The philosophy of education as problematizing and reflective in teacher education

Authors

  • Leonardo Mendes Bezerra Universidade Estadual do Maranhão, Campus Balsas
  • Ana Cristina Teixeira de Brito Carvalho Universidade Estadual do Maranhão
  • Laíra de Cássia Barros Ferreira Maldaner Universidade Estadual do Maranhão

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v8i2.612

Keywords:

Reflective education. Humans values. Axiology.

Abstract

This article aims to analyze the perception of graduates of the course of Letters of the State University of Maranhão, Campus Balsas, about the curricular component "Philosophy of Education" in teacher education. The conception of the relations between the thinking and the pedagogical doing in the Philosophy of Education classes can be a differential in the teacher formation. Methodologically, analytical and explanatory research was used with the aid of questionnaires. The public was selected by the random sample, especially those who worked in basic education. The analysis of quantitative and qualitative content summarized the main categories revealed in the research, namely: 1. Philosophy of Education: problematization and reflection on educational issues; 2. Critical-reflective educational thinking in the philosophical aspect; 3. The constitution of human values in the formation of the citizen. In view of this, it was found that the discipline provided the graduates with subsidies for problematizing, reflexive and critical actions on pedagogical issues in a radical, rigorous and joint manner, according to the precepts proposed by Saviani.

References

ALMEIDA FILHO, J. C. P. Conhecer e desenvolver a competência profissional dos professores de LE. In: Contexturas: Ensino Crítico de Língua Inglesa. São Paulo: APLIESP, n.9, 2006, p.9-19.

ANASTASIOU, L. G.; PIMENTA, S. G. Didática e construção da identidade dos professores do ensino superior. In: Docência do ensino superior. 5. ed. São Paulo: Cortez Editora, 2014, p. 78-79.

ARANHA, M. L. A. História da Educação. 2. ed. São Paulo: Moderna, 2000.

ARISTÓTELES. A política. São Paulo: Martin Claret, 2006.

ASPIS, R. L.; GALLO, S. Ensinar Filosofia: um livro para professores. São Paulo: Atta Mídia e Educação, 2009.

BEISIEGEL, C. R. Paulo Freire. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, Massangana, 2010 (Coleção os Pensadores-MEC).

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BEZERRA, L. M.; CARVALHO, A. C. T. B.; LIMA, T. J. M. Os saberes necessários para a formação do professor: um olhar sob o prisma discente. In: Anais III CONEDU. Campina Grande: Realize, 2016. Disponível em: http://www.editorarealize.com.br/revistas/conedu/trabalhos/TRABALHO_EV056_MD1_SA4_ID4322_15082016112210.pdf. Acesso em: 10 mai. 2018.

BEZERRA, L. M.; SILVA, M. N. S. Por que os professores de filosofia deveriam ensinar o direito à igualdade em sala de aula? InterEspaço Revista de Geografia e interdisciplinaridade. V. 4. N. 13. jan./abr. 2018, p. 198-217.

BRASIL. Lei nº 9.394/96, de 20/12/1996. Estabelece as diretrizes e bases para a educação nacional. Diário Oficial da União. Brasília: 23/12/1996.

BRASIL. Resolução CNE/CP 2/2004. Adia o prazo previsto no art. 15 da Resolução CNE/CP 1/2002, que institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena, 2004.

BRASIL. Lei nº 11.738/2008. Regulamenta a alínea “e” do inciso III do caput do art.60 do Ato As Disposições Constitucionais Transitórias, para ins¬tituir o piso salarial profissional para os profissionais do magistério público da educação básica, 2008.

BRASIL. Lei Nº 12796 DE 04/04/2013. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dá outras pro¬vidências, 1996.

CAMPOS, L. M. A leitura sintópica (ou comparativa) na prática pedagógica. (Monografia de Especialização) Pós-graduação lato sensu em Coordenação Pedagógica. Universidade Federal do Paraná. Curitiba: Universidade Federal de Curitiba, 2016. Disponível em: <https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/54615/R%20-%20E%20-%20LEANDRO%20MACHADO%20CAMPOS.pdf?sequence=1&isAllowed=y> .Acesso em: 29 set. 2018

CURY, C. R. J. A formação docente e a educação nacional. 2013. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/conselheiro.pdf.> Acesso em 30 set. 2018.

FIALHO, D. S.; FIDELES, L. L. AS PRIMEIRAS FACULDADES DE LETRAS NO BRASIL. IN: HELB – HISTÓRIA DO ENSINO DE LÍNGUAS NO BRASIL. 2008. ANO 2 - Nº 2 - 1/2008

FIORIN, J. L. A Criação dos cursos de letras no Brasil e as primeiras orientações da pesquisa linguística universitária. In: Revista Línguas e Letras. Cascavel: UNIOESTE.V. 7 n. 12, 2006.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 30 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2014.

FREIRE, P. Educação e Mudança. 38 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 2016.

GEHLEN, S. T. A função do problema no processo ensino - aprendizagem de ciências: contribuições de Freire e Vygotsky. Florianópolis: UFSC, 2009. (Tese doutorado).

GHIRALDELLI JÚNIOR, P. O que é filosofia da educação. São Paulo: Ática, 2007.

GILES, T. R. Filosofia da educação. São Paulo: EPU, 1983, p.11-66.

GONZALEZ REY, F. Pesquisa qualitativa e subjetividade. Os processos de construção da informação. São Paulo: CENAGE, 2007.

GOUVEIA, V.V.; MILFONT, T.L.; FISCHER, R.; SANTOS, W.S. Teoria funcionalista dos valores humanos. In: TEIXEIRA, M. L. M. Valores Humanos & Gestão: novas perspectivas. São Paulo: Editora Senac, p. 47-80, 2008.

HOBBES, Thomas. Leviatã ou matéria, Forma e Poder de um Estado Eclesiástico e Civil. São Paulo: Martin Claret, 2014

KIERKEGAARD, S. As obras do amor: algumas considerações cristãs em forma de discursos. Petrópolis: Vozes, 2013.

LIBÂNEO, J. C. Didática. 2.ed. São Paulo: Cortez, 2013.

MASETTO, M. T. Competência pedagógica do professor universitário. São Paulo: Summus, 2012.

LUCKESI, C. C. Filosofia da educação. 3.ed. São Paulo: Cortez, 2011.

OLIVEIRA, L.E.M. A instituição do ensino das línguas vivas no Brasil: o caso da língua inglesa (1809-1890). 2006. 373 f. Tese (Doutorado) – Pontifícia Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

PAIVA, V.L.M.O. O novo perfil dos cursos de licenciatura em letras. In: TOMICH, et al. (Org.). A interculturalidade no ensino de inglês. Florianópolis: UFSC, 2005. p. 345-363.

ROUSSEAU, J-J. Do contrato social. 2 ed. São Paulo: Editora Edipro , 2015

ROS, M. Valores, atitudes e comportamento: uma nova visita a um tema clássico. ROS, M.; GOUVEIA, V.V. Psicologia social dos valores humanos: desenvolvimentos teóricos, metodológicos e aplicados. São Paulo: Editora Senac, 2006, p. 87-114.

SAIBABA, S. A Verdadeira educação conduz à divindade. Santhana Saranthi, vol. 43, nº. 5, 2000.

SAVIANI, D. A filosofia na formação do educador. Revista D/doto, Edição nº 1, vol. 1, janeiro de 1975. Disponível em: <http://portalgens.com.br/portal/images/stories/pdf/A_

filosofia_na_formao_do_educador.pdf.> Acesso em: 10 jun. 2018.

SILVA, S.; MURARO, D. N. Relações entre o pensar e a educação na obra de Paulo Freire. Revista eletrônica: ensino de sociologia em debate. Edição Nº. 3, Vol. 1, jan./dez. 2013. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/lenpes-pibid. Acesso em: 12 mai. 2018.

UEMA. Projeto político pedagógico do curso de licenciatura em letras – língua portuguesa, língua inglesa e respectivas literaturas. Balsas: UEMA/CESBA, 2013.

Published

01/01/2019

How to Cite

BEZERRA, L. M.; CARVALHO, A. C. T. de B.; MALDANER, L. de C. B. F. The philosophy of education as problematizing and reflective in teacher education. Research, Society and Development, [S. l.], v. 8, n. 2, p. e1782612, 2019. DOI: 10.33448/rsd-v8i2.612. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/612. Acesso em: 24 sep. 2021.

Issue

Section

Education Sciences