flick, U. (2009) Introdução à pesquisa qualitativa, tradução Joice Elias Costa. (3a ad.), Artmed. 408p. (Série Métodos de Pesquisa).

Goldfeld, M. (2002). A criança surda: Linguagem e cognição numa perspectiva sociointeracionista. (2a ed.), Plexus Editora.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pessoas com deficiência. (2010). <https://educa.ibge.gov.br/jovens/conheca-o-brasil/populacao/20551-pessoas-com-deficiencia.html>

Kleiman, A. (2002) Texto e leitor: aspectos cognitivos da leitura. Campinas: Pontes.

Koch, I. V., & Elias, V. M. (2010) Ler e escrever: estratégias de produção textual. (2a ed.), Contexto.

Koch, I. V., & Elias, V. M. (2015) Ler e compreender os sentidos do texto. (3a ed.), Contexto.

Machado, A. R. et. al. (2004) Resenha. Parábola Editorial.

Mascarello, J. L. (2013). Pensando sobre a estrutura e organização da resenha crítica. Revista de Letras. v15n17.2384.

Marconi, M. A., & Lakatos, E. M. (2003). Fundamentos de Metodologia Científica. (5a ed.), Atlas.

Mellone, Maurício. (2015). A Família Bélier: “emocionante filme francês sobre família de surdos”.<http://favodomellone.com.br/a-familia-belier-emocionante-filme-frances-sobre-familia-de-surdos/familia-belier-450-blog/>

Minayo, M. C. de S. (2008). O desafio do conhecimento. (11a ed.), Hucitec.

Quadros, R. M. de. (2019). Linguística para o ensino superior. (5a ed.), parábola.

Rojo, R. (2004). Letramento e capacidades de leitura para a cidadania. See: CenP.

Ribeiro, Luzimara Lelis (2020). O tradutor intérprete de Libras: análise da legislação vigente. Universidade de Uberaba.

Silva, A. V. L. (2009). A resenha na universidade: ensino e desenvolvimento do aluno como produtor do gênero. V SIGET – Simpósio Internacional de Estudos de Gêneros Textuais. Caxias do Sul-RS, Brasil.

Silva, E. T. (1981) Leitura: algumas raízes do problema. FE/UNICAMP.

Solé, I. (1998) Estratégias de leitura. (6a ed.), Artes Médicas.

Tokarnia, M. (2020), Agência Brasil - <https://agenciabrasil.ebc.com.br/educacao/noticia/2020-09/brasil-perde-46-milhoes-de-leitores-em-quatro-anos.>

Varella, J. (2015) “A família Bélier: "um filme para fugir do óbvio". <https://www.guiadasemana.com.br/cinema/noticia/a-familia-belier-um-filme-para-fugir-do-obvio.>

Published

27/11/2021

How to Cite

CARVALHO, G. dos A. C. X. de .; SILVA, M. Z. M. da .; LIMA JÚNIOR, A. B. de .; ALVES, S. N. A. L. .; SILVA, H. M. de L. . Critical review of movies: developing portuguese language reading skills with deaf students. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 15, p. e297101522558, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i15.22558. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/22558. Acesso em: 30 nov. 2022.

Issue

Section

Human and Social Sciences