The context of teacher education for specialized educational care

Authors

Keywords:

Special Education; Specialized Educational Care; Teacher Training.

Abstract

This study aimed to analyze the training process for acting in Specialized Educational Care (SEC) through a systematic review of the literature, in order to identify the problems that still permeate this field of action, and to reflect on the inclusive practices and policies that govern and direct SEC in the Multifunction Resource Rooms. The research results showed that the teacher education for the SEC, is not enough to fulfill all the demands attributed to the function. In addition, it was found that the training for the SEC is much more in service than in previous training, which does not prepare the professional to act in face of the reality found in schools. In view of this, it was concluded that training for SEC, initial or continuous, must accompany the advances in terms of inclusive policies, as well as in relation to the practices required of the professional who works in schools.

References

Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF. Disponível em: <https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em: 13 nov. 2018.

Brasil. Decreto nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999. Brasília, DF: MEC/SEESP. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/dec3298.pdf>. Acesso em: 8 abr. 2019.

Brasil. Resolução CNE/CEB Nº 2, de 11 de setembro de 2001. Institui Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Brasília, DF: CNE/CEB, 2001. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CEB0201.pdf>. Acesso em: 10 dez. 2019.

Brasil. PORTARIA NORMATIVA Nº 13, de 24 de abril de 2007. Dispõe sobre a criação do "Programa de Implantação de Salas de Recursos Multifuncionais". Ministério da Educação, Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2007. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=9935-portaria-13-24-abril-2007&Itemid=30192>. Acesso em: 16 nov. 2018.

Brasil. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, DF: MEC/SEESP, 2008a. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/politica.pdf>. Acesso em: 13 nov. 2018.

Brasil. Decreto nº 6.571 de 17 de setembro de 2008. Dispõe sobre o Atendimento Educacional Especializado. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 18 set. 2008b. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Decreto/D6571.htm>. Acesso em: 16 nov. 2018.

Brasil. Resolução n. 04, de 02 de outubro de 2009. Institui as Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica – Modalidade Educação Especial. Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação, 2009. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rceb004_09.pdf>. Acesso em: 16 nov. 2018.

Brasil. Decreto nº 7.611, de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 19 nov. 2011. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Decreto/D7611.htm>. Acesso em: 16 nov. 2018.

Brasil. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Censo Escolar 2017. Ministério da Educação. Diário Oficial da União, Brasília, DF. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/web/guest/resultados-e-resumos>. Acesso em: 16 nov. 2018.

Braun, V. & Clarke, V. Using thematic analysis in psychology. Qualitative Research in Psychology, v. 3, n. 2, p. 77-101, 2006.

Castro, J. & Vaz, A. F. Professores no atendimento educacional especializado: Responsabilidades e impossibilidades. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas. Dossiê Educação Especial: Diferenças, Currículo e Processos de Ensino e Aprendizagem II, vol. 23, n. 33, 2015.

Ferreira, D. C. K. Salas de Atendimento Educacional Especializado (AEE) na rede regular pública de ensino paranaense: desafios, limites e possibilidades do paradigma inclusivo. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 29, n. 55, p. 281-294, maio/ago. 2016.

Garcia, R. M. C. Política de educação especial na perspectiva inclusiva e a formação docente no Brasil. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 18 n. 52 jan.-mar. 2013.

Gavião, T. F. & Pereira, M. G. Revisões sistemáticas da literatura: passos para sua elaboração. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, 23(1):183-184, jan-mar, 2014.

Hohendorff, J. V. Como escrever um artigo de revisão de literatura. In: Koller, S. H.; Couto, M. C. P. P. & Hohendorff, J. V. Manual para produção científica. Porto Alegre: Penso, 2014, p.39-54.

Hostins, R. C. L. & Jordão, S. G. F. Política de Inclusão Escolar e Práticas Curriculares: Estratégias Pedagógicas para Elaboração Conceitual do Público alvo de Educação Especial. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas. Dossiê Educação Especial: Diferenças, Currículo e Processos de Ensino e Aprendizagem II, vol. 23, n. 28, 2014.

Lunardi-Lazzarin, M. L. & Hermes, S. T. Educação Especial, Educação Inclusiva e Pedagogia da Diversidade: celebrar a diversidade! Exaltar a tolerância! Notabilizar o respeito! Proclamar a solidariedade! Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 28, n. 53, p. 531-544, set./dez. 2015.

Mantoan, M. T. E. O atendimento educacional especializado na educação inclusiva. Inclusão (Brasília), v. 5, p. 12-15, 2010.

Michels, M. H. O que há de novo na formação de professores para a Educação Especial? Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 24, n. 40, p. 219-232, maio/ago. 2011.

Pasian, M. S.; Mendes, E. G. & Cia, F. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO: ASPECTOS DA FORMAÇÃO DO PROFESSOR. Cadernos de Pesquisa, v.47 n.165 p.964-981 jul./set. 2017.

Organização das Nações Unidas. Assembleia Geral da ONU. Declaração Universal dos Direitos Humanos. França, Paris, 1948. Disponível em: <http://www.un.org/en/universal-declaration-human-rights/>. Acesso em: 13 nov. 2018.

Pereira, A. L. Revisão sistemática da literatura sobre produtos usados no tratamento de feridas. 129 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Escola de Enfermagem, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2006.

Pertile, E. B. & Rossetto, E. TRABALHO E FORMAÇÃO DOCENTE PARA O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v.10, n.4, out./dez. 2015.

Rossetto, E. Formação do professor do atendimento educacional especializado: a Educação Especial em questão. Revista Educação Especial, v. 28, n. 51, p. 103-116 - jan./abr. 2015.

Scherer, R. P. & Dal’igna, M. C. Professoras do atendimento educacional especializado: intervenção clínica ou pedagógica? Acta Scientiarum. Education, Maringá, v. 37, n. 4, p. 415-425, Oct.-Dec., 2015.

Vaz, K. O Professor de Educação Especial nas Políticas de Perspectiva Inclusiva no Brasil: concepções em disputa. 267 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.

Vinente, S. & Duarte, M. UNIVERSALIZAÇÃO DO ATENDIMENTO ESCOLAR AOS ESTUDANTES PÚBLICO-ALVO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL: NOTAS SOBRE OS PLANOS NACIONAIS DE EDUCAÇÃO (2001 e 2014). Revista Pedagógica, v.18, n.38, maio/ago. 2016.

Published

19/02/2020

How to Cite

TEIXEIRA, A. M.; COPETTI, J. The context of teacher education for specialized educational care. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 3, p. e85932473, 2020. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/2473. Acesso em: 24 sep. 2021.

Issue

Section

Review Article