Creation of an academic league of medicine and bioethics: an experience report

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i11.33282

Keywords:

Ethics; Teaching; Medical Education; Academic leagues.

Abstract

Introduction: The Academic Leagues are student groups that aim to improve the study and skills acquired during graduation in a specific area of knowledge under the supervision of an advisor. This study aims to report the experience during the creation and legal regularization of an Academic League of Medicine in the field of Bioethics. Methodology: It is a qualitative, descriptive type of research that will report retrospectively the motivation, the technical, administrative, and legal procedures involved in the creation and regularization of a league. Results: In the current study, participation in an AL is something that grows gradually, proof of which are the impacts caused on the undergraduate student. Participating in this project is a benefit of high power in the curriculum and an excellent opportunity to improve the knowledge about the subject in focus. Furthermore, this study describes how the contribution of participation and organization in an academic league is a factor of mutual appreciation due to the exchange of knowledge and experiences, which are positive points in personal and professional formation. Conclusion: The present study evidence and concludes that the path of the whole process is arduous and that the presence of very scarce literature shows how fundamental it is to cultivate the development of studies that aim at this description of experience since experience coming from LABERN, the founding directors have become proactive, persistent, and admiring members of the axes of Bioethics.

References

ABLAM. (2019). Estatuto da ABLAM. Associação Brasileira de Ligas Acadêmicas de Medicina (ABLAM). https://ablam.org.br/estatuto-da-ablam/.

Andreoni S., Rangel D. C., Barreto, G. C. B. G. S., Rodrigues, R. H. I., Alves, H. M. T., & Portela, A. P. (2019). O perfil das ligas acadêmicas de angiologia e cirurgia vascular e sua eficácia no ensino da especialidade. Jornal Vascular Brasileiro. 18: e201800

Buboltz, F. L., Neves, E. T., Arrué, A. M., Silveira, A. D., & Jantsch, L. B. (2014). Health education as a managerial competence of nurses in child health services: an integrative review. Revista enfermagem UFPE on line. 8(4), 1038-47.

Carvalho, C. R. A, Lopes, R. E; Dias, M. S. A.; Ximenes Neto, F. R. G..; Farias, Q. L. T & Pedroza, A. S. (2019) Contribuição das Ligas Acadêmicas para Formação em Enfermagem. Enfermagem em Foco. 10(6).

Cavalcante, A. S. P., Vasconcelos, M. I. O., Lira, G. V., Albuquerque, I. N. M., Maciel, G. P., Ribeiro, M. A., & Gomes, D. G. (2018). As Ligas Acadêmicas na Área da Saúde: Lacunas do Conhecimento na Produção Científica Brasileira. Revista Brasileira de Educação Médica. 42(1), 197-204.

Ferreira, S. (2020). Ética em tempos de covid-19. Residência Pediátrica. 10(2), 1-5.

Ferreira, R., Amaral, W., Alves, R., Filho, G., & Vencio, P. (2021). Ética Em Ginecologia e Obstetricia - Ética Médica E Bioética. http://www.flip3d.com.br/pub/cfm/index6/#page/22.

Ferreira, D. A. V., Aranha, R. N., & De Souza, M. H. F. O. (2011). Ligas Acadêmicas: uma proposta discente para ensino, pesquisa e extensão. Interagir: pensando a extensão. n. 16.

Franco, M. A. S., & Pimenta, S. G. (2016). Didática multidimensional: por uma sistematização conceitual. Educação & Sociedade. 37(135), 539-553.

Freire P. (1996) Pedagogia da autonomia. Paz e Terra.

Grisard, N. (2002) “Ética Médica e Bioética: a Disciplina Em Falta na Graduação Médica.” Revista Bioética. 10(1).

Lopes, M. V. O. (2012). Sobre estudos de casos e relatos de experiências. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste. 13(4):1-2.

Mercês, M. O., Almeida, R. C. J., Cerqueira, A. C. S., Silva, A. S. R., Cordeiro, M. J. S., Santos, R. R., Santos, T. L. J. P., & Ferreira, S. C. (2019). Ação de extensão de uma liga acadêmica: ensinando primeiros socorros. Revista eletrônica extensão em debate. 2(1), 142-156.

Minayo, M. C. S. (2013). O desafio do conhecimento: Pesquisa qualitativa em saúde: Hucitec.

Monteiro, R. S. F., & Silva, A. Jr. (2019). Diretivas antecipadas de vontade: percurso histórico na América Latina. Revista bioética. 27(1):86-97.

Organização Pan-Americana da Saúde. (2020). Histórico da pandemia de covid-19. https://www.paho.org/pt/covid19/historico-da-pandemia-covid-19

Pêgo-fernandes, P. M., & Mariani , A. W. (2011). O ensino médico além da graduação: ligas acadêmicas. Diagn Tratamento. 16(2), . 50-1.

Peres, C. M. (2006). Atividades extracurriculares: percepções e vivências durante a formação médica. Mestrado [Dissertação] – Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo.

Silva, S. A., & Flores, O. (2015). Ligas Acadêmicas no Processo de Formação dos Estudantes. Revista Brasileira de Educação Médica. 39(3), 410-25.

Silva, S. A., & Flores, O. (2015). Ligas Acadêmicas no Processo de Formação dos Estudantes. Revista Brasileira de Educação Médica. 39(3):410-417

Torres, A. R., Oliveira, G. M., Yamamoto, F. M., & Lima, M. C. P. (2008). Ligas acadêmicas e formação médica: Contribuições e desafios. Interface – Comunicação Saúde e Educação. 12(27), 713-720.

Published

04/09/2022

How to Cite

FREITAS, M. T. O. de; COSTA, M. C. O. da; GRUNEWALD, M. C. C. . Creation of an academic league of medicine and bioethics: an experience report. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 11, p. e341111133282, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i11.33282. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/33282. Acesso em: 28 sep. 2022.

Issue

Section

Health Sciences