Children in the public place: contributions for a Healthy development

Authors

  • Bernardo Nicoloso da Rocha Universidade Franciscana
  • Carolina Albornoz da Costa Universidade Franciscana
  • Fernando Cocco Lago Universidade Franciscana
  • Jênifer Michele Pires de Aruda Universidade Franciscana
  • Paola Gettems Abreu Universidade Franciscana
  • Carolina Schumacher Universidade Franciscana
  • Cristina Saling Kruel Universidade Franciscana
  • Felix Miguel Nascimento Guazina Universidade Franciscana
  • Janaína Pereira Pretto Carlesso Universidade Franciscana

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v8i2.595

Keywords:

Environment; Bronfenbrenner; Child; Interaction; Vygotsky

Abstract

Children are increasingly getting removed from mediums that allow for the development of their many abilities, and the lack of environments that are attractive for them within the urbanspace is one of the contributing factors. The objective of this research is to discuss how public places can contribute to child development, through the use of the urban space and bigger interaction within the environment they live in, proposing the increase of the access and the occupation of public spaces. For this purpose, the used methodology was a non-systematic bibliographic review, from a perspective based on the works of Lev Vygotsky and Urie Bronfenbrenner’s Ecological Theory. It was concluded that it is necessary not only that the access to these spaces be broaden, but that they be suited for children’s use in a way that stimulates their full development, providing well-being and quality of life.

References

BRASIL. Ministério da Educação. Educação patrimonial. Programa Mais Educação, 2010. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/uploads/publicacao/EduPat_EducPatrimonialProgramaMaisEducacao_fas1_m.pdf> Acesso em 20/04/2018.

BRONFENBRENNER, U. A ecologia do desenvolvimento humano: experimentos naturais e planejados. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

BRONFENBRENNER, U. Bioecologia do desenvolvimento humano: tornando os seres humanos mais humanos. Porto Alegre: Artmed, 2013.

BRONFENBRENNER, U.; MORRIS, P. A. The ecology of developmental processes. In: DAMON, W.; LERNER, R. M. (Orgs.). Handbook of child psychology: theoretical models of human development. New York: John Wiley, 1998. p. 993-1028.

BRONFENBRENNER, U. Environments in developmental perspective: theoretical and operational models. In: FRIEDMAN, S. L.; WACKS, T. D.; Measuring environment across the life span: emerging methods and concepts. Washington, DC: American PsychologicalAssociation, 1999. p.3-28.

CRIANÇAS, já para fora. Palestra para TEDxTalks. 2015, 22 min. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=1Kxffmj78Os. Acesso em 04/06/2018.

DIAS, M.S. Brincando na cidade, crescendo em cidadania: um estudo sobre os parques infantis em Barcelona, Espanha. Oculum ensaios, v.14, n.3, p.501-522, 2017. Disponível em http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/oculum/article/view/3418/2538. Acesso em 20/05/2018.

ELIAS, C. S. et al. Quando chega o fim? Uma revisão narrativa sobre terminalidade do período escolar para alunos deficientes mentais.Revista Eletrônica em Saúde Mental, Álcool e Drogas, v. 8, n. 1, p. 48-53, 2012. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/49594/53669. Acesso em 22/06/2018.

GIACOMINI, D. Atividades Lúdicas no desenvolvimento de educação ambiental para a conservação da fauna silvestre. Santa Maria: UFSM, 2014. Monografia de especialização em Educação Ambiental da Universidade Federal de Santa Maria.

KORPELA, K. Children’s environment. In: BECHTEL, R. B.; CHURCHMAN, A. (Ed.). Hand book of environmental psychology, p.363-373, New York: John Wiley & Sons, 2001.

KUHNEN, A. Comportamento sócio-espaciais e a relação humano-ambiental. In: KUHNEN, A.; CRUZ, R. M.; TAKASE, E. (Eds.), Interações Pessoa-Ambiente e Saúde, p. 15-35. São Paulo, SP: Casa do Psicólogo, 2009.

LA TAILLE, Y. Piaget, Vygotsky, Wallon: teorias psicogenéticas em discussão. São Paulo: Summus, 1992.

LIMA, M. S. A Cidade e a criança. São Paulo: Nobel, 1989.

LIMA, M. S. Espaços educativos – uso e construção. Brasília: MEC/CEDATE, 1988.

LUZ, G. M.; KUHNEN, A. O uso dos espaços urbanos pelas crianças: explorando o comportamento do brincar em praças públicas. Psicologia: Reflexão e Crítica, v.26, n.3, p.552-560, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/prc/v26n3/v26n3a15.pdf. Acesso em 04/06/2018.

MACHADO, Y.S. et. al.Brincadeiras infantis e natureza: investigação da interação criança-natureza em parques verdes urbanos. Temas em Psicologia, v.24, n.2, p.655-667, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/prc/v26n3/v26n3a15.pdf. Acesso em 03/06/2018.

MEKIDECHE, T.; TASSARA, E. T.; RABINOVICH, E. P. Espaços para crianças na cidade de Argel: um estudo comparativo da apropriação lúdica dos espaços públicos.In: Psicologia e ambiente, p.143-167, São Paulo: Educ, 2004.

PACHECO, W.S.; OLIVEIRA, M.S. Aprendizagem e desenvolvimento da criança com síndrome de Down: representações sociais de mães e professoras. Ciências & cognições, v. 16, n. 3, p. 2-14, 2011. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-58212011000300002&lng=pt&nrm=iso. Acesso em 04/06/2018.

OLIVEIRA, C. O Ambiente Urbano e a Formação da Criança. São Paulo: Aleph, 2004.

ORGANIZAÇÃO Pan-Americana da Saúde. Manual para vigilância do desenvolvimento infantil no contexto da AIDPI. Washington, D.C.: OPAS, 2005.

PESQUISA sobre o uso da internet por crianças e adolescentes no Brasil. Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2016.

RASMUSSEN, K. Places for children - Children’s places. Childhood, v.11, n.2, p.155-173, 2004. Disponível em: http://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.1177/0907568204043053. Acesso em 02/06/2018.

RAYMUNDO, L. S.; KUHNEN, A.; SOARES, L. B. O espaço aberto da educação infantil: lugar para brincar e desenvolver-se. Psicologia em Revista, v.16, n.2,p. 251-270, 2010. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/psicologiaemrevista/article/view/P.1678-9563.2010v16n2p251/1937. Acessoem 04/06/2018.

RIDGERS, N. D. et al. Long-term effects of a playground markings and physical structures on children’s recess physical activity levels. In: Preventive Medicine, v.42, n.5, p. 393-397, 2007. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/2aae/fdb2926e10034d052f6e5c05add904dacad8.pdf. Acesso em 25/05/2018.

SOUZA, A. M.; VIEIRA, M. L. Origens históricas da brincadeira. Psicologia Brasil, v.2, n.7, 2004.

TIRIBA, L. Crianças da Natureza. Anais do I Seminário Nacional: currículo em movimento – Perspectivas Atuais. Belo Horizonte, 2010. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2010-%20pdf/7161-2-9-artigo-mec-criancas-natureza-lea-tiriba/file. Acesso em 04/06/2018.

TIRIBA, L. Crianças, natureza e educação infantil. 2006.Disponível em: http://www.anped.org.br/sites/default/files/gt07-2304.pdf. Acesso em 20/05/2018.

VASCONCELOS, G.S.M. As contribuições da psicologia do desenvolvimento na perspectiva histórico cultural para a participação infantil. Zero-a-Seis, Florianópolis, v. 17, n. 31, p. 92-106, Florianópolis, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/zeroseis/article/view/37881. Acesso em: 02/06/2018.

VYGOTSKY, L. S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV, A. N. Linguagem, Desenvolvimento e Aprendizagem. 3.ed. São Paulo: Ícone, 1991.

Published

01/01/2019

How to Cite

DA ROCHA, B. N.; COSTA, C. A. da; LAGO, F. C.; ARUDA, J. M. P. de; ABREU, P. G.; SCHUMACHER, C.; KRUEL, C. S.; GUAZINA, F. M. N.; CARLESSO, J. P. P. Children in the public place: contributions for a Healthy development. Research, Society and Development, [S. l.], v. 8, n. 2, p. e1582595, 2019. DOI: 10.33448/rsd-v8i2.595. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/595. Acesso em: 19 sep. 2021.

Issue

Section

Health Sciences