Using integrative and complementary practices as mitigating resources for common early childhood issues: Experience report

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i15.37388

Keywords:

Complementary therapies; Child health; Nursing care.

Abstract

The objective was to improvethe experience experienced by nursing students in practice of the curricular component "Child and Adolescent Health in Primary Care".  The methodology was a descriptive study of qualitative approach, of the type of experience report. The study participants were composed of 10 parents of children in the early childhood age group, who attended the nursing consultation in childcare. Bardin's proposed content analysis technique was used to analyze and interpret the collected data. The results were obtid during childcare consultations performed, parents were asked about the use of PICs in children, and they reported that they used lemon balm tea for cramps, abdominal massages for constipation and the use of music to calm the baby. Based on this, the discussion was made to guide issues of the theme, and the hypothesis of the functionality of integrative and non-pharmacological practices in early childhood children was raised. It is concluded that PICs appear as a non-drug form for the relief of common symptoms in early childhood. Thus, nursing plays a prominent role in guiding the proper use of these practices, with the purpose of ensuring holistic, qualified and humanized care to the user. Thus, it is noted the relevance of training and continuous updating of the professional in the face of PICS. Nevertheless, it is important to highlight the lack of articles with the same scientific bias, which demonstrates the need for scientific productions that can explain and report on the applicability of PICs in children.

References

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. (2021). Formulário de Fitoterápicos da Farmacopeia Brasileira (2a ed.). https://www.gov.br/anvisa/pt-br.

Alves, M., Siqueira, S., Teixeira, C., & Martins, G. (2021). A utilização de plantas medicinais e fitoterápicos como terapia alternativa e seus riscos à saúde. Cadernos Camilliani, 16(1), 1020-1035.

Andrade, E. T. S., Monte, N. L., Costa, G. L., Silva, J.. R. L., & Mariz, S. R. (2017). A importância da amamentação e os riscos do uso inadequado de plantas medicinais em crianças de 0 a 2 anos. [Apresentação de trabalho]. II Congresso Brasileiro de Ciências de Saúde. https://editorarealize.com.br/editora/anais/conbracis/2017/TRABALHO_EV071_MD1_SA7_ID561_15052017235719.pdf.

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo (7a ed.) 70 Edições. https://www.scribd.com/document/525295056/BARDIN-Analise-de-Conteudo-pdf-Versao-1.

Bianchini, C. de O., & Kerber, N. (2011). Mitos e Crenças No Cuidado Materno e do Recém-Nascido. VITTALLE - Revista De Ciências Da Saúde, 22(2), 35–50. https://periodicos.furg.br/vittalle/article/view/1455.

Brasil (2015). Portaria nº 1.130, de 5 de agosto de 2015. Institui a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Ministério da Saúde. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2015/prt1130_05_08_2015.html#:~:text=Para%20fins%20de%20atendimento%20em,de%20sa%C3%BAde%20respons%C3%A1vel%20pelo%20atendimento.

Canaan, R., da Silva, E. A., da Silva, G. S. V., Souza, A. d. S., Silva, J. S. L. G., & Alves, M. (2021, July 15). Shantala e os benefícios para desenvolvimento físico, emocional e comportamental dos bebês. Revista Pró-UniverSUS Edição Especial - Dossiê Temático Sentidos do fazer em Enfermagem, 12(2), 53-57. http://192.100.251.116/index.php/RPU/article/view/2657.

da Costa, A. R. F. C., e Silva, R. S. R., Feitosa, R. M. M., de Oliveira, K. K. D., & Coelho, W. A. C. (2020). Práticas integrativas e complementares em saúde no cotidiano de crianças com câncer. Revista Enfermagem Atual, 92(30), 52-62. https://doi.org/10.31011/reaid-2020-v.92-n.30-art.602.

Fagundes, N. d. C., & Pereira, N. M. (2016, October 18). A Política das Práticas Integrativas e Complementares do SUS: o relato da implementação em uma unidade de ensino e serviço de saúde. Revista do Departamento de Educação Física e Saúde e do Mestrado em Promoção da Saúde da Universidade de Santa Cruz do Sul, 17(4), 01-06. https://doi.org/http://dx.doi.org/10.17058/cinergis.v17i0.8149.

Ferreira, F. A., Freitas, R. d. S. C., dos Santos, M. C. S., Silva, S. R. d. M., da Silva, A. M., & Santos, M. K. d. S. (2019). Consulta de puericultura: problemas encontrados em menores de 2 anos. Revista de Enfermagem UFPE On line, 13(1), 1-7. https://doi.org/10.5205/1981-8963.2019.240072.

Fischborn, A. F., Machado, J., Fagundes, N. d. C., & Pereira, N. M. (2016, October 18). A Política das Práticas Integrativas e Complementares do SUS: o relato de experiência sobre a implementação em uma unidade de ensino e serviço de saúde. Revista de Departamento de Educação Física e Saúde e do Mestrado em Promoção da Saúde da Universidade de Santa Cruz/ Unisc, 17(4), 358-363. https://doi.org/10.17058/cinergis.v17i0.8149.

Gomes, I. L.V., Caetano, R., Jorge, M. S. B. (2010). Conhecimento dos profissionais de saúde sobre os direitos da criança hospitalizada: um estudo exploratório. Ciência e saúde coletiva, 15(2), 463-470. https://www.scielo.br/j/csc/a/pS5NBqy5gSbLMdp5wc7dzNM/?lang=pt#.

Minayo, M. C. S. (2017). Amostragem e saturação em pesquisa qualitativa: consensos e controvérsias. Revista Pesquisa Qualitativa, 5(7), 1-12. https://editora.sepq.org.br/rpq/article/view/82.

Ministério da Saúde. (2004). Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher: Princípios e diretrizes. Secretária de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nac_atencao_mulher.pdf.

Missono, K. C., Toso, B. R. G. O., Baggio, M. A., & Ferrari, R. A. P. (2019). Maternal practices face to newborn health problems in the first month of life. Rev. Soc. Bras. Enferm. Ped, 19(1), 32-38. https://journal.sobep.org.br/en/article/maternal-practices-face-to-newborn-health-problems-in-the-first-month-of-life/.

Mussi, R.F.F., Flores, F.F., & Almeida, C.B. (2021). Pressupostos para a elaboração de relato de experiência como conhecimento científico. Revista Práxis Educacional, 17(48), 60-77. https://doi.org/10.22461/praxisedu.v17i48.9010.

Oliveira, M. F. d., Oselame, G. B., Neves, E. B., & Oliveira, E. M. d. O. (2014, December 15). Musicoterapia como ferramenta terapêutica no setor da saúde. Revista Eletronica da Universidade Vale do Rio Verde, 12(2), 871-878. https://doi.org/http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v12i2.1739.g1604.

Rohr, R. V., & Alvim, N. A. T. (2016). Intervenções de enfermagem com música: revisão integrativa da literatura. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online, 8(1), 3832-3844. https://doi.org/10.9789/2175-5631.2016.v8i1.3832-3844.

Ruela, L. d. O., Moura, C. d. C., Gradim, C. V. C., Stefanello, J., Iunes, D. H., & Prado, R. R. d. (2019, November). Implementação, acesso e uso das práticas integrativas e complementares no Sistema Único de Saúde: revisão da literatura. Ciência & Saúde Coletiva, 24 (11), 4239-4250. https://doi.org/10.1590/1413-812320182411.06132018.

Santos, M. S., Thomaz, F. M., Jomar, R. T., Abreu, A. M. M., & Taets, G. G. C. C. (2021). Música no alívio do estresse e de estresse de pacientes com câncer. Revista Brasileira de Enfermagem, 74(2), 1-6. Doi:https://doi.org/10.1590/0034-7167-2019-0838.

Silva., M. A. d., & Souza., W. d. L. (2019). Assistência de enfermagem em relação às interfaces da mulher no climatério: Revisão Integrativa. [Trabalho de Conclusão de Curso]. Repositório Institucional do grupo Tiradentes. https://openrit.grupotiradentes.com/xmlui/handle/set/3718?show=full.

Souza., A. D. Z., Ceolin, T., Vargas, N. R. C., Heck , R. M., Vasconcellos, C. L., Borges, A. M., & Mendieta., M. C. (2011, October). Plantas medicinais utilizadas na saúde da criança. Enfermería global Revista electrónica trimestral de Enfermería 10(4), 53-59. https://scielo.isciii.es/pdf/eg/v10n24/pt_clinica4.pdf.

Souza, N. d. S., Pereira, L. P. d. S., Silva, S. V., & Paula, W. K. A. S. d. (2019). Vigilância e estímulo do crescimento e desenvolvimento infantil. Revista de enfermagem UFPe on line, 13(3), 680-689. https://doi.org/10.5205/1981-8963-v13i03a238634p680-689-2019.

Tôrres., A. R., Oliveira., R. A. G., Diniz., M. F. F. M., & Araújo., E. C. (2005). Estudo sobre o uso de plantas medicinais em crianças hospitalizadas da cidade de João Pessoa: riscos e benefícios. Revista Brasileira de Farmacognosia, 15 (4), 373-380. https://doi.org/10.1590/S0102-695X2005000400019.

Torres, B. V. d. S., Almeida, L. A. d., Silva, R. C. d. M., J. d. S., & Vieira, A. C. S. (2021). Práticas integrativas e complementares no cuidado em saúde de crianças: revisão integrativa. Enfermagem em Foco, 12 (1), 154-162. https://doi.org/10.21675/2357-707X.2021.v12.n1.3753.

Vorpagel, K. M., Schein, J. L., Sausen, D., Cargnin, M. B., & Pagno, A. R. (2021). Práticas integrativas e complementares no cuidado à saúde da criança: shantala, uma revisão narrativa. [Apresentação de trabalho]. Congresso Internacional em Saúde. https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/conintsau/article/view/19173/17906.

Published

25/11/2022

How to Cite

MONTEIRO, A. M.; BEZERRA, C. A. M.; ANJOS, B. C. B.; PINTO, A. C. A. P.; ANJOS, T. A. F. dos .; BARATA, J. C. .; SANTOS, G. F. dos .; MARINHO, R. L. .; CARDOSO, R. F. M. .; COELHO , L. A. C. . Using integrative and complementary practices as mitigating resources for common early childhood issues: Experience report. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 15, p. e516111537388, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i15.37388. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/37388. Acesso em: 9 feb. 2023.

Issue

Section

Teaching and Education Sciences