Statistical knowledge: perceptions of High School students in a public school in the city of Caxias, Maranhão

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i17.24215

Keywords:

Statistic; Perceptions; Students.

Abstract

This research is the result of work developed with high school students, which aimed to assess students' perception of statistical knowledge, as well as discovering whether the activity contributed to learning these contents. The idea came about by detecting the lack of practices with this purpose. The instrument used to analyze the contributions of the activity, in identifying the perception and learning of Statistics, was a questionnaire and the information obtained was organized in graphs, so that a qualitative quantitative analysis of the information could be carried out, supported by content analysis. The referred activity managed to show that a portion of the researched public did not know Statistics and is unaware of its applicability. Another situation also identified is that students do not see Statistics, which is reduced to mathematical knowledge and which is associated with the most diverse areas of knowledge, in addition to representing the contribution of the activity, in terms of learning about statistical knowledge. Research can provide information that can be used by teaching professionals, and thus offer possible actions that can alleviate the present difficulties in learning Statistics. Thus, this work offers paths on how to carry out interventions that involve statistical knowledge in different areas of knowledge, because the Arco de Maguerez methodology is easily adapted to all fields of knowledge, which undoubtedly can significantly contribute to learning.

Author Biographies

Maria Fernanda Ribeiro Ferreira, Universidade Estadual do Maranhão

Master's student at the Postgraduate Program in Biodiversity, Environment and Health (PPGBAS) at the State University of Maranhão (UEMA); Degree in Biological Sciences from the Federal Institute of Maranhão (2019). Participant in the research group in Applied Sciences-Sciences, Environment and Education of the Federal Institute of Maranhão-campus Caxias, she participates in the research group LAECO (Ecology Laboratory) of the Federal Institute of Maranhão-campus Caxias. Work on Taxonomy and Ecology of Aquatic Insects with an emphasis on the Odonata order.

Guilherme Santana Lustosa, Instituto Federal do Maranhão

Graduated in Bachelor of Biological Sciences from the Federal University of Piauí (2007). He is currently a professor at the Federal Institute of Maranhão, a student at the Federal University of Piauí in the Graduate Program in Biodiversity and Conservation. He has experience in the field of Zoology, working mainly on the following topics: ecology.

References

Andrade, N. M. G. (2012). Aprendizagem da Estatística no 2.º ano de escolaridade através de atividades investigativas. Dissertação de Mestrado em Ciências da Educação. https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/23958/1/N%c3%advea%20Maria%20Gon%c3%a7alves%20Andrade.pdf

Brasil. (2017). Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. 3ª versão. Brasília: MEC. http://basenacionalcomum.mec.gov.br/abase/

Brasil. (1997). Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN): Matemática. Brasília, DF.

Brasil. (1998). Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN): Matemática. (3º e 4º ciclos do ensino fundamental). Brasília: MEC.

Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo. 70. Ed. Lisboa/Portugal: Universitaires de France.

Berbel, N. A. N. (2016). A Metodologia da Problematização com o Arco de Maguerez: uma reflexão teórico-espistemológica. Londrina: EDUEL.

Colombo, A. P., & Berbel, N. A. N. (2007). A metodologia da problematização como Arco de Maguerez e a sua relação com os saberes de professores. Semina: Ciência Sociais e Humanas, 28(2), 121 – 146.

Damin, W., & Santos Junior, G., & Pereira, R. S. G. (2019). Constituição dos saberes da formação profissional no curso de licenciatura em Matemática para o ensino de Estatística. REVEMAT, 14, 1-21.

Evangelista, D. H. R., & Evangelista, C. J., & Santos, R. S. (2020). O ensino e aprendizagem de Estatística com o uso de projetos de modelagem e tecnologias digitais. Brazilian Journal of Development, 6(1).

Guiordano, C. C., & Araújo, J. R. A., & Coutinho, C. Q. S. (2019). Educação Estatística e a Base Nacional Comum Curricular: o incentivo aos projetos. REVEMAT, 14.

Morán, J. (2015). Mudando a educação com metodologias ativas. In: Souza, C. A.; Morales, O. E. T. (Org.). Convergências midiáticas, educação e cidadania: aproximações jovens. Ponta Grossa: UEPG/PROEX, v. II http://www2.eca.usp.br/moran/wp-content/uploads/2013/12/mudando_moran.pdf

Machado, M. B. (2017). Modelagem Matemática como ambiente de aprendizagem de Estatística na educação básica. Dissertação de Mestrado em Ensino de Matemática. https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/174476/001062870.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Oliveira, P. C., & Pirola, N. A., & Euro Junior, M. (2020). Validação da escala de crença de auto eficácia de estudantes em relação ao letramento estatístico. Educação Matemática em Revista – RS, 02, (21), 13

Pastorio, D. P., & Vidmar, M. P., & Alves, J., & Centenaro, F. J. (2020). Conjunto de atividades didáticas de Mecânica baseadas em resolução de problemas e simulações computacionais. REnCiMa, 11(05), 71 – 93.

Pontes, E. A. S., & Pontes, E. G. S. (2021). Estatística descritiva utilizando o software Libre Office Calc: experimento com um cubo virtual. Reserch, Society end Development, 10(1).

Pontes, E. A. S. (2018). Algumas considerações teóricas no ensino de Estatística na educação Básica de maneira contextualizada. Revista Eixo, 7(3).

Rey, F. G. (2015). Pesquisa qualitativa e subjetividade: os processos de construção da informação. São Paulo: Cengage Learning.

Silva, N. A., & Figueiredo, H. R. S. (2019). A educação Estatística na educação básica do Brasil, Estados Unidos, França e Espanha segundo os documentos curriculares. REVEMAT, 14, Edição Especial Educação Estatística, 1 – 20.

Souza, R. F., & Calejon, L. M. C. (2019). Uso da tecnologia da informação e comunicação em uma sequência didática incluindo software geogebra no ensino de Estatística descritiva. REnCiMa, 10(4), 227-244.

Santos, L. R. O., & Souza, R. M., & Costa, J. J. (2017). A metodologia da problematização no contexto da educação básica: possíveis caminhos para a formação de reeditores ambientais. Revista Cadernos de Estudos e Pesquisa na Educação Básica, 3(1), 257 - 274.

Santos, W. D., & Santos Junior, J., & Velasque, L. S. (2019). O desenvolvimento do letramento estatístico pelos livros didáticos e a Base Nacional Comum Curricular. REnCiMa, 9(2), 210-229.

Villardi, M. L., & Cyrino, E. G., & Berbel, N. A. N. (2015). A metodologia da problematização no ensino em saúde: suas etapas e possibilidades. In: A problematização em educaçãoo em saúde: percepções dos professores tutores e alunos. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 45-52.

Velasque, L. S., & Barbosa, M. T. S., & Silva, A. S. (2019). A pesquisa quanti-ação como ferramenta para o ensino de Estatística na educação básica. REVEMAT, 14, Edição especial educação Estatística, 01 – 16.

Published

24/12/2021

How to Cite

OLIVEIRA, F. S. de .; FERREIRA, M. F. R. .; LUSTOSA, G. S. . Statistical knowledge: perceptions of High School students in a public school in the city of Caxias, Maranhão. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 17, p. e174101724215, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i17.24215. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/24215. Acesso em: 24 jan. 2022.

Issue

Section

Education Sciences