Cyberculture and the challenges of education in the COVID-19 pandemic

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i7.29564

Keywords:

Teaching; Cyberculture; Education; Pandemic.

Abstract

This work aims to discuss the influence of cyberculture on today's society and understand how educational technological strategies in the period of the Covid-19 pandemic helped the actors in the process. With this, the various tools used in Brazilian education from 2019 to 2021 were analyzed with the purpose of understanding the benefits for the educational process, in addition to problematizing the consequences brought by poorly planned remote teaching due to the lack of public subsidies and educational project. effective. This process accentuated the teaching crisis, as the result was even greater obstacles in the construction of teaching and learning. The perspective used for the research was bibliographic and qualitative with the premise of capturing the questions that arise in an organized and consistent way. In the debate, authors such as Pierre Lévy (1999) were used to discuss technological advances and, in a perspective of critical analysis of the effects of the digital world, Marx (2017) and Marcuse (2007) were worked.

References

Bacich, L., Tanzi Neto, A., & Trevisani, F. M. (2015). Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Penso.

Bates, T. (2017). Educar na era digital: design, ensino e aprendizagem. Artesanato Educacional.

Bernini, D. S. D. (2017). Usos das TICS como ferramenta na prática com metodologias ativas. Em S. R. Dias, & Volpato, A. N. (Orgs.). Práticas inovadoras em metodologias ativas. (pp.102-118). Contexto digital.

Camargo, F. & Daros, T. (2018). A sala de aula inovadora: estratégias pedagógicas para fomentar o aprendizado ativo. Penso.

Carvalho, A. M. P. de, & Gil-Pérez. D. (2011). Formação de professores de ciências: tendências e inovações. Cortez.

Cazeloto, E., & Trivinho. E. (Orgs.). (2009). A cibercultura e seu espelho [recurso eletrônico]: campo de conhecimento emergente e nova vivência humana na era da imersão interativa. ABCiber; Instituto Itaú Cultural.

Farias, I. M. S., Sales, J. O. C. B., Braga, M. M. S. C., & França, M. S. L. M. (2014). Didática e docência: aprendendo a profissão. Liber Livro.

Flick, Uwe. Qualidade na pesquisa qualitativa. São Paulo, Artmed, 2009.

Freire, P. (2013). Pedagogia do oprimido. Paz e Terra.

Freud, S. (1996). O futuro de uma ilusão. Imago.

Freud, S. (1996). O mal-estar na civilização. In S. Freud. Edição Standard das Obras Completas de Sigmund Freud (vol. 21). Rio de Janeiro: Imago.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2021). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua: 2º trimestre de 2021. IBGE.

Lévy, P. (1999). Cibercultura. Editora 34.

Malanchen, J. (2016). Cultura, conhecimento e currículo: contribuições da pedagogia Histórico-Crítica. Autores Associados.

Marcuse, H. Le probléme du changement social dans la societé technologique: suivi de marxisme et Féminisme. Paris, Éditions Homisphères, 2007. Collection Horion Critique, dirigé par Fabien Ollivier.

Marx, K. (2017). O capital: critica da economia política – livro I: o processo de produção do capital. Boitempo.

Minayo, M. C. S. (org.). Pesquisa social: teoria método e criatividade. 17. ed. Petrópolis: Vozes, 1994.

Nova Escola (2020). A situação dos professores no Brasil durante a pandemia. https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/MEWKNnJz3TJ8kKd7UhRpCuVcR95vP4VAEk83JtQSe4cferz85NnUvehrccET/ne-pesquisa-professor-final-1.pdf.

Oxfam Brasil. (2021). O vírus da desigualdade 2021. https://materiais.oxfam.org.br/o-virus-da-desigualdade

Perrenoud, P. (2000). Dez novas competências para ensinar. Artmed.

Piketty, T. (2014). O capital no século XXI. Intrinseca.

Rede brasileira de pesquisa em soberania e segurança alimentar. (2021). Vigisan: Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil. Rede Penssan.

Rede de Pesquisa Solidária (2020). Boletim nº 3. Covid-19: políticas públicas e as respostas da sociedade. https://redepesquisasolidaria.org/nao-categorizado/na-crise-homens-negros-e-mulheres-negras-sao-os-mais-vulneraveis-mas-surgem-novos-vulneraveis-homens-brancos-e-mulheres-brancas-em-servicos-nao-essenciais/

Saldana, P. O impacto da pandemia no abandono escolar no Brasil. Folha de São Paulo, São Paulo, Educação, 22 jan. 2021. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/educacao/2021/01/cerca-de-4-milhoes--abandonaram-estudos-na-pandemia-diz-pesquisa.shtml.

Shiroma, O. E., Moraes, M. C. M., & Evangelista, O. (2011). Política Educacional. Lamparina.

Silva, A. M. (2020). A precarização do trabalho docente no século XXI: o precariado professoral e o professorado estável-formal nas redes públicas brasileiras. Editora CRV.

Published

15/05/2022

How to Cite

SANTOS, A. D. A. dos .; SILVA, J. W. dos S. .; OLIVEIRA , R. V. de . Cyberculture and the challenges of education in the COVID-19 pandemic. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 7, p. e6411729564, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i7.29564. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/29564. Acesso em: 4 jul. 2022.

Issue

Section

Education Sciences