Analysis of brazilian public policies that dialogue with the self-care guidelines for the elderly: documentary research

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i11.33551

Keywords:

Self-care; Elderly; Public health policies.

Abstract

The objective of this study was to analyze the legislation linked to national and state public policies (Paraná), published from 1988 to 2021, which dialogue with the guidelines of self-care for the elderly. The methods used were documentary research of a retrospective and descriptive nature, of primary data, with a survey, organization and analysis of laws and resolutions related to the guidelines of self-care for the elderly. Data collection took place from May to June 2022. For data analysis, Content Analysis was used. The results were 35 normative instruments that address self-care for the elderly, with 12 national laws, a federal resolution, a bill and 21 state laws. From the content analysis, encodings based on the principles of Self-care emerged, according to Orem: health promotion, well-being, protection, leisure, safety and health. It was found that the legislation dialogued with self-care, historically evidencing progress in the dialogue on the subject, but with important gaps, mainly linked to the interests and needs of the elderly. Despite the existence of several initiatives of legislation linked to public policies that dialogue with self-care, legal regulations still do not follow the changes in the profile of this population, remaining, as a challenge, the encouragement of self-care in different population strata.

Author Biographies

Alcione Oliveira de Souza, Instituto Federal do Paraná

Nurse. Professor at the Federal Institute of Paraná (IFPR) Curitiba, Paraná (PR), Brazil. Master Stricto Sensu in Health Promotion. Doctoral student at the Graduate Program in Nursing at the Federal University of Paraná (UFPR). Member of the GMPI-UFPR - Curitiba (PR) Brazil

Karina Silveira de Almeida Hammerschmidt, Universidade Federal do Paraná

Enfermeira. Formação: Doutora em Enfermagem. Professora da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Membro do GMPI-UFPR - Curitiba (PR) Brasil.

Susanne Elero Betiolli, Universidade Federal do Paraná

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Membro e vice-líder do Grupo Multiprofissional de Pesquisa sobre Idosos (GMPI)-UFPR - Curitiba (PR) Brasil.

Aline da Silva Paula, Universidade Federal do Paraná

Enfermeira. Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Mba em Gestão em Saúde e Controle de Infecção. Membro do GMPI-UFPR - Curitiba (PR) Brasil.

Marlise Lima Brandão, Universidade Federal do Paraná

Enfermeira. Mestre em Enfermagem.  Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Professora Centro Universitário Autônomo do Brasil. Curitiba, Paraná (PR), Brasil. Membro do GMPI-UFPR - Curitiba (PR) Brasil.

Alessandra Amaral Schwanke, Universidade Federal do Paraná

Enfermeira. Mestre em Enfermagem.  Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná. Membro do GMPI-UFPR - Curitiba (PR) Brasil.

Neidamar Pedrini Arias Fugaça, Universidade Federal do Paraná

Enfermeira. Mestre em Tecnologia na Área de Saúde.  Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Superintendente dos Hospitais Vita Batel e Vita Curitiba PR. Membro do GMPI-UFPR - Curitiba (PR) Brasil.

Sandra de Moraes Postanovski, Universidade Federal do Paraná

Enfermeira. Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Chefe do Serviço de Enfermagem do Hospital VITA Curitiba. Membro do GMPI-UFPR - Curitiba (PR) Brasil.

Zilma Muller, Universidade Federal do Paraná

Enfermeira. Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Paraná - UFPR. Complexo Hospital de Clínicas da UFPR. Membro do GMPI-UFPR

Bruna Tres Grzybowski, Universidade Federal do Paraná

Discente da Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Paraná. Membro do GMPI-UFPR - Curitiba (PR) Brasil.

References

Bardin, L. (2015). Análise de conteúdo. (4ª ed.). Lisboa: Edições 70.

Bonatelli, L. C. S.; Schier, J.; Girondi, J. B. R.; Hammerschmidt, K. S. D. A. & Tristão, F. R. (2018). Centro-dia: uma opção no atendimento da pessoa envelhecente com deficiência intelectual. Saúde em Debate, 42, 669-675. https://www.scielo.br/j/sdeb/a/h7CgpD5yyf5QYjb9WdfSDNC/?format=pdf&lang=pt.

Brasil (1990). Lei nº 8.080, de 20 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8080.htm.

Brasil (1998). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm.

Brasil (2003). Lei n° 10.741/2003. Estatuto do Idoso. Brasília. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.741.htm.

Brasil. (2018). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde: PNPS. https://bvsms.saude.gov.br.

Derhun, F. M.; Scolari, G. A. S.; Castro, V. C.; Salci, M. A.; Baldissera, V. D. A. & Carreira. L. (2019). O centro de convivência para idosos e sua importância no suporte à família e à Rede de Atenção à Saúde. Esc Anna Nery, 23(2), e20180156. https://www.scielo.br/j/ean/a/gcxfL7W674VJYqRtHC6DNbz/?lang=pt.

Diener, E.; Heintzelman, S. J.; Kushlev, K.; Tay, L.; Wirtz, D.; Lutes, L. D. & Oishi, S. (2017). Findings all psychologists should know from the new science on subjective well-being. Canadian Psychology/Psychologie canadienne, 58, 87-104. https://www.researchgate.net/publication/304538426_Findings_All_Psychologists_Should_Know_From_the_New_Science_on_Subjective_Well-Being.

Fachin, O. (2017). Fundamentos de metodologia. (5ª ed.). São Paulo: Saraiva.

Gibicoski, F. da S.; Moreschi, C.; Rodrigues, S. O.; Silva, S. de O.; Tolfo, A. P. D.; Busnelo, E. D. S. (2020). Adesão de atividades de autocuidado de usuários com diabetes atendidos na atenção primária. Research, Society and Development, 9( 5), e20952977. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i5.2977

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. (2021). Projeção da população 2021. https://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/.

Lopes, L. G. F.; Leal, M. C. C.; Souza, E. F. de; Silva, S. Z. R.; Guimarães, N. N. A. & Silva, L. S. R. da. (2018). Violência Contra a Pessoa Idosa. Rev. Enferm. UFPE, 12(9), 2257-68. https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/236354/29885.

Marconi, M. A. & Lakatos, E. M. (2021). Fundamentos de metodologia científica. (9ª ed.). São Paulo: Atlas.

Orem, D. E. (1995). Nursing Concepts of Pratice. (4ª ed.) St. Louis: Mosby.

Orem, D. E. (2006). Nursing Concepsts of Practice. (8ª ed.). Boston: Mosby.

Pacheco, J. P. S. & Schwartz, G. M. (2021). Políticas Públicas e Espaços de Esporte e Lazer nos Estudos Acadêmicos: Uma Revisão Sistemática. LICERE - Revista do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer, 24(2), 341-376. https://doi.org/10.35699/2447-6218.2021.34948.

Scolari, G. A. S.; Derhun, F. M.; Rissardo, L. K. & Baldissera, V. D. A. (2020). A participação no centro de convivência para idosos: repercussões e desafios. Rev. Brasileira Enferm., 73(Suppl 3), e20190226. https://www.scielo.br/j/reben/a/DLnJ9d7XYDWnBQS3rBx393h/?format=pdf&lang=pt.

Silva, K. P. S.; Silva, C. S.; Santos, A. M. S.; Cordeiro, C. F.; Soares, D. A. M.; Santos, F. F.; Silva, M. A. & Oliveira, B. K. F. (2021). Autocuidado a luz da teoria de Dorothea Orem: panorama da produção cientifica brasileira. Brazilian Journal of Development, 7(4), 34043- 34060. https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/27562.

Souza, M. S. & Machado, C. V. (2018). Governança, intersetorialidade e participação social na política pública: o Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa. Ciência & Saúde Coletiva, 23, 3189-3200. https://www.scielo.br/j/csc/a/BjddmZJmvfkYQvkZ5sS9Y4Q/?lang=pt.

Souza, V. M. F de; Camacho, A. C. L. F.; Menezes, H. F. de; Silva, M. A. P. A da; Thimóteo, R. da S. & Silva, R. P. (2021). Políticas Públicas de Saúde do Idoso no Brasil: Revisão Integrativa. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, 10(1), e20010110804. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i1.10804. https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/10804.

Torres, K. R. B. O.; Campos, M. R.; Luiza, V. L. & Caldas, C. P. (2020). Evolução das políticas públicas para a saúde do idoso no contexto do Sistema Único de Saúde. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 30(1), e300113, 2020. https://www.scielo.br/j/physis/a/XqzFgPPbgmsKyJxFPBWgB3K/?lang=pt.

Trintinaglia, V.; Bonamigo, A. W. & Azambuja, M. S. (2021). Políticas Públicas de Saúde para o Envelhecimento Saudável na América Latina: uma revisão integrativa. Rev. Bras. Promoção da Saúde, (34), 11762.

Published

21/08/2022

How to Cite

SOUZA, A. O. de .; HAMMERSCHMIDT, K. S. de A. .; BETIOLLI, S. E. .; PAULA, A. da S. .; BRANDÃO, M. L. .; SCHWANKE, A. A. .; FUGAÇA, N. P. A. .; POSTANOVSKI, S. de M. .; MULLER, Z. .; GRZYBOWSKI, B. T. . Analysis of brazilian public policies that dialogue with the self-care guidelines for the elderly: documentary research. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 11, p. e224111133551, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i11.33551. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/33551. Acesso em: 6 oct. 2022.

Issue

Section

Health Sciences