Female empowerment in the countryside: The trajectory of peasant women in agrovila Paulo Freire in the municipality of Mossoró - RN

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i17.23533

Keywords:

Female empowerment; Settlement; Work; Documentary.

Abstract

The struggle of women for the conquest of rights marks the history of societies, through social and political movements, they currently enjoy some rights in the city or in the countryside. Female empowerment is a process of struggles and achievements. Women persisted in transformative political and social movements, such as social inclusion, education, professionalization and for their rights as citizens, constituting the aforementioned empowerment; therefore, it is opportune to associate it with the feminist conception. The dissertation The Trajectory of Peasant Women in Agrovila Paulo Freire in the Municipality of Mossoró-RN aims to analyze the trajectory of women in Agrovila Paulo Freire, Municipality of Mossoró-RN with the aim of fostering female peasant empowerment in the bonds of work, resulting in a filmographic documentary that serves as a pedagogical and identity tool. However, each brings in their life stories their beliefs, utopias and aspirations. Therefore, the research proposes to answer the following research question: How have rural women's life stories influenced labor relations and economic and social development in Agrovila Paulo Freire? The research is qualitative and descriptive and consists of a documentary that rescues the life story of the participating women and the settlement. In the film, their stories are recreated so that others can watch and understand their individualities, values, cultures and everyday struggles. The documentary can be used as a didactic material in teacher training, in schools or other institutions, showing the viewer a way of 'reading' history, understanding and understanding reality in a non-dichotomous, not black and white, but also presence of gray tones. In the results and discussions we found the link between formal and non-formal knowledge.

References

Alves, M. C. S. O. (2016). A importância da história oral como metodologia de pesquisa. In: Semana de História do Pontal, 4. Ituiutaba. Anais... Ituiutaba: Universidade Federal de Uberlândia. 1 - 9. "

Barreto, A. M. (2007). Os espaços de leitura. Revista Eca. 12(1), 41-53

Beauvoir, S. (2017). Segundo Sexo: Fatos e Mitos. Nova Fronteira.

Beauvoir, S. (2017). Segundo Sexo: A Experiência Vivida. Tradução Sérgio Millet. (15a ed.), Nova Fronteira.

Bourdieu, P. (2015). A dominação masculina. Tradução Maria Helena. (13a ed.), Bertrand Brasil.

Brisola, E. M. A., & Marcondes, N. A. V. (2011). A História oral enquanto metodologia dentro do universo da pesquisa qualitativa: um foco a partir da análise por triangulação de métodos. Revista Ciências Humanas, 4(1), 4-16.

Butler, J. (2003). Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Tradução de Renato Aguiar. Civilização Brasileira.

Constituição da República Federativa do Brasil de 1998. http://www.planalto.gov.br/ccivil03/Constituicao/Constituicao.htm

Costa, C. M. S. B. (2017). Agronegocio e agricultura familiar: modelos agrícolas de desenvolvimento que se contrapõem. In: Jornada Internacional Políticas Públicas, 8., 2017, São Luís. Anais... JIPP.

Ferreira, M. M., Fernandes, T. M., & Alberti, V. (2000). História oral: desafios para o século XXI. Editora Fiocruz.

Fialho, C. B., Rosa, Á. F., Gai, M. J. P., & Nunes, A. F. P. (2018). Empoderamento e Gênero: Um Estudo com Mulheres que Ocupam Cargos de Gestão em uma Universidade Federal. Revista Administração em Diálogo - Rad, 20(1), 1-24. Portal de Revistas PUC SP. http://dx.doi.org/10. 23925/2178-0080.2018v20i1.33452.

Freire, P. (2005). Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. (31a ed.), Paz Terra.

Freire, P., Shor, I. (1986). Medo e ousadia: o cotidiano do professor. Paz e Terra.

Frigotto, G. (1995). Educação e a crise do capitalismo real. Ed. Cortez.

Frigotto, G., Ciavatta, M., & Ramos, M. (2005). O trabalho como princípio educativo no projeto de educação integral de trabalhadores. In: Costa, H., Conceição, M. (Org.). Educação integral e sistema de reconhecimento e certificação educacional e profissional. 19-62.

Garcia, A. R. J. (1993). Terra de trabalho. Paz e Terra.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. (6a ed.), Atlas.

Gonsalves, E. P. (2001). Iniciação à pesquisa científica. Alínea.

Gosciola. V. (2003). Roteiro para as novas mídias: do cinema às mídias interativas. Editora SENAC.

Grierson, J. (2011). Princípios iniciais do documentário. (2011). In: Penafria, M. (Org.). Tradição E Reflexões: contributos para a teoria e estética do documentário. Labcom Books. 5-18.

Herrera, K. M. (2012). Uma análise do trabalho da mulher rural através da perspectiva da multifuncionalidade agrícola. In: seminário internacional fazendo gênero, Florianópolis. Anais... SIFG, 2013. 1 - 11.

Hoeller, S.C, Fagundes, M., & Vergara, E. M. (2021). Caminhos da reforma agrária popular agroecológica. Research, Society and Development, 10(6), e13310615603. https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/15603/13940

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2018). Estatísticas de gênero: indicadores sociais das mulheres no Brasil. Rio de Janeiro.

Libâneo, J. C. (2010). Democratização da Escola Pública - A Pedagogia Crítico-Social dos conteúdos. (19a ed.), Edições Loyola.

Luckesi, C. C. (1994). Filosofia Da Educação. ed. Cortez.

Manacorda, M. A. (2007). Marx e a pedagogia moderna. Tradução de Newton Ramos-de-Oliveira. Editora Alínea.

Marcondes, N. A. V., & Brisola, E. M.A. (2014). Análise por triangulação de métodos: um referencial para pesquisas qualitativas. Revista Univap, 20(35), 201-208.

Marinho, P. A. S., & Gonçalves, H. S. (2016). Práticas de empoderamento feminino na América Latina. Revista de Estudios Sociales 35, 56, 80-90, Universidad de los Andes. http://dx.doi.org/10.7440/res56.2016.06.

Martino, L. M. S. (2014). Teoria das mídias digitais: linguagens, ambientes, redes. Vozes.

Matos, G. G. (2009). Comunicação empresarial sem complicação: como facilitar a comunicação na empresa, pela via da cultura e do diálogo. (2a ed.), Manole.

Melo, C. T. V. (2002). O documentário como gênero audiovisual. Comunicação & Informação. 5(1), 25-40.

MInayo, M. C. S. (2012). Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. (18a ed.), Vozes.

Minayo, M. C. S., Souza, E. R., Constantino, P., & Santos, N. C. (2010). Métodos, técnicas e relações em triangulação, In: Minayo, M. C. S., Assis, S. G., Souza, E. R. (Orgs). Avaliação por triangulação de métodos: Abordagem de Programas Sociais. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz.

OIT. (2012). Organização Internacional do Trabalho. Mulheres representam até 70% da força de trabalho rural em economias agrícolas. http://www.onu.org.br/mulheres-representam-ate-70-da-forca-de-trabalho-rural emeconomias-agricolas-afirma-oit/

Oliveira, L. B., & Machado, A. M. N. (2013). Contribuição do conceito de politecnia para pensar a educação profissional do campo. In: Seminário Internacional E Fórum De Educação Do Campo, 1... Anais... SIFEDOC, 2013. 1, 1 - 13.

Pavini, G. C., Adalberto, J. J., & Ribeiro, M. L. (2018). Agroecologia na educação do campo: possibilidades de construção entre homem e natureza. In: VIII Simpósio Sobre Reforma Agrária E Questões Rurais, 4., 2018, Araraquara. Anais... Sraar. p. 1 - 5.

Rigão, A. R., Vidikim, L. S., & Marquezan, F. F. (2019). Para além dos muros da escola: a atuação do pedagogo na educação não formal- A Equoterapia. Research, Society and Developmen. nº 8(5):e585903. p.1-18. https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/903/798

Richardson, R. J. (2017). Pesquisa Social: Método e técnicas. (4a ed.), Atlas.

Rocha, L. M., & Tsukahara, R. T. (2010). Educação do campo: princípios da educação do mst como mediadora da identidade camponesa. In: IV Simpósio Sobre Reforma Agrária E Assentamentos Rurais, 4., 2010, Araraquara. Anais... Sraar. p. 1 - 9.

Sá, J. N. (2003). A Estrada que percorri. Do Autor.

Sales, E. (2009). O documentário na sala de aula: uma verdade absoluta para o aluno? In: Simpósio Nacional De História, 25., 2009, Fortaleza. Anais... Fortaleza: ANPUH. p. 1 - 6.

Santos, L. F., & Tavares, A. M. B. N. (2020). Políticas para a educação profissional e a influência de organismos internacionais: pontos e contrapontos sobre a educação para trabalhadores no Brasil. Revista Research, Society and Development, 9(7), e361974061.

Sardenberg, C. M. B. (2009). Conceituando “Empoderamento” na Perspectiva Feminista. In: I Seminário Internacional: Trilhas Do Empoderamento De Mulheres – Projeto Tempo, 1., 2006, Salvador. Anais... NEIM/UFBA. p. 1 – 12.

Schumaher, S., & Ceva, A. (2015). Mulheres no poder: trajetórias na política a partir da luta das sufragistas do Brasil. Edições de Janeiro.

Schwendler, S. F. (2009). A Participação da Mulher na Luta pela Terra: Dilemas e Conquistas. In: Fernandes, B. M., Medeiros, L. S., Paulilo M. I. (org.). Lutas Camponesas Contemporâneas: condições, dilemas e conquistas. UNESP.

Scott, J. (1995). Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e realidade. Tradução Christine Rufino Dabat e Maria Betânia Ávila. 20(2), 71- 99.

Simon, V. P., & Boeira, S. L. (2016). Empoderamento Feminino na Economia Social e Solidária. In: Congresso Brasileiro De Estudos Organizacionais, 15., 2016, Anais... CBEO. p. 1 - 24.

Valadares, N. V.M. R., Souza, J. B., & Carvalho, T. S. (2021). Uma análise crítico-discursiva acerca do empoderamento feminino na canção “Eu sou problema meu”à luz da sequência didática de Rildo Cosson. Research, Society and Development, 10(5), e49410515196. https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/15196/13628

Yin, Robert K. (2001). Estudo de caso: planejamento e métodos. Tradução de Daniel Grassi. (2a ed.), Bookman.

ZappellinI, M. B., & Feuerschütte, S. G. (2015). O uso da triangulação na pesquisa científica brasileira em administração. Administração: ensino e pesquisa, 16(2), 241-273.

Published

20/12/2021

How to Cite

ALVES, S. M. C. .; OLIVEIRA, G. B. de . Female empowerment in the countryside: The trajectory of peasant women in agrovila Paulo Freire in the municipality of Mossoró - RN. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 17, p. e135101723533, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i17.23533. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/23533. Acesso em: 17 jan. 2022.

Issue

Section

Education Sciences