Teacher training for basic education in an inclusive perspective of teaching: perceptions and reflections based on national scientific literature

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i10.32905

Keywords:

Teachers; Educational practices; Deficient teacher training; Special students.

Abstract

The study addresses the issue of training basic education teachers to work in inclusive education. The approach to the themes related to education in an inclusive perspective is permeated with complexity due to the paradoxes between the content of the legislation and the difficulties encountered by schools regarding the care of special students. The objective of the study was to elucidate the training of teachers who work in basic education under the aegis of school inclusion. This is a bibliographic, explanatory and qualitative study, with an inductive perspective. The results showed that the training of basic education teachers in Brazil is deficient due to the expansion of higher education courses offered at a distance, which are not always complete enough to prepare a teacher to adequately deal with the situations of their professional practice. This precariousness means that teachers, when faced with special students, do not know what conduct to adopt with a view to promoting learning. The study concludes that, in view of the legislation that proclaims universal access to special students, not only the strengthening of the continuing education of teachers, but also the presence of an efficient school management, which not only undertakes efforts in the preparation of teachers, but of all the school to receive and provide for the progress of special students. It is necessary to understand that the debate on inclusive education in Brazil is recent and evolving, but the actions taken in the present can facilitate the adaptation of schools to this reality that presents itself to them, representing, at the same time, a challenge and an opportunity for improvement. of its institutional mission, which is the formation of citizens.

References

Almeida, Z. V. A. (2020). Desafios da inclusão: a gênese do trabalho e a prática profissional em um centro de educação especializado. InFor, Inov. Form. Rev. NEaD-Unesp, 6(2), 294 – 310.

André, M. (2013). O que é um estudo de caso qualitativo em educação? Revista da FAEEBA, 22(40), p. 95 – 103.

Anjos, H. P., Andrade, E. P., & Pereira, M. R. (2009). A inclusão escolar do ponto de vista dos professores: o processo de constituição de um discurso. Revista Brasileira de Educação, 14(40), p. 116 – 129.

Araripe, N. B. (2012). A atuação do acompanhante terapêutico no processo de inclusão escolar. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Ceará, CE, Brasil. http://repositorio.ufc.br/handle/riufc/6815

Barretto, E. S. S. (2012). Universidade e educação básica: lugares e sentidos de formação de professores. In: Cunha, C., Sousa, J. V., & Silva, M. A. (eds.) Universidade e educação básica: políticas e articulações possíveis. Brasília: Faculdade de Educação; UnB; Liber Livro, p. 179 – 197.

Barretto, E. S. S. (2015). Políticas de formação docente para a educação básica no Brasil: embates contemporâneos. Revista Brasileira de Educação, 20(62), p. 679 – 701.

Borges, W. S. C. (2016). A identidade do professor de educação básica subjetivada pela avaliação externa Prova Brasil. Dissertação de Mestrado, Universidad Federal de Goiás, Jataí, Goiás, GO, Brasil.

https://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/5629

Borges, N. S. D. S. C., da Silva, R. O., & Nascimento, D. (2020). Gestão participativa e padronização em espaços pedagógicos: percepção dos integrantes de uma instituição de educação profissional e tecnológica. Interfaces da Educação, 11(32), 79-105.

Brasil (1988). Constituição Federal da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal.

Brasil (1996). Lei n°9.394, de 20 de dezembro de 1996. Brasília: Senado Federal.

Brasil. (2001) Parecer CNE/CEB N° 17/2001. Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Brasília, 2001.

Brasil (2008). Política Nacional de Educação na Perspectiva Inclusiva. Brasília: MEC.

Brasil (2015). Lei n° 13.146, de 6 de julho de 2015. Brasília: Senado Federal.

Carneiro, R. U. C. (2012). Educação inclusiva na educação infantil. Práxis Educacional, 8(12), p. 81 – 95.

Carneiro, R. U. C. (2016). Educação especial e inclusão escolar: desafios da escola contemporânea. Cadernos de Pesquisa em Educação, 43, p.72 – 87.

Deimlig, N. N. M., & Moscardini, S. F. (2012). Inclusão escolar: política, marcos históricos, avanços e desafios. Revista on line de Política e Gestão Educacional, (12), p. 3 – 21.

Duarte, A. W. B. (2013). Por que ser professor? Uma análise da carreira na educação básica no Brasil. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil.

https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/BUBD-9Q5HTU

Ferreira, J. A. O. A. (2021). Criação de um painel de controle da evasão escolar no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas. Dissertação de Mestrado, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas, Manaus, AM, Brasil.

http://repositorio.ifam.edu.br/jspui/handle/4321/665

Garcia, R. M. C. (2013). Política de educação espacial na perspectiva inclusiva e a formação docente no Brasil. Revista Brasileira de Educação, 18(52), p. 101 – 119.

Gatti, B., Barretto, E. S. S., & André, M. E. D. (2011). Políticas docentes no Brasil: Um estado da arte. Brasília: UNESCO.

Gil, A. C. (2019). Como Elaborar Projetos de Pesquisa.( 7ª ed.): Atlas.

Imbernón, F. (2011). Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. São Paulo: Cortez.

Kramm, D. L. (2019). Políticas de formação de professores da educação básica no Brasil. Dissertação de Mestrado, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil. https://tede.pucsp.br/handle/handle/23046]

Lapa, B. C. (2017). Tecendo um traçado entre autoformação docente e sentidos do trabalho. Dissertação de Mestrado, Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas, AM, Brasil. http://repositorio.ifam.edu.br/jspui/handle/4321/45

Lopes Filho, E. J. B. (202). Práticas pedagógicas no ensino médio integrado: proposição de um catálogo de produtos educacionais na EETEPA, Campus Santarém. Dissertação de Mestrado, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas, Manaus, AM, Brasil. http://repositorio.ifam.edu.br/jspui/handle/4321/617

Lück, H. (2009). Dimensões da gestão escolar e suas competência: Positivo.

Nascimento-e-Silva, D. (2012). Manual de redação para trabalhos acadêmicos: position paper, artigos científicos, questões discursivas. São Paulo: Atlas.

Müller, M. L., & Schwantz, C. (2012). Dificuldades de aprendizagem com aluno TDAH: um estudo de caso. Revista de Educação Dom Alberto, 1(1), p. 67 -82.

Nascimento-e-Silva, D., Brito M. F. S., & Silva, R. O. (2022). Participative management in pedagogical spaces: an analysis of a professional and technological education in the north region of Brazil. Contexto & Educação, 37(116), p. 386 – 402.

Oliveira, E. S., & Martins, L. A. R. (2011). Currículo e diversidade: os desafios da inclusão escolar de alunos com deficiência intelectual. Linhas Críticas, 17(33), p. 309 – 325.

Pereira, S. M. (2009). Educação básica e formação docente no contexto das exigências do mundo do trabalho: a formação por competências em análise. Cadernos de Educação, (33), p. 57 – 79.

Prodanov, C. C., & Freitas, E. C. (2013). Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. (2ª ed.): Editora Feevale.

Ribas, R. T. M., & Olivo, L. C. C. (2016). Adoção de Métodos Científicos como Componente Metodológica e sua explicação nas Dissetações Publicizadas entre 2010 e 2014 de um Programa de Pós-Graduação em Administração. Ciências da Administração, 18 (44), 81-90.

Rosin-Pinola, A. R., & Del Prette, Z. A. P. (2014). Inclusão escolar, formação de professores e a assessoria baseada em habilidades sociais educativas. Rev.Bras..Ed.Esp., 20(3), p. 341 – 356.

Saviani, D. (2009). Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, 14(40), 143 – 155.

Salgado, A. M. (2011). Passos e impasses na inclusão escolar de crianças autistas e psicóticas: da incerteza de saber, a figura do professor e o olhar para o sujeito. Revista Temas em Educação, 20/21(1/2), p. 67 – 87.

Sanchez Junior, S. L., Souza, P. F. C., Assai, N. D. S., & Mikuska, M. I.B. (2022). Um estudo sobre a Síndrome de Down: implicações e desafios para inclusão escolar na educação infantil. Perspectivas em Diálogo: Revista de Educação e Sociedade, 9(19), p. 105 – 121.

Silva, L. C. (2015). Formação de professores: desafios à educação inclusiva. Revista Ibero-Americana de Esudos em Educação, 10(esp.), p. 691 – 701.

Silva, R. O. (2019). Proposta de autocapacitação para coordenadores de graduação. Dissertação de Mestrado, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas, AM, Brasil. http://repositorio.ifam.edu.br/jspui/handle/4321/381

Silva, R. O., Oliveira, E. S., Sá Filho, P., & Nascimento-e-Silva, D. (2019). O ciclo PDCA como proposta para uma gestão escolar eficiente. Revista de Gestão e Avaliação Educacional, 8(17), p. 1 – 13.

Silva, K. J. L., Vinente, S., & Matos, M. A. S. (2016). O trabalho docente e os desafios da inclusão escolar de alunos com deficiência: um estudo em três escolas públicas da cidade de Manaus. Revista de Estudos e Pesquisas sobre Ensino Tecnológico (EDUCITEC), 3, p. 1 – 15.

Tardif, M. (2014). Saberes docentes e formação profissional: Vozes.

Tinti, M. C. (2016). Desenvolvimento profissional docente em uma perspectiva colaborativa: a inclusão escolar, as tecnologias e a prática pedagógica. Tese de Doutorado, Universidade Estadual Paulista, SP, Brasil. https://repositorio.unesp.br/handle/11449/150636

Wallon, H. (2007). A evolução psicológica da criança: Martins Fontes.

Will, D. E. M., Oliveira, E. A. S., & Cerny, R. Z. (2020). A (não) presença da Educação a Distância nas políticas públicas contemporâneas para a formação inicial de docentes da Educação Básica. Revista Educação e Políticas em Debate, 9(1), p. 121 – 136.

Valle, M. R. L., Nascimento, D., & da Silva, S. R. O. (2020). Avaliação participativa nos espaços pedagógicos: análise de uma instituição escolar do Norte do Brasil. Regae-Revista de Gestão e Avaliação Educacional, 9(18), 1-17.

Vinente, S. (2012). O atendimento escolar do aluno com Paralisia Cerebral na rede municipal de ensino em Manaus: a práxis pedagógica no contexto da diversidade. In: Matos, M.A. S. (ed.). Educação Especial, Políticas e Inclusão: desafios da prática e contribuições da pesquisa no NEPPD/UFAM. Manaus: Vitória, p. 185 – 209.

Zabala, A. A prática educativa: como ensinar. Artmed.

Zanella, L. C. H. (2013). Metodologia de pesquisa. Florianópolis: UFSC/Departamento de Ciências da Administração.

Published

02/08/2022

How to Cite

GUIMARAES JUNIOR, J. C. .; SILVA, M. L. A. e .; OLIVEIRA, P. dos S. C. de .; FONSECA , E. J. F. .; ALMEIDA, L. F. .; OLIVEIRA, H. de .; SILVA, S. L. da C. e .; FERNANDES, W. de O. B. .; SALES, R. L. . . Teacher training for basic education in an inclusive perspective of teaching: perceptions and reflections based on national scientific literature. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 10, p. e339111032905, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i10.32905. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/32905. Acesso em: 3 oct. 2022.

Issue

Section

Teaching and Education Sciences