Higher education: the challenges experienced in teaching by professors with bachelor's degrees in Economic Sciences, at the beginning of their careers

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i7.25705

Keywords:

Bachelors in Economic Sciences; Challenges; Higher Education Teaching.

Abstract

The objective of the study is to investigate the challenges experienced in teaching higher education by professors with a degree in Economic Sciences, at the beginning of their careers, understanding the perceptions of beginning teachers regarding the training needs to overcome the challenges of teaching in higher education, finally, the creation of the Index of Challenges for Economics Teachers at the Beginning of their Career – IDEIC. For this purpose, the quanti-qualitative research was used as a methodological approach. The sample is non-probabilistic, for convenience, and had 12 teachers, distributed in three northeastern states, namely: Piauí, Rio Grande do Norte and Ceará. The results show that the challenges faced are characterized in different aspects, since they range from the lack of initial training, pedagogical training and institutional support. The most direct conclusion of the study is that teachers have, mainly, gaps in Pedagogical Training and Initial Training, which contributed to the high value of IDEIC (0.86).

References

Aaker, D. A., Kumar, V., & Day, G. S. (2001). Pesquisa de Marketing, trad. Reynaldo Cavalheiro Marcondes. Atlas.

Abreu, M. C., & Marcos T. (Marcos Tarcisio) Masetto. (1990). O professor universitário em aula: prática e princípios teóricos. (2a ed.), Porto, 1995. p. 31-59.

Amaral, A.L. Significados e contradições nos processos de formação de professores. (2010). In: DALBEN, A.I.L.F. et al. (Orgs.). Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica. p.24-46.

Ariboni, S., & Perito, R. (2004). Guia prático para um projeto de pesquisa–exploratória, experimental, descritiva. São Paulo: Unimarco.

Behrens, M. A. (2007). O paradigma da complexidade na formação e no desenvolvimento profissional de professores universitários. Educação, 30(3).

Behrens, M. A. (2011). Docência universitária: formação ou improvisação?. Educação, 36(3), 441-453.

Brasil. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. (1996). Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. http://www.planalto.gov.br /ccivil_03/leis/l9394.htm.

Brasil. Portaria CAPES 76/2010 - Concessão de bolsas. (2010). https://www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/Portaria_076_ RegulamentoDS.pdf.

Conceição, J. S. da, & Nunes, C. M. F. (2015). Saberes docentes e professores iniciantes: dialogando sobre a formação de professores para o ensino superior. Revista Docência do Ensino Superior, 5(1), 9-36.

Correia, L. C., & Góes, N. M. (2013). Docência universitária: desafios e possibilidades. II Jornada de Didática e I Seminário de Pesquisa do CEMAD.

Cunha, M. I. D. (2006). Docencia en la universidad, cultura y validez institucional: saberes silenciados en cuestión. Revista Brasileira de Educação, 11(32), 258-271.

Curvin, J., & Slater, R. Quantitative Methods for Business Decisions. (1990). – Englewood. Cliffs, N.J.: Chapman&Hall.

Day, C., & Flores, M. A. (2001). Desenvolvimento profissional de professores: os desafios da aprendizagem permanente.

Evans, J. R., & Mathur, A. (2005). The value of online surveys. Internet research.

Fernandes, C. R. S., de Sousa Viana, I. L. R., de Macedo Alves, A., Macedo, L. S., de Sousa Martins, A. M. G., & Rodrigues, M. T. P. (2017). A construção da identidade docente por bacharéis no ensino superior. Revista Brasileira de Ensino Superior, 3(1), 26-41.

Ferreira, L. V. (2019). O estágio docência e a formação pedagógica na área contábil: competências docentes adquiridas na pós-graduação.

Flores, M. A. (2010). Algumas reflexões em torno da formação inicial de professores. Educação, 33(3), 182-188.

Freire, L. I. F., & Fernandez, C. (2015). O professor universitário novato: tensões, dilemas e aprendizados no início da carreira docente. Ciência & Educação (Bauru), 21, 255-272.

Freitas, D. A., Santos, E. M. D. S., Lima, L. V. D. S., Miranda, L. N., Vasconcelos, E. L., & Nagliate, P. D. C. (2016). Saberes docentes sobre processo ensino-aprendizagem e sua importância para a formação profissional em saúde. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, 20, 437-448.

Garcia, C. M. (1999). Formação de professores. Para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora.

García, C. M. (2010). O professor iniciante, a prática pedagógica eo sentido da experiência. Formaçao docente, 2 (3), 11-49.

Gerhardt, T. E., & Silveira, D. T. (2009). Métodos de pesquisa. Plageder.

Gil, A. C. (1999) Métodos e técnicas de pesquisa social. (5a ed.), Atlas.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. (4a ed.), Atlas.

Guimarães, P. R. B. (2012). Métodos quantitativos estatísticos. rev. IESDE Brasil.

Huberman, M. (1992). O ciclo de vida profissional dos professores. Vidas de professores, 2, 31-61.

Huberman, M. O ciclo de vida profissional dos professores. (2000). In: Nóvoa, A. (org.). Vidas de Professores. Porto Editora, p. 31-62.

Junges, K. D. S., & Behrens, M. A. (2016). Uma formação pedagógica inovadora como caminho para a construção de saberes docentes no Ensino Superior. Educar em Revista, 211-229.

Levy, P. S, Lemeshow, S. (1980). Sampling for health professionals. LLP.

Likert, R. (1932). A technique for the measurement of attitudes. Archives of psychology.

Lima, M. S. L., & Braga, M. M. S. D. C. (2016). Relação ensino-aprendizagem da docência: traços da Pedagogia de Paulo Freire no Ensino Superior. Educar em Revista, 71-88.

Lira, D., & Sponchiado, D. A. M. (2012). A formação pedagógica do profissional docente no ensino superior: desafios e possibilidades. Rev Perspectiva, Erechim, 36(136), 7-15.

Lourenço, C. D. D. S., Lima, M. C., & Narciso, E. R. P. (2016). Formação pedagógica no ensino superior: o que diz a legislação e a literatura em Educação e Administração? Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior (Campinas), 21, 691-718.

Lourenço, F. C, Vagula, E. Docência no ensino superior: formação continuada e a prática pedagógiga dos docentes. (2017). In: IV JORNANDA DE DIDÁTICA E III SEMINÁRIO DE PESQUISA DO CEMAD. Londrina. ANAIS...Londrina. http://www.uel.br/eventos/jornadadidatica /pages/arquivos /IV%20Jornada%20de%20Didatica%20Docencia%20na%20Contemporaneidade%20e%20III%20Seminario%20de%20Pesquisa%20do%20CEMAD/DOCENCIA%20NO%20ENSINO%20SUPERIOR%20FORMACAO%20CONTINUADA%20E%20A%20PRATICA%20PEDAGOGIGA%20DOS%20DOCENTES.pdf

Marconi, M. A, Lakatos, E. M. (2006). Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. (3a ed.), Atlas.

Masetto, Marcos T. (2003) Competência Pedagógica do Professor Universitário. Summus.

Meho, L. I. (2006). E‐mail interviewing in qualitative research: A methodological discussion. Journal of the American society for information science and technology, 57(10), 1284-1295.

Nascimento, V. S, Silva, R. F (2013). Ser bacharel e professor: sentidos e relações entre o bacharelado e a docência universitária. Revista Inter-Legere, (13), 336-365.

Nono, M., & Mizukami, M. (2006). Processos de formação de professoras iniciantes. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 87(217).

Nóvoa, A. (1992). Os professores e a sua formação. Publicações Dom Quixote.

Oliveira, E. C. (2008). Formadores de professores de língua inglesa: uma experiência de colaboração e reflexão.

Oliveira, V. D., & Silva, R. D. F. (2012). Ser bacharel e professor: dilemas na formação de docentes para a educação profissional e ensino superior. Holos, 2, 193-205.

Oliveira, C. C., & Vasconcellos, M. M. M. (2011). A formação pedagógica institucional para a docência na Educação Superior. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, 15, 1011-1024.

Pacheco, J. A. Flores, Maria Assunção. (1999). Formação e Avaliação de professores. Portugal: Porto Editora.

Papi, Silmara De Oliveira. Professoras Iniciantes Bem-Sucedidas: Elementos De Seu Desenvolvimento Profissional. (2011). In: Reunião Anual Da Associação Nacional De Pesquisa Em Educação, 34., 2011, Natal, RN. Anais... Natal. p. 1-16.

Pereira, J. R., Sousa, C. V., Bueno, N. X., & Santos, L. T. (2018). Pedagogia fast food: Estágio docente e a formação de professores. Teoria e Prática em Administração, 8(1), 47-74.

Reche, B. D., & de Vasconcellos, M. M. M. (2019). Formação docente para o ensino superior e os motivos de bacharéis frequentarem um programa de mestrado em educação. Educação no Século XXI-Volume 41 Formação Docente Gestão e Políticas Públicas, 15.

Rodrigues, D., & Lima-Rodrigues, L. (2011). Formação de professores e inclusão: como se reformam os reformadores? Educar em Revista, 41-60.

Sampaio, A., & Stobäus, C. D. (2015). O apoio pedagógico na formação inicial: perspectivas para o bem-estar docente e desenvolvimento profissional. Espaço Pedagógico.

Saviani, D., & nova lei da Educação, A. (1998). LDB Trajetória, limites e perspectivas. Campinas: Autores Associados.

SCHEERENS, J. Melhorar a eficácia das escolas. (2004). Lisboa: ASA.

Seixas, R. H. M., Calabró, L., & Sousa, D. O. (2017). A Formação de professores e os desafios de ensinar Ciências. Revista Thema, 14(1), 289-303.

Soligo, V. (2012). Indicadores: conceito e complexidade do mensurar em estudos de fenômenos sociais. Estudos em avaliação educacional, 23(52), 12-25.

Takashina, N. T. (1999). Indicadores da qualidade e do desempenho. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Tardif, M. (2010). Saberes docentes e formação profissional. Vozes.

Tardif, M., & Raymond, D. (2000). Saberes, tempo e aprendizagem do trabalho no magistério. Educação & sociedade, 21, 209-244.

Veenman, S. (1984). Perceived problems of beginning teachers. Review of educational research, 54(2), 143-178.

Veiga, I. P. A. (2006). Docência universitária na educação superior. Docência na Educação Superior. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 1, 87-98.

Vogt, M., Degenhart, L., & Biavatti, V. T. (2016). Relação entre formação docente, metodologias de ensino e resultados do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes de Ciências Contábeis. Revista Catarinense da Ciência Contábil, 15(45), 63-77.

Walter, O. M. F. C. (2013). Análise de ferramentas gratuitas para condução de survey online. Produto & Produção, 14(2).

Wiebusch, A., Teixeira, E. M. M., & Maria, E. (2018) Professores iniciantes de matemática: os desafios da docência. In: IV seminário internacional pessoa adulta, saúde e educação.

Zabalza, M. (2004). O ensino universitário: seu cenário e seus protagonistas. Artmed.

Zanella, C. (2011). As dificuldades didáticas dos professores iniciantes e os programas de formação inicial e continuada para docentes. SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 26.

Published

07/06/2022

How to Cite

SOUSA, J. S. de; CARVALHEDO, J. L. P. .; SOUSA, E. C. . Higher education: the challenges experienced in teaching by professors with bachelor’s degrees in Economic Sciences, at the beginning of their careers. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 7, p. e59911725705, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i7.25705. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/25705. Acesso em: 4 jul. 2022.

Issue

Section

Human and Social Sciences