Impasses and perspectives in the context of the full-time school: an analysis from the student's view

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7093

Keywords:

Full-time school; Integral education; Students.

Abstract

Full-time education, considered as a means to obtain quality education, has been the subject of major studies and discussions in recent years in our country, due to the search for commitment to an integral education of students. The discussion around this teaching modality is due to its effectiveness in terms of teaching and learning, as well as human formation, fundamental requirements for the universalization of a quality public school. In this context, this article aims to investigate the potential and challenges of full-time school in the view of students who are linked to educational institutions that offer this modality. Through a qualitative and quantitative approach, an online questionnaire was applied to 150 students, enrolled in the three grades of high school in two full-time schools, one in Ceará State and another in Goiás State, who pointed out positive and negative aspects regarding this school modality. Through the analysis of obtained data, it was possible to infer that, even with promising results, this educational modality still inspires attention in its consolidation, given the need for a joint participation of the entire school community in order to ensure an accessible education for all. From the student perspective, the full-time school is a center of opportunities.

Author Biography

Alyson Fernandes de Oliveira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás

Mestre em Educação em Ciências e Matemática, pelo Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática da Universidade Federal de Goiás (UFG) e graduado em Licenciatura em Matemática pela Universidade Estadual de Goiás, Campus Anápolis de Ciências Exatas e Tecnológicas - Henrique Santillo (UEG - CCET), e em Pedagogia pela Faculdade Educacional da Lapa (FAEL). Professor efetivo da Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Tecnologia da cidade de Anápolis - GO, e professor substituto do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia - Campus Anápolis (IFG). Pós-graduando em Docência na Educação Básica, pelo Instituto Federal de Minas Gerais, Campus Avançado Arcos (IFMG). Integra o grupo de pesquisa: O conhecimento produzido sobre o professor e sua formação nas dissertações do Programa Mestrado em Educação em Ciências e Matemática da UFG - 2009-2014, vinculado a REDECENTRO. Tem experiência na área de Matemática, com ênfase na área de Educação Matemática e Educação Estatística.

References

Artiaga, D. M. & Alves, D. A. Sobrinho, S. C. (2017). Perspectivas dos alunos sobre o ensino médio integrado: por que o fazem? In A. C. Araújo & C. N. N. Silva (Org.). Ensino médio integrado no Brasil: fundamentos, práticas e desafios. Brasília: Ed. IFB.

Brand, Z. (2009). Escola de tempo integral e cidadania escolar. Em Aberto, 21(80), 97–108.

Brasil. (1988). Constituição Federal de 1988, de 5 de outubro de 1988. Acesso em 27 de junho de 2020, em https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/518231/CF88_Livro_ EC91_2016.pdf

Brasil. (1996). Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, LDB. 9394/1996. Acesso em 30 de junho de 2020, em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm.

Brasil. (2017). Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC. Acesso em 30 de junho de 2020, em http://basenacionalcomum.mec.gov.br/.

Brasil. (2017). O Novo Ensino Médio. Brasília: MEC. Acesso em 28 de junho de 2020, em http://novoensinomedio.mec.gov.br/#!/pagina-inicial.

Carneiro, M. A. (2012). O nó do ensino médio. Petrópolis, RJ: Vozes.

Carvalho, F. A. N. (2018). Impacto da relação entre família e escola no desempenho acadêmico do aluno. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento, 13, Ano 3, Ed. 08, 111-139. ISSN: 2448-0959.

Cavaliere, A. M. (2009). Escolas de tempo integral versus alunos em tempo integral. Em aberto, 22(80), 51-63.

Cavaliere, A. M. (2007). Tempo de escola e qualidade na educação pública. Educação e Sociedade, 28(100), 1015-1035.

Ceará, Secretaria Estadual de Educação e Cultura. (2020). Com 25 novas escolas em tempo integral, jornada ampliada de ensino chega a 38% da rede estadual. Fortaleza: SEDUC. Acesso em 28 de junho de 2020, em https://www.ceara.gov.br/2020/02/13/com-25-novas-escolas-em-tempo-integral-jornada-ampliada-de-ensino-chega-a-38-da-rede-estadual/.

Chaves, A. A. P. (2011). Avaliação dos recursos de educação ambiental nos espaços e escolas municipais de Curitiba, Dissertação (Mestrado). Universidade Tecnológica Federal do Paraná, 176 f.

Coelho, J. S. (2011). O trabalho docente na Escola Integrada, Dissertação (Mestrado). Universidade Federal de Minas Gerais como, 212 f.

Dutra-Thomé, L., Pereira, A. S., & Koller, S. H. (2016). O desafio de conciliar trabalho e escola: características sociodemográficas de jovens trabalhadores e não trabalhadores. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 32(1), 101-109.

Ferreira, C. M. P. S. (2007). Escola em tempo integral: possível solução ou mito na busca da qualidade? Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 149 f.

Ferretti, C. J., Vianna, C. P., & Souza, D. T. R. de. (1991). Escola pública em tempo integral: O PROFIC na rede estadual de São Paulo. Caderno Pesquisa, 76, 5–17.

Gatti, B. A. (2002). A construção da pesquisa em educação no Brasil. Brasília: Plano Editora.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas.

Gonçalves, A. S. (2006). Reflexões sobre educação integral e escola de tempo integral. Cadernos Cenpec | Nova série, 1(2), 129-135.

Guará, I. M. F. R. (2006). É Imprescindível Educar Integralmente. Cadernos Cenpec | Nova série, 1(2), 15-24.

Gusmão, C. A. (2016). Educação profissional técnica de nível médio integrada ao ensino médio: a perda do caráter profissionalizante? Dissertação (Mestrado - Mestrado Profissional em Educação) – Universidade de Brasília, Brasília, 181 f.

Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional - IEDE. (2019). Excelência com Equidade no Ensino Médio: a dificuldade das redes de ensino para dar um suporte efetivo às escolas. Portaliede. Acesso em 28 de jun. de 2019, em https://www.portaliede.com.br/excelencia-com-equidade-no-ensino-medio-estudo-mapeia boas-praticas-das-escolas-publicas-que-atendem-alunos-de-baixo-nivel-socioeconomico/.

Klein, G. F., & Nascimento, E. C. (2013). Fadiga física e estresse: estudo o desempenho de estudantes expostos a dupla jornada. Congresso Nacional de Educação – EDUCERE, 13, Anais. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná.

Matias, N. C. F. (2009). Escolas de tempo integral e atividades extracurriculares: universos à espera da Psicologia brasileira. Psicologia em revista, 15(3), 120-139.

Maurício, L. V. (2004). Literatura e representações da escola pública de horário integral. Revista Brasileira de Educação, 27, 40-56.

Monteiro, A. M. (2009). Ciep - escola de formação de professores. Em Aberto, 22, 35-49.

Paro, V. H. et al. (1988). A escola pública de tempo integral: universalização do ensino e problemas sociais. Caderno Pesquisa, 65, 11–20.

Paro, V. H. et al. (1988). Escola de tempo integral: desafio para o ensino público. São Paulo: Cortez.

Ramos, M. (2008). Concepção do ensino médio integrado. Texto apresentado em seminário promovido pela Secretaria de Educação do Estado do Pará nos dias 8 e 9 de maio.

Reis Júnior, R. L. (2017). Ensino Médio Integrado: correlação de força de uma escola em disputa. In A. C. Araújo & C. N. N. Silva (Org.). Ensino médio integrado no Brasil: fundamentos, práticas e desafios. Brasília: Ed. IFB.

Riguetti, M. A. M., Castro, V. C. de, & Silva, R. D. S. (2019). O novo ensino médio como ferramenta reprodutora do capital cultural. Scientia Vitae, 7, 1-9.

Santos, D. S., Nadaletti, C. L., & Soares, M. S. (2017). O ensino médio integrado à educação profissional: avanços e desafios. In A. C. Araújo, & C. N. N. Silva (Org.). Ensino médio integrado no Brasil: fundamentos, práticas e desafios. Brasília: Ed. IFB.

Sobrinho, S. C. (2017). Diretrizes institucionais e a perspectiva da integração curricular no IF Farroupilha. In A. C. Araújo, & C. N. N. Silva (Org.). Ensino médio integrado no Brasil: fundamentos, práticas e desafios. Brasília: Ed. IFB.

Published

17/08/2020

How to Cite

Oliveira, A. F. de, Silva, C. B. da ., & Pereira, J. L. (2020). Impasses and perspectives in the context of the full-time school: an analysis from the student’s view. Research, Society and Development, 9(9), e268997093. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7093

Issue

Section

Education Sciences