Crateús in the fight against racism: teachers' reflections on an activity in a non-formal educational space

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.6772

Keywords:

Racism; Non-formal space; Teaching; Learning.

Abstract

The present work deals with a pedagogical experience entitled “Crateús in the fight against racism”, held in a non-formal educational space, in December 2018, in the municipality of Crateús / CE. It aims to address the concepts of prejudice, racism and intolerance and to present the Brazilian legal apparatus that deal with equality and the dignity of the human person, such as the Federal Constitution of 1988, the “Caó” Law and the Racial Equality Statute. In the educational field, it highlights the importance of Law 11,645 / 2008, which includes in the official curriculum of the education network the mandatory theme of Afro-Brazilian and Indigenous History and Culture. Through descriptive research, with a qualitative approach, this article brings up reflections on the event, which took place in a public square and was designed, built and carried out by representatives of several institutions and aimed at the entire population. The activity aimed to generate a reflection on the theme of racism and the necessary movement of resistance and struggle to affirm, consolidate and expand the rights of the black population. Using spaces that are not the classroom and privileging other actors in the teaching and learning process that are not teachers and students, proved to be potentializers in carrying out reflective and educational actions.

Author Biographies

Lígia Vieira da Silva Cavalcante, Universidade do Vale do Taquari

Cursa Mestrado Acadêmico em Ensino pela UNIVATES; possui Especialização em Serviço Social, Segurança Social e Legislação Previdenciária pela Faculdade Ratio (2014); graduação em Serviço Social pela Universidade Estadual do Ceará (2011). Professora e Coordenadora do Curso de Bacharelado em Serviço Social da Faculdade Princesa do Oeste FPO. Membro do NUCRESS-Crateús. Tem experiência na área de Serviço Social, Política Social, Segurança Social, Trabalho, Ensino e Formação de Professores.

Geilson de Arruda Reis, Universidade do Vale do Taquari

Discente do PPGEnsino - Mestrado Acadêmico em Ensino da Universidade do Vale do Taquari – Univates. Graduado em Geografia e Pedagogia. Pós graduado em Metodologia do Ensino da Geografia Aplicada ao Planejamento Ambiental; Educação em Direitos Humanos; Atendimento Educacional Especializado (AEE) e Psicopedagogia Clínica e Institucional. Atualmente é professor de Geografia e Ciências Humanas do Ensino Médio EBEP e EMIEP na Escola Marly Sarney SESI. Desde janeiro de 2019 está lotado no Departamento Pedagógico/Setor Anos Finais da Secretaria Municipal de Educação de Imperatriz/Semed, atuando como técnico e professor formador na rede. Atuante em Educação Ambiental. Membro Titular representando a Semed no Conselho Municipal de Meio Ambiente de Imperatriz-MA para o biênio 2019 2021, (Portaria Nº 10.213 de 03 de junho de 2019). Desde 2019 é voluntário, nas atividades do Projeto de Pesquisa "Currículo, espaço e movimento vinculado ao Programa de Pós Graduação em Ensino da Univates. No turno vespertino trabalha na área da Educação Inclusiva, como professor de AEE em Sala de Recursos Multifuncional no CAEE do Departamento Municipal de Educação Inclusiva DEMEI Gusmão, na Rede de Ensino do município de Davinópolis-MA.

References

Barroco, M. L. S. (2016). Série assistente social no combate ao preconceito: o que é preconceito? CFESS. Brasília (DF).

Brasil, C. F. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm

Brasil. (1989). Lei 7.716, de 5 de janeiro de 1989. Recuperado de: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7716.htm

Brasil. (2008). Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Recuperado de: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11645.htm

Brasil. (2010). Lei nº 12.288, de 20 de julho de 2010. Institui o Estatuto da Igualdade Racial. Recuperado de: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Lei/L12288.htm

Cerqueira, D. et al (2018). Atlas da violência. Rio de Janeiro: Ipea.

Chaui. M. (1996). Senso comum e transparência. In: J. Lerner (Org.). O preconceito. São Paulo, Imprensa Oficial do Estado.

Ministério da Educação (2004). Diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana. Brasília, DF.

Critelli, D. (2004). Martin Heidegger e a essência da técnica. Margem, São Paulo, n.16, p.83-89.

Fabris, H. H. (2001). Não resta dúvida, a escola vive em outro tempo e espaço. In: Schmitd, S. (org). A educação em tempos de globalização. DP&A, p.91-97.

Gohm, M. G. (1999). Educação não-formal e cultura política: impactos sobre o associativismo do terceiro setor. São Paulo, Cortez.

Lopes, L. C. & Veiga-Neto, A. (2004). Os meninos. Educação & realidade.Vol. 29, n.1, p.229-239.

Marchesan, M. R. et al (2017). Os desafios da escola contemporânea: enunciações de uma professora da rede pública de educação. Revista Thema, v. 14, n.1, p.304-319.

Marconi, M. A. & Lakatos, E. M. (2018). Técnicas de pesquisa. 8. ed. São Paulo: Atlas.

Moran, J. M. (2012). Ensino e aprendizagem inovadores com tecnologias audiovisuais e telemáticas. In: In: Moran, J. M, Masetto, M. T. & Behrens, M. A. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 19. ed. São Paulo: Papirus.

Minayo, M. C. S. (2015). O desafio da pesquisa social. In: Minayo, M. C. S (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 34. ed. Petrópolis: Vozes.

Pastoriza, B. S. & Del Pino, J. C. (2015). Para falar de disciplina, corpos e conhecimentos entre os muros da escola. Revista Eletrônica de Educação, v. 9, n. 1, p. 301-317.

Rocha, R. (2016). Série assistente social no combate ao preconceito: racismo. CFESS. Brasília (DF)

Schwertner, S. F. (2019). Fotografias em discurso: as funções da escola em foco. Reflexão e Ação. v. 27, n. 1, p. 133-150.

Published

15/08/2020

How to Cite

Cavalcante, L. V. da S., & Reis, G. de A. (2020). Crateús in the fight against racism: teachers’ reflections on an activity in a non-formal educational space. Research, Society and Development, 9(9), e181996772. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.6772

Issue

Section

Education Sciences