Interdisciplinary Activities to enhance the teaching of Natural Sciences

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i6.28798

Keywords:

Science teaching; Playfulness; Interdisciplinarity; Early years; Teaching.

Abstract

This research is bound to the Graduated Program in Science and Mathematics at the Franciscan in the Professional University in the Professional Master's Course in Science and Mathematics Teaching. The research aims to: Understand how playfulness can enhance interdisciplinary teaching in the area of Natural Sciences in the fourth year of elementary school; Reflecting about the importance of interdisciplinarity in learning, understand the development of learning from the perspective of playfulness; Contextualizing the interdisciplinary knowledge of specific Nature Content  in the fourth year of Elementary School.  This study has a qualitative approach and the methodology applied is the Design-Based Methodology which is presented in four phases: analysis of the educational proposition;; deployment of the pedagogical artifact; intervention and deployment of the progress of on design principle.  By means of participant observation, an educational product was developed in agreement with the National Common Curricular Base - BNCC - with the goal of analysing the impact on Learning in Science Teaching. Having the understanding that the Interdisciplinare, the Playfulness and the Science Teaching are of substantial importance to emphasize Learning, because by using Playfulness and their pedagogical practices, the teacher is able to work better in a pleasant way and make the classes more attractive and efficient. This is what was found during the research in the fourth year of Elementary School.

References

Alves, R. (2018). A Educação dos Sentidos. Ed. Planeta do Brasil.

ABNT. (2011). NBR 15287: informação e documentação – projeto de pesquisa – apresentação. Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Bittencourt, L. (2013). A doação de sangue e o ensino de biologia: promovendo a sua articulação através das Tecnologias de Informação e Comunicação a partir da abordagem Ciência, Tecnologia e Sociedade. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Saúde – Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e Saúde) – Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Bizzo, N. (2008). Ciências: fácil ou difícil? (2nd ed.). Ática.

Borges. R. M. R. & Moraes, R. (1998). Educação em Ciências nas Séries Iniciais. Sagra Luzzatto.

Brasil. (2017). Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília, DF, 2017. http://basenacionalcomum.mec.gov.br / imagens/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf.

Brasil. (2015). Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Portaria 389, de 23 de março de 2015. Brasília, 2017b. http://abames.org.br/arquivos/legislacoes/Port-MEC-389-2017-03-23.pdf.

Brasil. (1998). Ministério da Educação. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998. 3v.

Brasil. (2000). Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais: ensino médio. Brasília, DF: MEC/SEMTEC, 2000. http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/BasesLegais.pdf.

Brasil. (1998). Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais

Cachapuz, A. (2011). A necessária renovação no ensino de ciências. (3a ed.), Cortez, 2011.

Carvalho, A. M. P. de. (2018). Fundamentos teóricos e metodológicos do Ensino por Investigação. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências. 2018.

Chassot, A. (2003). Alfabetização Científica: uma possibilidade para a inclusão social. Rev. Bras. Educ. [online]. 2003. http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n22/n22a09.pdf.

Dohme, V. (2003). Atividades lúdicas na educação: o caminho de tijolos amarelos. Vozes, 2003.

Friedmann, A. (2011). Paisagens infantis: uma incursão pelas naturezas, linguagens e culturas das crianças. 2011. 254 f. Tese (Doutorado em Antropologia) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2011. https://tede2.pucsp.br/bitstream/handle/3284/1/Adriana%20Friedmann.pdf.

Kishimoto, T. M. (2011). O jogo e a educação infantil. In: Kishimoto, T. M. (2011). Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. Cortez, 2011.

Krasilchik, M. (1980). Inovação no ensino das ciências. In: Garcia, W. E. (Org.). Inovação educacional no Brasil: problemas e perspectivas. Cortez; Campinas: Autores Associados.

Lorenzetti, L. & Delizoicov, D. (2001). Alfabetização Científica no contexto das Séries Iniciais.

Marques, A. C. T. L & Marandino, M. (2018). Alfabetização Científica, crianças e espaços de educação não formal: diálogos possíveis. Educ. Pesqui. v.44.

Muller, T. J. Pesquisa baseada em design como método investigativo no ensino de ciências e matemática.In: Valderes, M. do R. L. & Harris, J. B. S. & Paula, M. C. de. (org.) (2018). Caminhos da pesquisa qualitativa no campo da educação em ciências: pressupostos, abordagens e possibilidades. Porto Alegre: ediPUCRS.

Nascimento, F do. & Fernandes, H, L. & Mendonça, V. M. de. (2010). O Ensino de Ciências no Brasil: História, Formação de Professores e Desafios Atuais. Revista HISTEDBR on line, Campinas.

Pombo, O. (2005). Interdisciplinaridade e integração dos Saberes. Liinc em Revista, 1(1). http://www.ibict.br/liinc.

Sasseron, L. H. & Carvalho. A. M. P. (2011). Alfabetização Científica: Uma Revisão Bibliográfica. Investigações em Ensino de Ciências. V 16 (1).

Secretaria de Educação da Prefeitura de Santos - SP. Currículo e Educação Integral na Prática: caminhos para a BNCC de Ciências Naturais. [S.D]. British Council. https://educacaointegral.org.br/curriculo-na-educacao-integral/wp-content/uploads/2020/10/caderno-5_caminhos_bncc_ciencias.pdf

Silva, A. da C. T. & Ferreira, F. C. L. & Santos, F. & Silva, A. C. & Fernandes, C. S. (2022). Ensino por Investigação e Ciências Forenses: possibilidades para a alfabetização científica. Research, Society and Development. 11(2).

Silva, É. V. S. & Melo, S. P. & Carvalho, A. V. de. (2021). O ensino de Ciências da Natureza nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Research, Society and Development. 10(15).

Viecheneski, J. P. & Lorenzetti, L. & Carleto, M. R. (2015). A alfabetização científica nos Anos Iniciais: uma análise dos trabalhos apresentados nos ENPECs. In: X ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, Águas de Lindóia. Anais [...]. Águas de Lindóia: ENPEC, 2015. http://www.abrapecnet.org.br/enpec/x-enpec/anais2015/resumos/R0409-1.PDF.

Viecheneski J. P. & Carletto, M. (2013). Por que e para quê ensinar Ciências para crianças. R. B. E. C. T., 6(2).

Zompero, A. F. & Laburu, C. E. (2011). Atividades Investigativas no Ensino de Ciências: Aspectos Históricos e diferentes Abordagens. Revista Ensaio.

Published

23/04/2022

How to Cite

MARTINS, N. R. S. .; NUNES, J. F. . Interdisciplinary Activities to enhance the teaching of Natural Sciences. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 6, p. e13111628798, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i6.28798. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/28798. Acesso em: 25 may. 2022.

Issue

Section

Education Sciences