Inclusion, Medicalization and the Production of Subjectivity: a literature review on school management and micropolitics

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i10.33050

Keywords:

Subjectivity; Educational inclusion; School management; Otherness.

Abstract

The present article aimed to conduct a literature review to analyze publications on school management in the context of inclusive education, using the search terms: "school management" and "inclusion" and "disability" and "micropolitics" and "subjectivity production", in the search portal Google Academic. The results showed a total of 3350 publications, with a cut from the year 2017 1330 publications were found, of these only articles were selected, since part of the results referred to master's dissertations and doctoral theses, as well as e-books, among other links. Of this total, only 09 articles dealt with the theme of subjectivity production. In the analyses, we found approaches about the importance of care, of welcoming, about the excessive referral of students by the school due to the abnormality that considers the students with deviation from the standard. We observed that researchers who set out to investigate this theme took a political stand against the atrocities to life that this performance society has imprisoned us, leading us to see and recognize otherness as a singular expression of life.

Author Biography

Tarcísio Mendel Almeida, Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial

Master in Teaching from the Fluminense Federal University (UFF), Santo Antônio de Pádua-RJ. Professor at the National Service for Commercial Learning (SENAC-RJ).

References

Aguiar, K. F., & Rocha, M. L. (2007). Micropolítica e o exercício da pesquisa-intervenção: Referenciais e dispositivos em análise. Psicologia: Ciência e Profissão, 27(4), 648-663. https://doi.org/10.1590/S1414-98932007000400007

Angelucci, Carla Biancha. (2014). Medicalização das diferenças funcionais–continuísmos nas justificativas de uma educação especial subordinada aos diagnósticos. Nuances: estudos sobre Educação, v. 25, n. 1, p. 116-134. https://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/274]

Ball, Stephen J. (2009). Palestra: Ciclo de Políticas / Análise Política. Rio de Janeiro: Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Barbosa, Mariana de Barros; Leite, César Donizetti Pereira. (2020). Infância e patologização: contornos sobre a questão da não aprendizagem. Psicologia Escolar e Educacional, v. 24. https://www.scielo.br/j/pee/a/bR64Cw5rszyrGckvvHSxFvn/?lang=pt

Brasil. (2014). Nota Técnica nº. 4. Brasília. http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=15898-nott04-secadi-dpee-23012014&category_slug=julho-2014-pdf&Itemid=30192

Brasil. (2008). Ministério Da Educação. Política Nacional De Educação Especial Na Perspectiva Da Educação Inclusiva. Brasília. http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf

Brasil. (2001). Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. 2 ed. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial. http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=13448-diretrizes-curiculares-nacionais-2013-pdf&Itemid=30192

Caliman, Luciana Vieira; César, Janaína Mariano; Kastrup, Virgínia. (2020). Práticas de cuidado e cultivo da atenção com crianças. Revista Educação, Artes e Inclusão, v. 16, n. 4, p. 166-195. https://www.revistas.udesc.br/index.php/arteinclusao/article/view/17887

Chaves, Felipe Alan Mendes; Caliman, Luciana Vieira. (2017). Entre saúde mental e a escola: A gestão autônoma da medicação. Revista Polis e Psique, v. 7, n. 3, p. 136-160. https://seer.ufrgs.br/index.php/PolisePsique/article/view/75328

Conrad, P. (1975). The discovery of hyperkinesis: notes on the medicalization of deviant behavior. Soc. Probl., v. 23, n.1, p. 12-21.

Conrad, P. (2006). Expansion: from hyperactive children to adult ADHD. In: CONRAD, P. (org.). The medicalization of society: on the transformation of human conditions into treatable disorders. Baltimore: Johns Hopkins University Press, p.46-69.

Cordeiro, A. M.; Oliveira, G. M.; Renteria, J. M. & Guimarães, C. A. G. (2007). Revisão sistemática: uma revisão narrativa. Rev. Col. Bras. Cir. 34(6), p. 428-431. https://www.scielo.br/j/rcbc/a/CC6NRNtP3dKLgLPwcgmV6Gf/?lang=pt

Couto, M. (2012). Política de Saúde Mental para crianças e adolescentes: especificidades e desafios da experiência brasileira (2001-2010). Tese de doutorado, Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IPUB-UFRJ), Rio de Janeiro. http://objdig.ufrj.br/52/teses/796154.pdf

Deleuze, Giles.; Guattari, Felix. (1995). Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: 34. v. 2.

De Oliveira, Débora Nascimento; Bassani, Elizabete; Ronchi Filho, Jair. (2020). Discursos medicalizantes na educação infantil: Problematizações em torno da educação especial. Educação, Sociedade e Culturas, n. 57, p. 223-241. https://www.fpce.up.pt/ciie/sites/default/files/13%20De%C3%94%C3%B2%C3%A1u%E2%95%A0%C3%AAbora%20Oliveira%2C%20Elizabete%20Bassani%20%26%20Jair%20Ronchi%20Filho.pdf

Foucault, Michel. (1987). Vigiar e punir. Petrópolis: Vozes.

Freitas, Flaviane Pelloso Molina; De Oliveira, Jáima Pinheiro. (2021). Formação e atuação do gestor escolar na perspectiva da Educação Inclusiva. Imagens da Educação, v. 11, n. 1, p. 133-155. https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ImagensEduc/article/view/50486

Gallo, Sílvio. (2000). Transversalidade e educação: pensando uma educação não-disciplinar. In Aves, Nilda. & Garcia, Regina Leite (Orgs.). O Sentido da Escola. Rio de Janeiro: DP&A.

Guattari, Félix. (1985). Revolução Molecular: pulsações politicas do desejo. São Paulo, Brasiliense.

Ingold, T. (2018). Anthropology and/as education. Routledge: New York, p. 94.

Larrosa, Jorge. (2018). Tremores: escritos sobre experiência. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 1 ed.

Mantoan, M. T. E. (2003). Inclusão escolar: o que é? Por quê? Como fazer? São Paulo: Moderna.

Marafon, Giovanna; Souza, Marina Castro; Nicolaiewsky, Clarissa de Arruda. (2020). Encontros entre deficiência, infância e formação docente: Contribuições para enfrentar a medicalização da educação no presente. Educação, Sociedade e Culturas, n. 57, p. 166-183. https://www.fpce.up.pt/ciie/sites/default/files/10%20Giovanna%20Marafon%2C%20Marina%20Souza%20%26%20Clarissa%20Nicolaiewsky.pdf

Minayo, Maria Cecília de Souza (2001). Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. 18 ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

Moraes, M. (2010). Exercícios de ver e não ver: arte e pesquisa com pessoas com deficiência visual. Rio de Janeiro: Nau Editora.

Moysés, Maria Aparecida A.; Collares, Cecília. (2010). Dislexia e TDAH: uma análise a partir da ciência médica. In: Conselho Regional de Psicologia, Grupo Interinstitucional Queixa Escolar (Orgs.). Medicalização de Crianças e Adolescentes - conflitos silenciados pela redução de questões sociais a doenças de indivíduos. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Nacinovic, Rafaela do Carmo Pacheco; Rodrigues, Maria Goretti Andrade. (2020). Medicalização da educação especial: Tensões na inclusão. Educação, Sociedade e Culturas, n. 57, p. 203-221.

Nascimento, Ladislau Ribeiro do. (2019). Encuentros posibles entre psicología y educación para la inclusión escolar. Arquivos Brasileiros de Psicologia, v. 71, n. 1, p. 6-18. http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-52672019000100002&lng=pt&nrm=iso

Ortega, F.; Zorzanelli, R.; Gonçalves, P. V. (2018). Academic and professional Tensions and debates around ADHD in Brazil. In: Bergey, M.; Filipe, A.; CONRAD, P.; SINGH, I. (eds.).Global perspectives on ADHD: Social dimensions of diagnosis and treatment in sixteen countries, Baltimore: Johns Hopkins University Press, p. 186-207.

Pelbart, P-P. (2013) O avesso do niilismo: cartografias do esgotamento. São Paulo: N-1 Edições.

Pletsch, Márcia Denise; De Paiva, Carla. (2018). Por que as escolas continuam “laudando” alunos com deficiência intelectual?. Revista Educação Especial, v. 31, n. 63, p. 1039-1079. https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/32902

Santos, Boaventura de Souza. (2014). Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes.In: Santos, B. D. S., Meneses, M. P. G., (Orgs.) Epistemologias do Sul. Coimbra; Almedina e CES/UC, p. 23-71.

Published

05/08/2022

How to Cite

ALMEIDA, T. M. .; RODRIGUES, M. G. A. . Inclusion, Medicalization and the Production of Subjectivity: a literature review on school management and micropolitics. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 10, p. e400111033050, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i10.33050. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/33050. Acesso em: 30 nov. 2022.

Issue

Section

Review Article