Diversity and Integral Human Education: a converging relationship

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i3.26442

Keywords:

Diversity; Integral Human Formation; Identity; Difference.

Abstract

The main purpose of this article is to investigate which general aspects are related to education in (and for) diversity and how these issues relate to and converge with the postulations of an Integral Human Formation, in the context of Vocational and Technological Education (EPT). By demonstrating these convergences, we propose to answer the following question: Would the study of diversity be, in fact, a preponderant question for the process of human formation in its entirety? Therefore, a bibliographic analysis was carried out on the subject, focusing on the concepts and contextualization of diversity, identity and difference, highlighting how these conceptions are permeated by the existing power relations in society and influence its social constructions. As an argumentative direction, the article highlights some aspects related to gender, ethnic-racial and sexual diversities. At the end of the research, it was possible to recognize the real convergence between the critical historical study of diversity with the conceptions of Integral Human Formation, since diversity is in the scope of social relations where life is produced, and it is precisely the critical analysis of the totality of the social relations one of the commitments of the Integral Human Formation. Furthermore, by offering an in-depth study of the issues inherent to diversity, it is possible to understand the historical genesis of phenomena such as racism, machismo and homophobia and to envision alternatives for the construction of a more just and egalitarian society.

References

Abramowicz, A., Rodrigues, T. C., & Cruz, A. C. J. d. (2011). A diferença e a diversidade na educação. Contemporânea – Revista de Sociologia da UFSCar, (2), 85-97. https://www.contemporanea.ufscar.br/index.php/contemporanea/article/view/38/20

Butler, J. (2021). Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade (21a ed.). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Ciavatta, M. (2005). A formação integrada: A escola e o trabalho como lugares de memória e identidade. Revista Trabalho Necessário, (3). https://doi.org/10.22409/tn.3i3.p6122

Cunha, L. L. N. (2020). A antipolítica de gênero Bolsonaro e suas dinâmicas de violência. Revista de Estudios Brasileños (v. 7, n. 14, p. 49-61). https://doi.org/10.14201/reb20207144961

Creswell, J. W. (2010). Projeto de Pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto (3a ed). Porto Alegre: Artmed.

Durkheim, E. 2016). Educação e Sociologia (1a ed.). São Paulo: EDIPRO.

Facchini, R. (2010). Movimento homossexual no Brasil: recompondo um histórico. Cadernos AEL (v. 10, n. 18/19). https://www.al.sp.gov.br/repositorio/bibliotecaDigital/20788_arquivo.pdf

Facchini, R., Carmo, I. N., & Lima, S. P. (2020). Movimentos feminista, negro e LGBTI no brasil: sujeitos, teias e enquadramentos. Educ. Soc. (v. 41). https://doi.org/10.1590/ES.230408

Feres Júnior, J., Campos, L.A., Daflon, V.T., & Venturini, A.C. O conceito de ação afirmativa. In: Ação afirmativa: conceito, história e debates [online]. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2018, pp. 13-25. Sociedade e política collection. ISBN: 978-65-990364-7-7. https://doi.org/10.7476/9786599036477.0003.

Foucault, M. (2008). Segurança, território, população: Curso dado no Collége de France (2a ed.).

Foucault, M. (2019). História da Sexualidade 1 (9a ed.). São Paulo: Paz e Terra.

Gomes, N. L. (2008). A questão racial na escola: desafios colocados pela implementação da Lei 10.639/03. In: V. M. Candau, & A. F. Moreira (Orgs). Multiculturalismo: Diferenças Culturais e Práticas Pedagógicas (2a ed). Petrópolis: Vozes.

Hall, S. (2003). A questão multicultural. In: L. Sovik (Org). Da diáspora: Identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG.

Hall, S. (2003). Significação, Representação, Ideologia: Althusser e os debates pós-estruturalistas. In: L. Sovik (Org). Da diáspora: Identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2019). Desigualdades sociais por cor ou raça no Brasil. IBGE: Estudos e Pesquisas – Informação Demográfica e Socioeconômica (n. 41). Recuperado de https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101681_informativo.pdf

Louro, G. L. (2014). Gênero, sexualidade e educação (16a ed.). Petrópolis: Vozes.

Melo, R. S. (2017). Dominação de gênero e esfera pública na teoria crítica feminista. Revista Ideação (v. 1, n. 36, pp. 166-182). https://doi.org/10.13102/ideac.v1i36.3153

Miguel, L. F. (2021). O mito da “ideologia de gênero” no discurso da extrema direita brasileira. Cadernos Pagu [online] (n. 62). https://doi.org/10.1590/18094449202100620016

Moreira, A. F.B., & Câmara, M. J. (2003). Reflexões sobre currículo e identidade: implicações para a prática pedagógica. In: L. Sovik (Org). Da diáspora: Identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG.

Moura, D. H. (2013). Ensino médio integrado: subsunção aos interesses do capital ou travessia para a formação humana integral? Educação e Pesquisa, (v. 39, n. 3, pp. 705-720). https://www.revistas.usp.br/ep/article/view/62525/65322

Piovesan, F. (2008). Ações afirmativas no Brasil: desafios e perspectivas. Rev. Estud. Fem (v. 16, n. 3, pp. 887-896). Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-026X2008000300010

Palla, A. (2019, outubro). Transfeminismo e construção revolucionária. Margem Esquerda, (33), 38-44.

Prado, M. A., Nogueira, P. H. Q., & Martins, D. A. (2013). Escola e política do armário na produção e reprodução das hierarquias sexuais no Brasil. In: A. Rodrigues & M. A. S. C. Barreto. Currículos, gêneros e sexualidades: experiências misturadas e compartilhadas. Vitória, ES: Edufes.

Ramos, M. (2008, maio). Concepção de ensino médio integrado. O Desafio de Construção do Ensino Médio Integrado no Estado do Pará, Pará, Belém, Brasil. Recuperado de http://forumeja.org.br/go/sites/forumeja.org.br.go/files/concepcao_do_ensino_medio_integrado5.pdf)

Reis, T. (2015). Homofobia no ambiente educacional: o silêncio está gritando (1st ed.). Curitiba: Appris.

Rodrigues, T., & Abramowicz, A. (2013). O debate contemporâneo sobre a diversidade e a diferença nas políticas e pesquisas em educação. Educ. Pesq, 3(1), (pp. 15-30). https://doi.org/doi.org/10.1590/S1517-97022013000100002

Santos, B. de S. (2013). Direitos humanos, democracia e desenvolvimento. In: B. de S. Santos & M. Chauí (Orgs). Direitos humanos, democracia e desenvolvimento. São Paulo: Cortez.

Scott, P., Lewis, L., & Quadros, M. (2009). Diversidade, diferença, desigualdade e educação. In: P. Scott, L. Lewis & M. T. Quadros (Orgs.). Gênero, diversidade e desigualdades na educação: interpretações e reflexões para a formação docente. Recuperado de https://www.ufpe.br/documents/1016303/1020379/gnero+diversidade+e+desigualdade+na+educa_o.pdf

Silvério, V. R. (2005). A (re)configuração do nacional e a questão da diversidade. In. A. Abramowicz & V. Silvério (Orgs.). Afirmando diferenças: Montando o quebra-cabeça da diversidade na escola. Campinas: Papirus.

Sousa, J. M. (2015). A questão racial e a desigualdade: A discussão do racismo enquanto escolha pedagógica. In: A. A. Pereira & W. Costa (Orgs.). Educação e diversidade em diferentes contextos (1a ed). Rio de Janeiro: Pallas.

Woodward, K. (2014). Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In: T. T. da Silva (Org). Identidade e Diferença: a perspectiva dos estudos culturais (15a ed). Petrópolis, RS: Vozes.

Published

13/02/2022

How to Cite

SILVA, L. B. da; SOUSA, A. de A. Diversity and Integral Human Education: a converging relationship. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 3, p. e7111326442, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i3.26442. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/26442. Acesso em: 15 jun. 2024.

Issue

Section

Education Sciences