Conceptions about external evaluation present in the narratives of teachers and students: a look at the Aprender Valor Program

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i7.30347

Keywords:

Financial education; Consumer education; Educational market; Teaching.

Abstract

External and large-scale evaluations are consolidated in the current Brazilian context with great influence from globalization and the neoliberal perspective. In this sense, in 2020, a new assessment program began, known as Learning Value (AV), an initiative of the Central Bank of Brazil (BCB), which seeks to stimulate the development of skills and abilities in Financial Education (EF) and Consumer Education (EC) in Brazilian public school students. Thus, this research aims to analyze the conceptions of students and teachers of Elementary School in a school in Rio Grande do Sul, about the AV program. The methodological course traced, starts from a qualitative research, with a descriptive and exploratory bias, carried out from a questionnaire for teachers and students who participated in the AV program. The data produced were categorized, based on Bardin's Content Analysis. The results show different conceptions about the same evaluation process, and the categories that represent the students' conceptions are: I) Objective of the evaluation; II) Superficiality of contents and III) Preparation for evaluation. While the teachers' conceptions about the program were categorized into: I) Relevance of the Value of Learning; II) Teacher training and III) Approach to knowledge about Financial and Consumer Education. However, it was observed that students do not understand the role of these assessments and that teachers live with an overload of projects/programs without being able to appropriate the real intentions of these proposals.

Author Biographies

Kélli Renata Corrêa de Mattos, Universidade Federal de Santa Maria

Mestra e doutoranda em Educação em Ciências pelo Programa de Pós-graduação Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde (PPGECQVS) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Aline Teresinha Walczak, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

Doutoranda em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e Mestra em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde pela Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA). 

Riceli Gomes Czekalski, Universidade Federal de Santa Maria

Mestranda em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde, (PPGECQVS), pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Graduada no curso de Ciências Biológicas - Licenciatura na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Campus Cerro Largo/RS.

Micheli Bordoli Amestoy, Universidade Federal de Santa Maria

Doutora e Mestra em Educação em Ciências pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Pós-doutoranda em Educação em Ciências pelo Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde (PPGECQVS/UFSM).

Poliana Antunes da Rosa, Universidade Federal de Santa Maria

Mestranda em Educação em Ciências pelo Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde (PPGECQVS), da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Especialista em Educação Inclusiva pela Universidade Cruzeiro do Sul (2019) e Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade de Santa Cruz do Sul (2008). 

Luiz Caldeira Brant de Tolentino-Neto, Universidade Federal de Santa Maria

Doutor e Mestre em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Professor do Departamento de Metodologia do Ensino da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde (PPGECQVS/UFSM). Líder do Grupo de Pesquisa IDEIA -Educação em Ciências/ UFSM

References

Afonso, A. J. (2009). Nem tudo o que conta em educação é mensurável ou comparável: Crítica à accountability baseada em testes estandardizados e rankings escolares. Revista Lusófona de Educação, 13(13), 13–29. https://revistas.ulusofona.pt/index.php/rleducacao/article/view/545

Amestoy, M. B., & Tolentino-Neto, L. C. B. (2020). Políticas de avaliação e os organismos internacionais: uma relação necessária? Revista Cocar, 14(18), 824–837. https://doi.org/10.31792/rc.v14i28

Aprender Valor. (2020). Aprender Valor. https://aprendervalor.caeddigital.net/#!/programa

Banco Central do Brasil. (2022). Banco Central do Brasil. https://aprendervalor.bcb.gov.br/site/aprendervalor

Bardin, L. (2011). Análise de Conteúdo. Edições 70.

Bauer, A., Alavarse, O. M., & Oliveira, R. P. d. (2015). Avaliações em larga escala: uma sistematização do debate. Educação e Pesquisa, 41(spe), 1367–1384. https://doi.org/10.1590/s1517-9702201508144607

Brasil (1997). Secretaria da Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: apresentação dos temas transversais, ética. http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/ttransversais.pdf

Brasil (2019). Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Temas Contemporâneos Transversais na BNCC: contexto histórico e pressupostos pedagógicos. http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/implementacao/contextualizacao_temas_contemporaneos.pdf

Brasil. (2022). Pisa. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira | Inep. https://www.gov.br/inep/pt-br/areas-de-atuacao/avaliacao-e-exames-educacionais/pisa

Dias Sobrinho, J. (2004). Avaliação ética e política em função da educação como direito público ou como mercadoria? Educação & Sociedade, 25(88), 703–725. https://doi.org/10.1590/s0101-73302004000300004

Freitas, L. C. d. (2012). Os reformadores empresariais da educação: da desmoralização do magistério à destruição do sistema público de educação. Educação & Sociedade, 33(119), 379–404. https://doi.org/10.1590/s0101-73302012000200004

Gil, A. C. (2002). Como Elaborar Projetos de Pesquisa (4a ed.). Atlas.

Hojas, V. F., & Manfio, A. (2015). Educação de Qualidade: Concepções da Equipe de Gestão e de Docentes Acerca da Organização do Trabalho na Escola e da Avaliação em Larga Escala. Educação em Revista, 15(01). https://doi.org/10.36311/2236-5192.2014.v15n01.4744

Hypolito, A. M. (2010). Políticas curriculares, Estado e regulação. Educação & Sociedade, 31(113), 1337–1354. https://doi.org/10.1590/s0101-73302010000400015

Janisch, A. B. L., & Jelinek, K. R. (2020). Explorando a educação financeira no ensino fundamental: um estudo de possibilidades a partir das orientações da BNCC. Brazilian Journal of Development, 6(7), 48324–48342. https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-468

Kistemann, M. A., Coutinho, C. Q., & Figueiredo, A. F. (2020). Cenários e desafios da Educação Financeira com a Base Curricular Comum Nacional (BNCC): Professor, Livro didático e Formação. Em Teia | Revista de Educação Matemática e Tecnológica Iberoamericana, 11(1). https://doi.org/10.36397/emteia.v11i1.243981

Machado, D., Bueno, D. G., & Monteiro, S. (2019). Um olhar docente sobre os processos de avaliação no contexto escolar. Research, Society and Development, 8(6), e18861032. https://doi.org/10.33448/rsd-v8i6.1032

Perboni, F. (2016). Avaliações externas e em larga escala nas redes de educação básica dos Estados brasileiros / [Text, Presidente Prudente]. http://hdl.handle.net/11449/136441

Rio Grande do Sul. (2021). Escolas da Rede Estadual têm até 31 de julho para aderir ao Programa Aprender Valor do Banco Central. Secretaria da Educação. https://educacao.rs.gov.br/escolas-da-rede-estadual-tem-ate-31-de-julho-para-aderir-ao-programa-aprender-valor-do-banco-central

Rocha, P. D. P. (2020). O dispositivo político educacional das avaliações em larga escala no Brasil e educação em ciências/química: uma análise de produções sobre o Enem nas mídias e em documentos oficiais [Tese de doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul]. repositório lume. https://lume.ufrgs.br/handle/10183/212277

Souza, S. C. d., & Simões, M. S. B. (2007). A mercantilização do ensino fundamental: experiências do quase-mercado educacional. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, 2(1), 81–90. https://doi.org/10.21723/riaee.v2i1.460

Welter, C. B., & Pasini, J. F. S. (2014). Avaliação em larga escala: que avaliação? O que dizem as crianças? In X ANPED SUL (pp. 1–13). UDESC. http://xanpedsul.faed.udesc.br/arq_pdf/1709-0.pdf

Published

03/06/2022

How to Cite

MATTOS, K. R. C. de; WALCZAK, A. T.; CZEKALSKI, R. G.; AMESTOY, M. B.; ROSA, P. A. da; TOLENTINO-NETO, L. C. B. de. Conceptions about external evaluation present in the narratives of teachers and students: a look at the Aprender Valor Program. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 7, p. e53211730347, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i7.30347. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/30347. Acesso em: 4 jul. 2022.

Issue

Section

Education Sciences