Responsible use of water and waste production of waste in homes during the pandemic (COVID-19): a pedagogical experience in a school located in a rural zone in the Amazon

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i10.33032

Keywords:

Environamental education; Pandemic; Natural resources.

Abstract

Introduction:  This work brings reflections about the use of water, energy, and waste production of a group of students from a public school in a school located in a rural area of Rondônia and aimed at thinking about environmental questions without ignoring the dynamics of the current scenario. Methods: The first step relied on remote meetings with the students of the previously mentioned schools. Further, educational materials were elaborated. The activities were applied using the following tools: Whatsapp for individual talks and orientations; Google Meet: for group discussions. The themes addressed in the classes were: “Water; conscient use of energy and production of waste”. Results and Discussion: The analysis enabled us to observe important consequences generated by the pandemic. Of 45 students, 21 reported to have consumed up to 5 liters of water/minute during baths. With respect to electric energy, 40 students related the decrease in energy consumption with financial saving. With respect to waste production, 80% reported to have burnt the waste and 27% reported that the organic waste is used for animal feed and as fertilizers for plants. Many students were surprised to know the how much water they spend in their homes. With respect to energy consumption decrease, the students had difficulty in saving energy. Regarding waste disposal, the majority reported doing it the wrong way. Conclusion: The activities developed proved to be relevant for students' understanding of water, electricity and waste generation.

References

Almeida, R., C. (2003). A Questão Hídrica e a Construção de um Planejamento Urbano Sustentável e Partícipe: o caso da cidade de São Carlos. Uso e Gestão dos Recursos Hídricos no Brasil, 203, 239-253.

Alonso, L. (2020). Consumo de água aumentou na pandemia. 1 Vídeo (2min45s). Publicado pelo canal Record TV Interior RJ. Youtube, 25 de maio 2020. https://www.youtube.com/watch?v=IMOFLpf6574.

Aoyama, E. S., Souza., I., & Ferrero., W., B. (2007). Análise de consumo e desperdício de água em atividades diárias por alunos da Unicamp. Revista Ciências do Ambiente OnLine, 3(2), 15-20.

Baumann, Z. Vida para o consumo: Jorge Zahar Ed. 2008.

Bezerra., A. C. V. (2020). Fatores associados ao comportamento da população durante o isolamento social na pandemia de COVID-19. Ciências. saúde coletiva, 25(1).

Borges, R. P. (2020)a. Pandemia da Covid-19 provoca aumento da produção de lixo doméstico e hospitalar. 1 Vídeo (3:57 min). Publicado pelo canal SBT no interior Youtube, 16 abril 2020. https://www.youtube.com/watch?v=oQRoVWmNZNU.

Brasil, Agência Nacional de águas – ANA. Estudo da ANA aponta perspectiva de aumento do uso de água no Brasil até 2030. DF, 2020.

Brasil. (2020)b. Prefeitura Municipal de Porto Velho. Saneamento Básico. Após décadas, município avança nos planos de Saneamento e de Gestão de Resíduos Sólidos. https://www.portovelho.ro.gov.br/artigo/27389/saneamento- basico-apos-decadas-municipio-avanca-nos-planos-de-saneamento-e-de-gestao-de- residuos-solidos.

Bringhenti, J. (2004). Coleta seletiva de resíduos sólidos urbanos: aspectos operacionais e da participação da população. Tese de Doutorado apresentada ao Departamento de Saúde Ambiental, da Faculdade de Saúde Pública, da Universidade de São Paulo, São Paulo- SP.

Brum, A, B., N. (2009). Repensando O Consumismo: Uma Reflexão Sobre A Necessidade De Um “Consumo Responsável”. Monografia apresentada ao Curso de Especialização do programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental, da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM, RS).

Cavalcante, C. S. (2013). Educação Ambiental e Consumo Sustentável: uma proposta contra a cultura do desperdício no âmbito escolar. Dissertação apresentada ao programa Regional de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB, PB).

Cheung, P. B. (2009). Consumo de água. In: Gonçalves, R. F. Uso racional de água e energia Conservação de água e energia em sistemas prediais e públicos de abastecimento de água. Rio de Janeiro: ABES. 36-98.

Conceição, L. P. (2010). Educação para o consumo sustentável. Monografia apresentada ao Curso de Especialização do Instituto A Vez do Mestre, da Universidade Candido Mendes, Salvador, BA.

Costa, B. S., Diz, J. Mata., & Oliveira, M. L. (2018). Cultura de consumismo e geração de resíduos. Revista Brasileira de Estudos Políticos, 11(116), 159-183.

Godecke, M. V., Naime, R. H., & Figueiredo, J. A., S. (2012). O consumismo e a geração de resíduos sólidos urbanos no Brasil. Rev. Eletronica. em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, 8(8), 1700-1712.

Hansen, A. M., Dreher., & Sattler, M., A. (2000). Padrões de consumo de Energia Elétrica em diferentes tipologias de Edificações Residenciais, em Porto Alegre. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil.

Kobiyama, M., Minella, J., P., G., & Fabris, R. (2011). Áreas Degradadas e sua recuperação. Informe Agropecuário. Recuperação de Áreas degradadas Belo Horizonte, 22(210), 10-17.

Lima, E. T., D., Argenton, J., & Adame, A. (2020). O reuso da água como forma de sustentabilidade para diminuição da escassez. In: Anais (on –line), VI Congresso Internacional e VIII Simpósio Jurídico da AJES. 24 e 25, 2018, Juína, MT. http://www.site.ajes.edu.br/congre/arquivos/20161204220144.pdf.

Loureiro, C. F. B. (2002). Educação Ambiental e movimentos sociais na construção da cidadania ecológica e planetária. In: Loureiro, C. F., Layrargues, P. P. Educação Ambiental: repensando o espaço da cidadania. São Paulo: Cortez.

Löwy, M. (2009). Ecossocialismo e planejamento democrático. Crítica Marxista, (28), 35-50.

Ludke, M., & Andre, M. E. D. A. (2013). Pesquisas em educação: uma abordagem qualitativa. E.P.U.E.

Ludke, M. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986. https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4091392/mod_resource/content/1/Lud_And_cap3.pdf.

Medeiros, A. B. (2011). A Importância da Educação Ambiental na escola nas séries iniciais. Revista Faculdade Montes Belos. 4(1).

Menezes, C. P. S. (2015). Conscientização e promoção do consumo sustentável de água nos anos finais do ensino fundamental. 2015. 60 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização) – Universidade de Brasília, Brasília-DF.

Minayo, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. (8ª. Ed): Hucitec, 2004.

Moura, J. (2008). A Importância da Educação Ambiental na educação infantil. www.webartigos.com/articles/2717/1/desafios- daeducacaoambiental-para-educacao-infantil/ pagina1.html.

Pereira, M. A., & Fernandes, S. A., S. (2013). Consumo sustentável e as questões ambientais: concepção de estudantes do curso técnico em curtimento. In: Anais (on – line), VII EPEA - Encontro Pesquisa em Educação Ambiental. 07 a 10 de julho 2013, Rio Claro, SP. http://www.epea.tmp.br/epea2013_anais/pdfs/plenary/0131-1.pdf.

Pertel, M. (2009).Caracterização do uso da água e da energia associada à água em uma edificação residencial convencional e uma dotada de um sistema de reuso de águas cinza. Centro Tecnológico em Engenharia Ambiental, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória.

Piccoli, A. S. (2016). A Educação Ambiental como estratégia de mobilização social para o enfrentamento da escassez de água. Ciênc. saúde coletiva, 21(3), 797-808.

Pimenta, L. (2020). Dicas para economizar energia elétrica na pandemia. 1 Vídeo (2min 48 s). Publicado pelo canal Jornal da Alterosa. Youtube, 8 maio 2020. https://www.youtube.com/watch?v=UzmsvvRe9nw.

Polit, D. T., & Hungler, B. P. Fundamentos de pesquisa em enfermagem. (3ª. ed.): Artes médicas, 1996.

Ramos, R. C., Barbosa, A. C., C., & Latini, R. M. (2018). Ensino de matemática e a temática ambiental. Revista Tecnologia & Cultura, (31), 06-13.

Ribeiro, G. A. (2004). Estratégias de prevenção contra os incêndios florestais. Revista floresta, 34 (2), 234-247, 2004.

Sabadinho, A., & Filardi, P. R., M. (2018). Cultura do reaproveitamento de materiais orgânicos e inorgânicos. Monografia apresentada ao Curso, do Centro Universitário Toledo, Araçatuba.

Schio, S. S. (2016). Estudo de caso acerca da destinação do lixo doméstico conscientização ambiental em restinga SÊCA - RS. BOLETIM GEOGRÁFICO DO RIO GRANDE DO SUL, Porto Alegre, (27), 9-29.

Silva, E. (2014). Almeida da et al. Educação Ambiental voltada para a reutilização e reciclagem dos resíduos sólidos no ambiente escolar: um estudo de caso no ensino fundamental em Recife (PE). Revista bea, 9(2) 412-423.

Souza, W. K. A. (2020). Trabalho-educação, economia e cultura em povos e comunidades tradicionais: a (re)afirmação de modos de vida como forma de resistência. Tese de Doutorado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal Fluminense. Niterói.

Stefaniak, J. N. (2011). A miragem da sustentabilidade ambiental no capitalismo. Tese (Doutorado em Direito). Universidade Federal do Paraná. Curitiba.

Trein, E; Barreto, M. (2012). Educação Ambiental e a formação de professores. Revista Aleph.

Trindade, D. P., Festa, E., Claro, J. A., S. (2018). Consumo responsável: da lógica do mercado atual à educação para o consumo e produção consciente no futuro. Educação Ambiental em Ação. (43).

Walbert, A. Agricultura é quem mais gasta no Brasil e no mundo. Portal EBC. https://www.ebc.com.br/noticias/internacional/2013/03/agricultura-e- quem-mais-gasta-agua-no-brasil-e-no-mundo.

Published

02/08/2022

How to Cite

ALBINO, A. M. .; FIALHO, S. N. .; SOUZA, W. K. do A. .; SILVA, M. A. da . Responsible use of water and waste production of waste in homes during the pandemic (COVID-19): a pedagogical experience in a school located in a rural zone in the Amazon. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 10, p. e337111033032, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i10.33032. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/33032. Acesso em: 4 oct. 2022.

Issue

Section

Teaching and Education Sciences