Theater and storytelling in Early Childhood Education: analysis of the production of graduate studies in Physical Education

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i11.33343

Keywords:

Basic Education; Languages; Child; Child protagonism.

Abstract

The present study aimed to analyze what postgraduate studies in Physical Education in Brazil have produced on pedagogical practices with theater and storytelling in Early Childhood Education. This was bibliographic research, carried out in the Capes Theses and Dissertations Catalog and the Brazilian Digital Library of Theses and Dissertations. The study corpus consists of 58 works (51 dissertations and seven theses). In the process of data analysis, bibliometric indicators and thematic analysis were mobilized. In the thematic dimension, the results found were grouped into six analytical categories: 1) child protagonism; 2) pedagogical mediation; 3) teacher training; 4) theoretical discussion; 5) motor development; 6) inclusion and routine. The results indicate an increase in production from 2007, which may be related to the increase in the number of graduate programs in Physical Education and the achievements in the field of public policies for children. Despite being recognized as potent languages ​​in Early Childhood Education, storytelling and theater appear peripherally in most of the works analyzed. There is little emphasis on the didactic-methodological dimension of dealing with these languages ​​and little visibility for children's authorial productions and practices about this knowledge.

References

Aberastury, A. (1992). A criança e seus jogos. Porto Alegre: Artes Médicas.

Abramovich, F. (1989). Literatura infantil: gostosuras e bobices. São Paulo: Scipione.

Abrão, R. K. (2011). O espaço e o tempo da infância no período de transição da educação infantil para os anos iniciais. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Escola Superior Educação Física, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas. Disponível em: < http://guaiaca.ufpel.edu.br/bitstream/prefix/6513/1/Dissertacao_Ruhena_Abrao.pdf>.

Arantes, M. M. (2003). Educação Física Infantil: Concepções e Práticas de Professores. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Faculdade Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. Disponível em: <http://repositorio.unicamp.br/Acervo/Detalhe/280969>.

Araújo, F. Z. (2019). Aspectos relacionais da criança com autismo em situação de brincadeira. Dissertação (mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Centro de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória. Disponível em: <https://repositorio.ufes.br/handle/10/11231>.

Araújo, K. C. A. de. (2018). Jogos tradicionais e percepção ecológica das cores nas aulas de educação física. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa Associado de Pós-Graduação em Educação Física, Universidade de Pernambuco/ Universidade Federal da Paraíba, Recife. Disponível em: <https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/13056?locale=pt_BR#:~:text=Reposit%C3%B3rio%20Institucional%20da%20UFPB,-Reposit%C3%B3rio%20Institucional%20da&text=O%20objetivo%20foi%20analisar%20como,um%20per%C3%ADodo%20de%20dois%20meses.>.

Assis, L. C. de. (2015). Por uma perspectiva pedagógica para intervenção da Educação Física com a educação infantil. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Centro de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória. Disponível em: <https://repositorio.ufes.br/handle/10/7284>.

Aveiro, J. F. H. (1995). As expressões simbólicas nas atividades lúdicas com crianças na pré-escola. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Faculdade Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. Disponível em: < http://repositorio.unicamp.br/Acervo/Detalhe/102463>.

Ayoub, E. (2001). Reflexões sobre a educação física na educação infantil. Revista Paulista Educação Física, 4, 53-60.

Barbosa, M. C. S. (2000). Por Amor e Por Força: Rotinas na educação infantil. Tese (Doutorado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

Barbosa, R. F. M. (2018). Hibridismo brincante: um estudo sobre as brincadeiras lúdico-agressivas na educação infantil. Tese (Doutorado em Educação Física). Programa de Pós-graduação em Educação Física, Centro de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória. Disponível em: <https://repositorio.ufes.br/handle/10/7317>.

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. Lisboa, Portugal: Edições 70.

Beltrame, T. S. (2000). O jogo e o desenvolvimento psicossocial de escolares com 5 anos de idade: um estudo orientado pela teoria dos sistemas ecológicos. Tese (Doutorado em Ciência do Movimento Humano). Programa de Pós-graduação em Ciência do Movimento Humano, Centro de Educação Física e Desportos, Universidade Federal Santa Maria, Santa Maria.

Bernardi, V. D. (2017). Jogos tradicionais nas aulas de Educação Física infantil: possibilidades pedagógicas. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Centro de Educação Física e Desportos, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria. Disponível em: < https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/12378/DIS_PPGEF_2017_BERNARDI_VERIDIANA.pdf?sequence=1&isAllowed=y>.

Berto, R. C. (2008). Regenerar, civilizar, modernizar e nacionalizar: a educação física e a infância em revistas nas décadas de 1930 e 1940. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Centro de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória. Disponível em: <https://repositorio.ufes.br/handle/10/4605>.

Blanco, B. D. B. (2014). Criança, tarefa e meio ambiente na instituição de ensino infantil em uma cidade do interior de São Paulo. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Curso de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação Física, Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba. Disponível em: < https://iepapp.unimep.br/biblioteca_digital/pdfs/docs/18052015_172042_barbaradetoniborbablanco_ok.pdf>.

Brasil. (1996) Lei nº 9.394, de dezembro de 1996. Presidência da República. Casa da República Civil. Subchefia para assuntos jurídicos. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm

Brasil. (2008). Lei nº 11.738, de 16 de julho de 2008. Institui o piso salarial profissional do magistério. Diário Oficial da União. Brasília, 17 jul. 2008. Seção 1, p. 1.

Brasil. (2009). Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação.

Brasil. (2013). Diretrizes curriculares nacionais para a educação básica. Brasília: Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica.

Brasil. (2014). Plano Nacional de Educação. Brasília: Ministério da Educação.

Brasil. (2016). Medida Provisória nº 746. Brasília, 22 set. 2016.

Brasil. (2018). Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Ministério da Educação.

Brolo, A. L. R. (2008). Desenvolvimento infantil e vivências lúdicas sob a ótica da teoria bioecológica. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Curso de Pós Graduação Stricto Sensu em Educação Física, Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba. Disponível em: < https://iepapp.unimep.br/biblioteca_digital/pdfs/2006/LTCBAYXPRLGX.pdf>.

Buss-Simão, M. (2009). A dimensão corporal: implicações no cotidiano da educação da pequena infância. Revista Internacionalde Investigación en Educación, 2(3), 129-140.

Buss-Simão, M., Medeiros, F. E., Silva, A. M. & Silva Filho, J. J. (2010). Corpo e infância: natureza e cultura em confronto. Educação em Revista, 26(3), 151-168.

Carvalho, A. F. de. (2015). Professores do ensino infantil, práticas corporais e a inclusão de crianças com necessidades especiais em um município do Estado do Tocantins. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba. Disponível em: < https://iepapp.unimep.br/biblioteca_digital/pdfs/docs/27052015_165531_alexandrefreitasdecarvalho_ok.pdf>.

Corsaro, W. A. (2009). Reprodução interpretativa e cultura de pares. In: Müller, F., Carvalho, A. M. A. (orgs.). Teoria e prática na pesquisa com crianças: diálogos com Willian Corsaro. Cortez Editora, 31-50.

Chicon, J. F., Huber, L. L., Albiás, T. R. M., Sá, M. G. C. S. & Estevão, A. (2016). Educação Física e inclusão: a mediação pedagógica do professor na brinquedoteca. Movimento, 22(1), 279-292.

Côco, V. (2013). Interfaces da formação inicial com a educação infantil: aprendizagens recíprocas. In: Rangel, I. S., Nunes, K. R., Côco, V. (orgs.). Educação infantil: redes de conversações e produções de sentidos com crianças e adultos. De Petrus, 107-123.

Côco, V. (2015). Docência na educação infantil: de quem estamos falando? Com quem estamos tratando? In: Flores, M. L. R., Albuquerque, S. S. (org.). Implementação do Proinfância no Rio Grande do Sul: perspectivas políticas e pedagógicas. Porto Alegre: EDIPUCRS, 143-160.

Costa, A. R. (2011). Crianças, o que elas querem e precisam do mundo, do adulto e delas mesmas?. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Centro de Desportos, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. Disponível em: < https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/95660/289955.pdf?sequence=1&isAllowed=y>.

Daronch, H. dos S. (2016). Proposta interventiva no desempenho de variáveis cognitivas e motoras de pré-escolares. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Centro de Educação Física e Desportos, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria. Disponível em: < https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/13032/DIS_PPGEF_2016_DARONCH_HEITOR.pdf?sequence=1&isAllowed=y>.

Duarte, L. C. (2021). Educação Física cultural na Educação Infantil: imagensnarrativas produzidas com professoras e crianças nos/dos/com os cotidianos de uma EMEI Paulistana. Tese (Doutorado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Dudeck, T. S (2014). Educação física escolar na educação infantil: a formação em questão. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Faculdade de Educação Física, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá. Disponível em: <https://ri.ufmt.br/bitstream/1/679/1/DISS_2014_Tamara%20Suellen%20Dudeck.pdf>.

Elkonin, D. B. (1998). Psicologia do jogo. São Paulo: Martins Fontes.

Ewald, A. S., Martins, R. L. D. R. & Mello, A. S. (2020). Interfaces entre sociologia da infância e comportamento motor: o elo humano, a natureza e a cultura. Research, Society and Development, 9(7), 1-16. Disponível em: <https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/4202>.

Farias, U. S. , Nogueira V. A., Maldonado, D. T., Rodrigues, G. M. & Miranda, M. L. J. (2019). Análise da produção do conhecimento sobre a educação física na educação infantil. Movimento, v. 25, 1-17. Disponível em: <https://seer.ufrgs.br/Movimento/article/view/90145>.

Flores, K. Z. (2008). Educação física na educação infantil: análise da aplicação de um programa e estudo sobre o envolvimento das crianças a partir da escala de ferre leavers. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física e Esporte, Escola de Educação Física e Esporte, Universidade de São Paulo, São Paulo. Disponível em: < https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/39/39133/tde-17102008-144612/pt-br.php>.

Francelino, K. dos S. (2010). A docência em educação física na educação infantil: a (re)construção de práticas de formação continuada. Dissertação (Mestrado em Educação Física), Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Centro de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória. Disponível em: <https://repositorio.ufes.br/handle/10/4626>.

Franzé, F. P. (2019). A formação continuada de professores e a ressignificação dos conhecimentos nas práticas pedagógicas: a ioga na educação infantil. Dissertação (Mestrado em Ciências da Motricidade). Programa de Pós-Graduação em Ciências da Motricidade, Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Bauru. Disponível em: < https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/190810/franz%c3%a9_fp_me_bauru.pdf?sequence=3&isAllowed=y>.

Freire, É. J. S. M. (2018). A presença dos conhecimentos da educação física no núcleo de educação da infância da universidade federal do Rio Grande do Norte. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal. Disponível em: < https://repositorio.ufrn.br/bitstream/123456789/25551/1/ErikaJanainaSantiagoMoreiraFreire_DISSERT.pdf.>.

Gamba, L. R. K. (2007). Oficinas do jogo: Educação dos Sentidos. Dissertação (Mestrado em Ciências do Movimento Humano). Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano, Centro de Educação Física, Fisioterapia e Desportos, Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis. Disponível em: < https://sistemabu.udesc.br/pergamumweb/vinculos/00006b/00006bf0.pdf>.

Godoy, K. N. B. (2017). Construção das identidades de gênero na infância: os discursos dos brinquedos e brincadeiras. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Faculdade de Educação Física, Universidade Federal de Juiz de Fora/ Universidade Federal de Viçosa, Juiz de Fora. Disponível em: < https://repositorio.ufjf.br/jspui/bitstream/ufjf/6448/1/karinenataliebarragodoy.pdf>.

Guimarães, V. (2018). Dinâmica curricular no cotidiano da educação infantil: um olhar a partir das práticas pedagógicas com a Educação Física. Dissertação (mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Centro de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória. Disponível em: <https://repositorio.ufes.br/handle/10/10532#:~:text=O%20objetivo%20geral%20deste%20estudo,curriculares%20nacionais%20e%20locais%20para>.

Guirra, F. J. S. (2009). Mediação da professora generalista no trabalho corporal na educação infantil. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Faculdade Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. Disponível em: < http://repositorio.unicamp.br/Acervo/Detalhe/444044>.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas – IBGE. (2016). Pesquisa nacional por amostra de domicílios: síntese de indicadores 2015/IBGE, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Rio de Janeiro. Disponível em: < https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv98887.pdf>.

Lano, M. B. (2015). Práticas cotidianas da educação física na transição da educação infantil ao ensino fundamental. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Centro de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória. Disponível em: < https://repositorio.ufes.br/bitstream/10/7302/1/tese_9306_DISSERTA%C3%87%C3%83O%20MARCIEL%20BARCELOS%20LANO.pdf>.

Lano, M. B. (2019). Usos da avaliação indiciária na Educação Física com a Educação Infantil. Tese (Doutorado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física. Centro de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória. Disponível em: <http://repositorio.uft.edu.br/handle/11612/1898>.

Leite, A. M. (2010). Caixa de brinquedos e brincadeiras: uma aliada na construção de atitude lúdica para a ressignificação da prática pedagógica do movimento na educação infantil. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física e Esporte, Escola de Educação Física e Esporte, Universidade de São Paulo, São Paulo. Disponível em: <https://teses.usp.br/teses/disponiveis/39/39133/tde-08122010-101232/pt-br.php>.

Lemos, G. P. (2019). A Educação Física na educação infantil do Distrito Federal: uma experiência em construção. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Faculdade de Educação Física, Universidade de Brasília, Brasília. Disponível em: < https://repositorio.unb.br/handle/10482/37402>.

Leontiev, A. N. (2012). Os princípios psicológicos da brincadeira pré-escolar. In: Vygotsky, L. S., Luria, A. R., Leontiev, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. Ícone, 119-142.

Lino, R. de M. (2020). Brincadeiras e histórias na educação infantil: ações pedagógicas integradas e interdisciplinares no programa “Educação com Movimento” do Distrito Federal. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação Física em rede nacional). Programa de Mestrado Profissional em Educação Física em Rede Nacional, Faculdade de Educação Física, Universidade de Brasília, Brasília. Disponível em: <https://repositorio.unb.br/handle/10482/39036>.

Lima, E. C. P. (2009). Que dança faz dançar a criança? Investigando as possibilidades da Dança-Improvisação na Educação Infantil. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Centro de Desportos, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. Disponível em: < https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/93397/264184.pdf?sequence=1&isAllowed=y>.

Lima, T. C. S. de & Mioto, R. C. T. (2007). Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Katál, 10(esp.), 37-45.

Lobo, L. M. (2017). Educação Física na Educação Infantil: influência de uma Unidade de Ensino de um programa de Educação Física no desenvolvimento motor dos alunos de uma escola de Educação Infantil do município de São Paulo. Dissertação (Mestrado em Ciências). Programa de Pós-Graduação em Educação Física e Esporte, Escola de Educação Física e Esporte, Universidade de São Paulo, São Paulo. Disponível em: < https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/39/39136/tde-12052017-151336/publico/Leonardo_Moreira_Lobo_corrigida.pdf>.

Mariano, M. (2010). A Educação Física na Educação Infantil e as Relações de Gêneros: Educando Crianças ou Meninos e Meninas. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Faculdade Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. Disponível em: < http://repositorio.unicamp.br/Acervo/Detalhe/776384>.

Martins, I. C. (2002). Histórias Infantis: O Simbolismo, a Ludicidade e a Motricidade na Ação da Educação Motora. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Faculdade Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. Disponível em: < https://fdocumentos.tips/document/histrias-infantis-o-simbolismo-a-ludicidade-e-a-2018-8-2-martins-ida-carneiro.html?page=1>.

Martins, R. L. D. R. (2018). O lugar da educação física na educação infantil. Tese (Doutorado em Educação Física) – Centro de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória. Disponível em: <https://repositorio.ufes.br/handle/10/10537>.

Mello, A. S., Zandomínegue, B. A. C., Vieira, A. O., Silva, A. C., Assis, L. C., Barbosa, R. F. M. & Martins, R. L. D. R. M. (2015). Pesquisas com crianças na educação infantil: diálogos interdisciplinares para produção de conhecimentos. Motrivivência, 27(45), 28-43.

Mello, A. S., Zandomínegue, B. A. C., Barbosa, R. F. M., Martins, R. L. D. R. M. & Santos, W. (2016). A educação infantil na Base Nacional Comum Curricular: pressupostos e interfaces com a educação física. Motrivivência, 28(48), 130- 149.

Monteiro, M. K. (2014). Trajetórias na docência: professores homens na educação infantil. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Faculdade Educação Física, Unicamp, Campinas. Disponível em: < https://old.cev.org.br/arquivo/biblioteca/4025881.pdf>.

Nascimento, T. A. (2013). Meio ambiente em situações de prática de atividades físicas em instituições de educação infantil e auto-eficácia: uma proposta de estudo. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba. Disponível em: <https://iepapp.unimep.br/biblioteca_digital/pdfs/docs/03022014_091035_tercionascimento.pdf>.

Navarro, M. S. (2009). Reflexões acerca do brincar na educação infantil. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Faculdade Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. Disponível em: < http://repositorio.unicamp.br/Acervo/Detalhe/439155>.

Nunes, K. R. (2007). Práticas curriculares da educação física na educação infantil: um estudo de caso. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Centro de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória. Disponível em: <https://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UFES_d819fb62c3ac640aabd5b4b76ebd38c0>.

Ota, G. S. G. (2020). Histórias vivenciadas: ações interdisciplinares da Educação Física na Educação Infantil. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa Pós-Graduação em Educação Física, Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. Disponível em: < http://repositorio.unicamp.br/Acervo/Detalhe/1161415>.

Pereira, D. M. (2014). Teatro na Educação Infantil: em busca de possibilidades. In: X ANPED SUL, 2014, Florianópolis. Trabalhos completos X ANPED Sul.

Perini, R. (2016). A Educação Física na educação infantil de Serra/ES: os saberes docentes e a prática pedagógica. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Centro de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória. Disponível em: <https://repositorio.ufes.br/handle/10/7308>.

Pinto, R. F. (2001). A Realidade da Educação Infantil na Rede Municipal de Ensino das Capitais da Região Norte do Brasil. Tese (Doutorado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Faculdade Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. Disponível em: < http://repositorio.unicamp.br/Acervo/Detalhe/253061>.

Prout, A. (2010). Reconsiderando a nova sociologia da infância. Cadernos de Pesquisa, 40(141), 729-750.

Quadros, H. M., Afonso M. R. (2011). Trajetória da pós-graduação stricto-sensu na área de Educação Física: um estudo de revisão. EFDeportes – Revista Digital, 16 (162). Disponível em: <https://www.efdeportes.com/efd162/pos-graduacao-stricto-sensu-na-educacao-fisica.htm>.

Ramirez, G. S. (2019). Educação Física na Educação Infantil: ambiente e materiais como recursos pedagógicos para bebês. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Faculdade Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. Disponível em: < https://old.cev.org.br/arquivo/biblioteca/4047830.pdf>.

Resende, H. G., Soares, A. J. G. & Moura, D. L. (2009). Caracterização dos modelos de Estruturação das aulas de Educação Física. Motriz – Revista de Educação Física, 15(1), 37-49.

Rego Junior, W. P. (2014). Discursos sobre a visão de corpo e a abordagem da educação corporal em escolas públicas infantis numa cidade do interior de São Paulo. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba. Disponível em: < https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=1446487>.

Reverdito, R. S. (2011). Jogo e desenvolvimento: estudo com crianças de 05 e 06 anos em uma escola privada na cidade de Hortolândia/SP. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Faculdade de Ciências da Saúde, Piracicaba. Disponível em: < http://iepapp.unimep.br/biblioteca_digital/pdfs/docs/12052012_160641_riller.pdf>

Rocha, E. A. C. (2008). Por que ouvir as crianças? Algumas questões para o debate científico multidisciplinar. In: CRUZ, S. H. V. (org.). A criança que fala: a escuta de crianças em pesquisas. Cortez Editora, 43-51.

Rodrigues, R. M. (2012). Construção identitária e processos relacionais de uma professora de educação física em uma instituição de educação infantil. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Centro de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória. Disponível em: <https://repositorio.ufes.br/handle/10/7218>.

Rosa, A. P. (2014). Educação física com crianças de seis meses a dois anos de idade: práticas produzidas no cotidiano de um CMEI de Vitória/ES. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Centro de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória. Disponível em: < https://repositorio.ufes.br/jspui/handle/10/1576>.

Rossetti-Ferreira, M. C. & Oliveira, Z. M. R. (2009). Um diálogo com a Sociologia da Infância a partir da Psicologia do Desenvolvimento. In: Müller, F.; Carvalho, A. M. A. (orgs.). Teoria e prática na pesquisa com crianças: diálogos com William Corsaro. Cortez Editora, 59-70.

Rossi, F. (2013). Implicações da formação continuada na prática pedagógica do(a) professor(a) no âmbito da cultura corporal do movimento. Tese (Doutorado em Ciências da Motricidade). Programa de Pós-Graduação em Ciências da Motricidade, Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista “Júlio De Mesquita Filho”, Rio Claro. Disponível em: < https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/100445/rossi_f_dr_rcla.pdf?sequence=1&isAllowed=y>.

Salles, F. L. S. (2018) A mediação pedagógica do professor na brincadeira da criança com autismo. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Centro de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória. Disponível em: <https://repositorio.ufes.br/handle/10/7195#:~:text=Resumo%3A,contexto%20de%20uma%20brinquedoteca%20universit%C3%A1ria.>.

Sancho, R. (1990). Indicadores Bibliométricos utilizados em La evaluacion de La ciência y La tecnologia: revision bibliográfica. Revista Espanhola de Documentacion Científica, (3-4), 842-865.

Santana, G. M. L. (2008). Oficinas do jogo: o desenvolvimento da imaginação na educação física da educação infantil. Dissertação (Mestrado em Ciências do Movimento Humano). Programa de Pós-Graduação em Ciências Do Movimento Humano, Centro de Ciências da Saúde e do Esporte, Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis. Disponível em: <https://docplayer.com.br/63611930-Geisa-mara-laguna-santana-oficinas-do-jogo-o-desenvolvimento-da-imaginacao-na-educacao-fisica-da-educacao-infantil.html>.

Santos, R. S. A. (2014). A dança como conteúdo das aulas de Educação Física: suas possibilidades a partir da formação continuada dos professores do município de Bagé/RS. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Escola Superior de Educação Física, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas. Disponível em: < http://guaiaca.ufpel.edu.br/bitstream/prefix/3158/1/Roberta%20Santos%20Azambuja%20dos%20Santos.pdf>.

Sarmento, M. J. (2003). Imaginário e culturas da infância. Cadernos de Educação, 12(2), 1-18. Disponível em: < http://www.titosena.faed.udesc.br/Arquivos/Artigos_infancia/Cultura%20na%20Infancia.pdf>.

Sarmento, M. J. (2008). Sociologia da infância: correntes e confluências. In: Sarmento, M. J. & Gouvea, M. C. S. (Org.). Estudos da infância: educação e práticas sociais. Editora Vozes, 17-39.

Sayão, T. (2002) Corpo e movimento: notas para problematizar algumas questões relacionadas à educação infantil e à educação física. RBCE, Campinas, 23(2), 55-67.

Scottá, B. A. (2018). A valorização das produções culturais das crianças nas mediações pedagógicas do professor de Educação Física com a educação infantil. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Centro de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória. Disponível em: <https://repositorio.ufes.br/handle/10/10759>.

Silva, D. O. (2015). Desenvolvendo um cenário imaginativo circense pelo brincar-e-se-movimentar da criança. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Centro Educação Física e Desportos, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria. Disponível em: < https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/6718/SILVA%2c%20DAIANE%20OLIVEIRA.pdf?sequence=1&isAllowed=y>.

Silva, L. C. D. (2013). Proposta Pedagógica da Capoeira na Educação Infantil. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Faculdade Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. Disponível em: < http://repositorio.unicamp.br/Acervo/Detalhe/923573>.

Silveira, E. R. (2019). Prática pedagógica da Educação Física na educação infantil: uma análise dos portfólios do projeto educação com movimento no Distrito Federal. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Faculdade de Educação Física, Universidade de Brasília, Brasília. Disponível em: < https://repositorio.unb.br/handle/10482/37184>.

Simon, H. S. (2013). O brincar-e-se-movimentar e a imaginação da criança. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Centro de Desportos, Universidade Federal de Santa Catarina, Santa Catarina. Disponível em: < https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/106955/318440.pdf?sequence=1&isAllowed=y>.

Soares, D. B. (2015). O diálogo na Educação Infantil: o movimento, a interdisciplinaridade e a Educação Física. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Faculdade Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. Disponível em: < http://repositorio.unicamp.br/Acervo/Detalhe/947684>.

Souza, J. A. (2005). Os Jogos de Construção na Educação infantil: um estudo de caso na Creche Amas – Piracicaba. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Curso de Pós-Graduação em Educação Física, Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba.

Tani, G. (2000). Os desafios da pós-graduação em Educação Física. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, 22(1), 79-90.

Tomás, C. (2011). “Há muitos mundos no mundo”. Cosmopolitismo, Participação e Direitos da Criança. Edições Afrontamento.

Tomás, C. (2017). Para além de uma visão dominante sobre as crianças pequenas: gramáticas críticas na educação de infância. Revista Humanidades e Inovação, 4(1), 2017.

Vygotsky, L. S. (2007). A formação social da mente. Martins Fontes.

Zandomínegue, B. A. C. (2018). As produções culturais das crianças como eixo de articulação curricular da Educação Física com a Educação Infantil. Tese (Doutorado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Centro de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória. Disponível em: <https://repositorio.ufes.br/handle/10/10770>.

Zandomínegue, B. A. C., Barbosa, R. F. M. & Mello, A. S. (2020). Participação-escuta das crianças na Educação Infantil. Research, Society and Development, 9(7), 1-25. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/341010778_Participacao-escuta_das_criancas_na_Educacao_Infantil>.

Published

21/08/2022

How to Cite

FRANCO, F. M.; ZANDOMÍNEGUE, B. A. C. .; MELLO, A. da S. Theater and storytelling in Early Childhood Education: analysis of the production of graduate studies in Physical Education. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 11, p. e241111133343, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i11.33343. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/33343. Acesso em: 3 oct. 2022.

Issue

Section

Review Article