The racialization of school failure in brazilian basic education: bibliographic review (2010-2020)

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i7.29604

Keywords:

Racialização do fracasso escolar; Psicologia escolar; Educação básica; Teaching.

Abstract

This article deals with a literature review on school failure adopting two methodological directions: firstly, a review of the historical landmarks of academic research on school failure was carried out, analyzing previously established categories, namely: a) theoretical and epistemic conceptions in the concerning the theoretical-methodological basis of the works; b) their epistemological and explanatory relationships about the phenomenon studied from ethnic-racial issues; c) who were the subjects questioned in the works regarding the objects of study in question and their methodological design; and d) analyze the educational context researched in the works. Then, the current research on this topic was analyzed, intersected with the school complaint in basic education, with the objective of analyzing the content (words) referring to the titles and abstracts of these studies, focusing on a problematization anchored in content analysis. As a result of this work, the perception about the role of School Psychology in this field of studies is presented, as well as the erasure of ethnic-racial variables regarding the analyzes and problematizations that deal with school failure in Brazilian basic education.

Author Biographies

Caio Araújo dos Santos, Universidade do Estado da Bahia

Pós-graduando em Docência com ênfase em Educação Inclusiva (IFMG – Campus Arcos). Graduado em Psicologia pela Universidade Federal da Bahia (IPS/UFBA), Mestre em Educação e Contemporaneidade (PPGEduC/UNEB).

Cláudio Alves Pereira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais

Professor no curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Docência – IFMG Campus Arcos. Doutorando em Educação na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Mestre em Educação pela Universidade Federal de Lavras (UFLA).

Lívia Alessandra Fialho da Costa, Universidade do Estado da Bahia

Professora Titular do Departamento de Educação e do Programa de Pós-graduação em Educação e Contemporaneidade da Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Antropóloga (UFBA), Mestre e Doutora em Antropologia Social e Etnologia (École des Hautes Études en Sciences Sociales).

References

Angelucci, C. B., Kalmus, J., Paparelli, R. & Patto, M. H. S. (2004). O estado da arte da pesquisa sobre o fracasso escolar (1991-2002): um estudo introdutório. Educação e Pesquisa, 30(1), p. 51-72.

Asbahr, F. S. F., Martins, E. & Mazzolini, B. P. M. (2011). Psicologia, formação de psicólogos e a escola: desafios contemporâneos. Psicologia em Estudo, Maringá, PR, v. 16, n. 1, p. 165-171.

Barbosa, R. M. & Marinho-Araújo, C. M. (2010). Psicologia escolar no Brasil: considerações e reflexões históricas. Estudos de Psicologia, Campinas, SP, v. 27, n. 3, p. 393-402.

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 229p.

Bock, A. M. B. (2003). Psicologia da Educação: cumplicidade ideológica. In: Meira, M. E. M., Antunes, M. A. M. (org.). Psicologia Escolar: teorias críticas. São Paulo: Casa do Psicólogo, p. 70-104.

Bourdieu, P. (1983). O racismo da inteligência. In: Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero. p. 205-208.

Bray, C.T. & Leonardo, N.S.T. (2011). As queixas escolares na compreensão de educadoras de escolas públicas e privadas. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v. 15, n. 2, p. 251-261.

Cavalleiro, E. S. (2003). Do silêncio do lar ao silêncio escolar: racismo, preconceito e discriminação na educação infantil. 3. Ed. – São Paulo: Contexto.

Collares, C. L. & Moysés, M. A. A. (1994). A transformação do espaço pedagógico em espaço clínico (A patologização da Educação). In: Alves, M. L. (coord). Cultura e saúde na escola. São Paulo: FDE, p. 25-31. (Série Ideias, v. 23).

Collares, C. L. & Moysés, M. A. A. (1996). Preconceitos no cotidiano escolar - ensino e medicalização. São Paulo: Cortez Editora.

Dazzani, M.V.M. (2010). A psicologia escolar e a educação inclusiva: Uma leitura crítica. Psicologia, Ciência, Profissão, vol. 30, n.2, p. 362-375.

Dazzani, M. V. M. et al. (2014). Queixa escolar: uma revisão crítica da produção científica nacional. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v. 18, n. 3, p. 421-428.

Freire, K. E. S. & Viégas, L. S. (2018). A queixa escolar em um CAPSi de Salvador-Bahia: uma análise a partir da psicologia escolar crítica. Revista Educação em Questão, v. 56, n. 48, p. 202-226.

Freller, C. C. (2001). Histórias de indisciplina escolar: um trabalho de um psicólogo numa perspectiva Winnicottiana. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Godoy, J.A., Abrahao, R.C. & Halpern, R. (2013). Autopercepção de dificuldades escolares em alunos do ensino fundamental e médio em município do Rio Grande do Sul. Aletheia, Canoas, n. 41, p. 121-133.

Gouveia, A. J. (1971). A pesquisa educacional no Brasil. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 55, n. 122.

Guzzo, R. S. L. (2001). Saúde psicológica, sucesso escolar e eficácia da escola: desafios do novo milênio para a psicologia escolar. In: Del Prette, Z. A. P. (org.). Psicologia escolar e educacional, saúde e qualidade de vida: explorando fronteiras. Campinas, SP: Alínea, 2001. p. 25-42.

Kassar, M. de C. M., Arruda, E. E. de. & Benatti, M. M. S. (2007). Políticas de inclusão: o verso e o reverso de discursos e práticas. In: Jesus, D. M. de. Et al (ed.). Inclusão: práticas pedagógicas e trajetórias de pesquisa. Porto Alegre: Mediação, p. 21-31.

Leite, J. P. (1975). Cor de aluno e reação do professor na escola primária de Salvador. 1975. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador.

Machado, A. M. (1994). A queixa escolar e seus encaminhamentos. Jornal do Conselho Regional de Psicologia da 6ª regiăo, v. 14, n. 87, p. 34-37.

Machado, A. M. (1997). A queixa escolar no alvo dos diagnósticos. Ideias, n. 28, p. 141-158.

Negrão, E. V. & Pinto, R. P. (1990). Olho no preconceito: um guia para professores sobre racismo em livros para crianças. São Paulo: FCC/DPE.

Oliveira, A. D. de. (2015). O negócio está meio devagar com as bichinhas: um caso de queixa escolar em Porto Velho/RO. Rev. EDUCA, Porto Velho, v. 2, n. 3, p. 57-77.

Oliveira, J.L.A.P., Bragagnolo, R.I. & Souza, S.V. (2014). Proposições metodológicas na intervenção com estudantes com queixa escolar. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v. 18, n. 3, p. 477-484.

Patto, M. H. S. (1984). A criança marginalizada para os piagetianos brasileiros: deficiente ou não? Cadernos de Pesquisa, n. 51, p. 3-11.

Patto, M. H. S. (1987). Psicologia e ideologia: uma introdução crítica à psicologia escolar. São Paulo: T. A. Queiroz.

Patto, M.H.S. (1996). A produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia (3a ed.). São Paulo: T.A. Queiroz.

Patto, M.H.S. (2000). Mutações do Cativeiro: escritos de psicologia e política. São Paulo: Hacker Editores/Edusp.

Ratusniak, C. et al. (2017). Problematizado a queixa escolar: efeitos dos discursos psi nos familiares dos alunos em situação de insucesso escolar. Revista Pedagógica, Chapecó, v. 19, n. 40, p. 286 – 301.

Sawaya, B. B. (2002). Novas perspectivas sobre o sucesso e o fracasso escolar. In: Oliveira, M. K. de Sousa. Psicologia, educação e as temáticas da vida contemporânea. São Paulo: Moderna, p. 197-213.

Sawaia, B. B. (2015). Psicologia sócio-histórica: interdisciplinaridade e transformação social – uma relação teórica com Vigotski sem fidelidade opressiva. In: Martins, S. T. F. Psicologia sócio-histórica e contexto brasileiro. Goiânia: PUC Goiás, 2015. p. 11-28.

Saviani, D. (2007). História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas – SP. Autores Associados.

Silva, P. (1988). Escola, espaço de luta contra a discriminação. In: Grupo de trabalho para assuntos afro-brasileiros; Secretaria da educação (org.). Salve 13 de Maio? São Paulo.

Silva, F. H. & Rahme, M. M. F. (2022). A questão da medicalização como um atravessamento à inclusão escolar . Debates em Educação, [S. l.], v. 14, n. 34, p. 66–85.

Soares, D.B. et al. (2015). Influência da atividade física no desempenho motor de crianças com queixas de dificuldades de aprendizagem. Rev. CEFAC, São Paulo, v. 17, n. 4, p. 1132-1142.

Souza, M. P. R. (1997). A queixa escolar e o predomínio de uma visão de mundo. In: Machado, A. M.; Souza, M. P. R. (org.). Psicologia escolar: em busca de novos rumos. São Paulo: Casa do Psicólogo, p. 17-33.

Souza, M. P. R. (2009). Psicologia Escolar e Educacional em busca de novas perspectivas. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), v. 13, n. 1, p. 179-182, jan./jun. .

Trindade, A. L. da. (1994). O racismo no cotidiano escolar. Rio de Janeiro: FGV/IESAE. Dissertação de Mestrado.

Viegas, L.S., Harayama, R.M. & Souza, M.P.R. (2015). Apontamentos críticos sobre estigma e medicalização à luz da psicologia e da antropologia. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 20, n. 9, p. 2683-2692.

Zank, C., Ribeiro, J. A. R. & Behar, P. A. (2015). O significado de crítica e sua relação com a concepção de educação. Currículo sem Fronteiras, v. 15, n. 3, p. 851-877.

Published

14/05/2022

How to Cite

SANTOS, C. A. dos .; PEREIRA, C. A. .; COSTA, L. A. F. da . The racialization of school failure in brazilian basic education: bibliographic review (2010-2020). Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 7, p. e4011729604, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i7.29604. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/29604. Acesso em: 6 jul. 2022.

Issue

Section

Education Sciences