Active methodologies in Science teaching: challenges and possibilities in teaching practice

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v12i1.39150

Keywords:

Final years; Science teaching; Elementary School; Active methodologies; Teaching and learning process.

Abstract

The discipline of Science is usually shown as a subject that has an excess of expository methodologies in the public school system, since specified obstacles persist for the effective integration of active methodologies and Digital Technologies, whether in school or outdoors. What are the active methodologies employed in elementary education that are capable of promoting improvements in the Science teaching and learning process? This research has the general objective of analyzing the use of active methodologies in the process of teaching and learning Science in public schools in a city located in the Mesoregion of Eastern Maranhão, Brazil. The methodological path of this work initially passed through the exploratory sieve of journals and related documents on active methodologies. And, later, in a field research with seven Science teachers working in urban or rural spaces, in a descriptive and qualitative approach, through an electronic form allocated in Google Docs. The work pointed out the use and preference of active methodologies in Science teaching, as well as possible obstacles to the realization of a greater variability of active methodologies and the appreciation of education professionals.

References

Alcântara, E. F. S. (2020). Inovação e renovação acadêmica: guia prático de utilização de metodologias e técnicas ativas. FERP.

Almeida, M. E. B. (2018). Apresentação. In: Bacich, L., & Moran, J. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. (1 ed., pp. 14-21). Penso. https://curitiba.ifpr.edu.br/wp-content/uploads/2020/08/Metodologias-Ativas-para-uma-Educacao-Inovadora-Bacich-e-Moran.pdf

Andrade, M. C. S., Vasconcellos, R. F. R. R., & Martins, H. G. (2020). Guia de metodologias ativas para professores de ensino de ciências na educação básica. UNIGRANRIO.

Bacich, L. (2018). Formação continuada de professores para o uso de metodologias ativas. In: Bacich, L., & Moran, J. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. (1 ed., pp. 248-283). Penso. https://curitiba.ifpr.edu.br/wp-content/uploads/2020/08/Metodologias-Ativas-para-uma-Educacao-Inovadora-Bacich-e-Moran.pdf

Berbel, N. A. N. (2011). As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, 32 (1), 25-40. https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/seminasoc/article/view/10326/10999

Brasil (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Presidência da República.

Brasil (1996). Lei nº 9394, 20 de dezembro de 1996. Presidência da República.

Brasil (2000). Parâmetros Curriculares Nacionais Ensino Médio (PCNEM) – Parte III Ciências da Natureza Matemática e suas Tecnologias. MEC.

Brasil (2018). Base Nacional Comum Curricular. MEC.

Camargo, F., & Daros, T. (2018). A sala de aula inovadora [recurso eletrônico]: estratégias pedagógicas para fomentar o aprendizado ativo. Penso.

Chassot, A. (2018). Alfabetização Científica: questões e desafios para a educação. (8a ed.).

Costa, L. V., & Venturi, T. (2021). Metodologias Ativas no Ensino de Ciências e Biologia: compreendendo as produções da última década. Revista Insignare Scientia, 4 (6), 417-436. https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/12393/8218

Cruz, P. E. O. (2018). Metodologias ativas para a educação corporativa. ProspectaBR.

Deslauriers, L., et al. (2019). Measuring actual learning versus feeling of learning in response to being actively engaged in the classroom. Proceedings of the National Academy of Sciences, 116 (39), 19251-19257. https://www.pnas.org/doi/pdf/10.1073/pnas.1821936116

Ferrarini, R., Saheb, D., & Torres, P. L. (2019). Metodologias ativas e tecnologias digitais: aproximações e distinções. Revista Educação em Questão, v. 57 (52), 1-30, 2019. https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/15762

Finger, I., & Bedin, E. (2019). A contextualização e seus impactos nos processos de ensino e aprendizagem da ciência química. Revista Brasileira de Ensino de Ciências e Matemática, 2 (1), 8-24. http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/9732/114114714

Gabardo, C. V., & Hobold, M. S. (2011). Início da docência: investigando professores do ensino fundamental. Formação Docente – Revista Brasileira De Pesquisa Sobre Formação De Professores, 3(5), 85–97. https://revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/48

Gil, A. C. (2008). Como elaborar projetos de pesquisa. (4a. ed.) Atlas.

Guedes, E. B., et al. (2022). O Ensino de Ciências por Investigação e a BNCC: Novas possibilidades para os anos iniciais do Ensino Fundamental. Conjecturas, 22 (3), 967–978. http://www.conjecturas.org/index.php/edicoes/article/view/1027

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP (2022). Consulta ao Índice de Desenvolvimento da Educação Básica. http://ideb.inep.gov.br/

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP (2021). Resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2021. https://www.gov.br/inep/pt-br/areas-de-atuacao/pesquisas-estatisticas-e-indicadores/ideb/resultados

Koch, I. G. V. (2002). Desvendando os segredos do texto. Cortez.

Kochhann, A., & Rocha, V. A. S. (2015, 8 a 13 de junho). A afetividade no processo ensino-aprendizagem na Perspectiva de Piaget, Vygotsky e Wallon. [Apresentação de Projetos de Pesquisa e Extensão] Simpósio de Pesquisa e Extensão (SIMPEX), Goiás. https://www.anais.ueg.br/index.php/semintegracao/article/view/5567

Marconi, M. A., & Lakatos, E. M. (2008). Técnicas de Pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens, elaboração, análise e interpretação de dados. (7ª. ed.) Atlas.

Moran, J. Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda. In: Bacich, L., & Moran, J. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. (1 ed., pp. 35-76). Penso. https://curitiba.ifpr.edu.br/wp-content/uploads/2020/08/Metodologias-Ativas-para-uma-Educacao-Inovadora-Bacich-e-Moran.pdf

Oliveira, D. C. O., et al. (2020). Metodologias ativas no ensino de ciências da natureza: significados e formas de aplicação na prática docente. Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia, 9 (2), 1-15. https://periodicos.ifrs.edu.br/index.php/tear/article/view/4333

Prodanov, C. C., & Freitas, E. C. (2013). Metodologia do trabalho científico [recurso eletrônico]: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. (2ª. ed.) Feevale.

Sahagoff, A. P. C. (2019). Metodologias ativas: um estudo sobre práticas pedagógicas. In: Júnior, J. M. A., Souza, L. P., & Silva, N. L. C. Metodologias ativas: práticas pedagógicas na contemporaneidade. (1 ed., pp. 140-152). Inovar.

Sanches, J. J., et al. (2019). Active Methodologies: From Text to Context - A Possible Approach. International Journal of Innovation Education and Research, 7 (7), 267-280. https://scholarsjournal.net/index.php/ijier/article/view/1608/1078

Silva, A. J. C. (2020). Guia prático de metodologias ativas com uso de tecnologias digitais da informação e comunicação. UFLA.

Silva, C. P., & Lima, T. G. (2019). Importância das Tecnologias de Comunicação e Informação (TICs) na Educação Técnica Profissional e no Ensino Superior. In: Júnior, J. M. A., Souza, L. P., & Silva, N. L C. Metodologias ativas: práticas pedagógicas na contemporaneidade. (1 ed., pp. 69-79). Inovar.

Silva, E. V. S., Melo, S. P., & Carvalho, A. V. (2021). O ensino de Ciências da Natureza nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Research, Society and Development, 10 (15), 1-15. https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/download/23483/20267/276559

Soares, M. S., et al (2021). O uso de metodologias ativas de ensino por professores de Ciências nas escolas de Angical - PI. Research, Society and Development, 10 (13), 1-11. https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/download/21220/19135/259269#:~:text=A%20partir%20da%20avalia%C3%A7%C3%A3o%20das,h%C3%A1%2C%20ainda%2C%20professor%20que%20n%C3%A3o

Tonegutti, C. A. (2016). Base Nacional Comum Curricular: Uma Análise Crítica. [Apresentação de Mesa Redonda] Debate sobre a Base Nacional Comum Curricular e Diretrizes Curriculares, Curitiba. http://www.sismmac.org.br/disco/arquivos/eventos/Artigo_BNC_Tonegutti.pdf

Tribunal de Contas do Estado do Maranhão – TCEMA. Portal do Controle Social. https://apps.tce.ma.gov.br/portalcontrolesocial/#/municipio

Published

01/01/2023

How to Cite

ARAÚJO, W. P.; RAMOS, L. P. S. Active methodologies in Science teaching: challenges and possibilities in teaching practice. Research, Society and Development, [S. l.], v. 12, n. 1, p. e1412139150, 2023. DOI: 10.33448/rsd-v12i1.39150. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/39150. Acesso em: 3 feb. 2023.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences