Thematic trends in monographs and the initial training proposal for a degree Course in Chemistry

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7938

Keywords:

Teacher training; Monographs; Production tendencies.

Abstract

This research aims to identify tendencies in the themes of the monographs presented by undergraduate Chemistry students at the Centro Universitário Norte do Espírito Santo, campus of the Federal University of Espírito Santo, between the periods from 2014 to 2018, analyzing them in the light of the course’s initial training proposal. Methodologically, the work was carried out by means of documentary analysis, configuring itself as a quali-quantitative research of a descriptive nature. To obtain the data, 25 monographs, the Pedagogical Project for the Chemistry course, the course curriculum and course menus were analyzed. The results show that 64% of the monographs fit in the category of Science / Chemistry Education with emphasis on the thematic line of “processes, resources and educational materials” presenting the largest number of works produced. The remaining 36% are works that follow the category of Scientific Research in the area of Chemistry, highlighting the “Organic Chemistry” area in quantity of production. When analyzing the tendencies of the monographs, it was found that they are aligned with the initial training proposal foreseen for the course. It is understood that the tendencies of monographic productions have their aspects rooted in the culture and also reflect the characteristics of the initial training received by graduates.

References

Associação Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências. ABRAPEC. (2019). Linhas Temáticas. XII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Natal. Recuperado de http://www.abrapecnet.org.br/enpec/xii-enpec/txt/3.

Auler, D., Dalmolin, A. M. T., & Fenalti, V. S. (2009). Abordagem Temática: natureza dos temas em Freire e no enfoque CTS. Alexandria Revista de Educação em Ciências e Tecnologia, 2(1), 67-84. Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/alexandria/article/view/37915.

Brasil. Parecer CNE/CES 1.303/2001. (2001). Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Química. Diário Oficial da União, Brasília, DF. Seção 1, p. 25. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES1303.pdf.

Brasil. Parecer CNE/CP 9/2001. (2001). Conselho Nacional de Educação. Conselho Nacional de Educação Superior. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica. Diário Oficial da União, Brasília, DF. Seção 1, p. 31. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/009.pdf.

Carvalho, A. M. P., & Gil-Perez, D. (1993). Formação de professores de ciências. São Paulo: Cortez.

Chacon, E. P., Ribeiro, C. M. R., & Borges, M. N. (2012). Percurso da modificação curricular da licenciatura em química da Universidade Federal Fluminense e seu reflexo no perfil dos trabalhos de conclusão do curso. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias. 11(3), 487-500. Recuperado de http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen11/REEC_11_3_1_ex624.pdf.

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Tabela de Áreas do Conhecimento. [S.I]. Recuperado de http://lattes.cnpq.br/documents/11871/24930/TabeladeAreasdoConhecimento.pdf/d192ff6b-3e0a-4074-a74d-c280521bd5f7.

Freitas, H. C. L. (2002). Formação de professores no Brasil: 10 anos de embate entre projetos de formação. Educação & Sociedade, Campinas, 23(80), 137-168. DOI: 10.1590/S0101-73302007000300007.

Gauche, R., Silva, R. R., Baptista, J. A., Santos, W. L. P., Mól, G. S., & Machado, P. F. L. (2008). Formação de professores de química: concepções e proposições. Química Nova na Escola, (27), 26-29. Recuperado de http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc27/05-ibero-4.pdf.

GIL, A. C. (2006). Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGE - Censo Agropecuário 2017. Resultados definitivos. Rio de Janeiro: IBGE, 2017. Recuperado de https://censoagro2017.ibge.gov.br/templates/censo_agro/resultadosagro/agricultura.html?localidade=32&tema=76256.

Kasseboehmer, A. C. (2006). Formação inicial de professores: uma análise dos cursos de licenciatura em química das universidades públicas do estado de São Paulo. 2006. 174 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Exatas e da Terra) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos.

Massena, E. P., & Monteiro, A. M. F. C. (2011). Marcas do currículo na formação do licenciando: uma análise a partir dos temas de trabalhos finais de curso da licenciatura em química da UFRJ (1998-2008). Química Nova na Escola, 33(1), 10-18. Recuperado de http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc33_1/02-EA8009.pdf.

Megid Neto, J. (1999). Tendências da pesquisa acadêmica sobre o Ensino de Ciências no nível fundamental. 1999. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo.

Minayo, M. C. S., & Sanches, O. (1993). Quantitativo-qualitativo: oposição ou complementaridade? Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 9(3), 239-262. DOI: 10.1590/S0102-311X1993000300002.

Moraes, R. (2003). Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência & Educação: Bauru, SP, 9(2), 191-210. DOI: 10.1590/S1516-73132003000200004.

Novoa, A. (1992). Formação de professores e profissão docente. In: António Nóvoa (coordenação). Os professores e a sua formação. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 13-33. Recuperado de http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/4758/1/FPPD_A_Novoa.pdf.

Oliveira, M. M. (2007). Como fazer pesquisa qualitativa. Petrópolis: Vozes.

Pontuschka, N. N. (1999). A Geografia: pesquisa e ensino. In: Ana Fani Alessandri Carlos, (Org.). Novos Caminhos da Geografia. São Paulo: Contexto, 111-142.

Ramos, T. A., & Rosa, M. I. P. (2013). Entre disciplinas pedagógicas e disciplinas específicas: a formação de professores e a questão do estágio supervisionado em um curso de licenciatura integrada. Olh@res: Guarulhos, 1(1), 207-238. DOI: 10.34024/olhares.2013.v1.16.

Salvatierra, L. (2019). O interesse pessoal e o fator professor no processo de aprendizagem do aluno. Itinerarius Reflectionis, 15(1), 01 -21. DOI: 10.5216/rir.v15i1.53465.

Silva, A. L. R., & Moura, F. M. T. (2020). História da Química nos Projetos Pedagógicos nas Licenciaturas em Química das Universidades Cearenses. Research, Society and Development, 9(9), 01-32. DOI: 10.33448/rsd-v9i9.7133.

Silva, C. S., & Oliveira, L. A. A. (2009). Formação Inicial de Professores de química: formação específica e pedagógica. In: R. NARDI, (Org.). Ensino de Ciências e Matemática: temas sobre a formação de professores. (pp. 43-57). São Paulo: Cultura Acadêmica. Recuperado de http://books.scielo.org/id/g5q2h/pdf/nardi-9788579830044-04.pdf.

Silva, R. M. G., & Schnetzler, R.P. (2005). Constituição de professores universitários de disciplinas sobre ensino de química. Química Nova, 28(6), 1123-1133. DOI: 10.1590/S0100-40422005000600030.

Sousa, L. L., & Lemos, J. R. (2018). Perfil dos Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs) do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da Universidade Federal do Piauí - Campus Ministro Reis Velloso (Brasil). Revista Espacios, [s.i], 39(29), 4-13. Recuperado de https://www.revistaespacios.com/a18v39n29/a18v39n29p04.pdf.

Souza, S. E. (2007). O uso de recursos didáticos no ensino escolar. In: I Encontro de Pesquisa em Educação, IV Jornada de prática de ensino, XIII Semana de pedagogia da UEM: “infância e práticas educativas”. ArqMudi.

Trindade, G. A. (2010). Tendência(s) das monografias do curso de Licenciatura em Geografia. Ra'e ga (UFPR), 20, 143-156. DOI: 10.5380/raega.v20i0.20618.

Published

11/09/2020

How to Cite

Malta, E. da S., Coelho, F. T., Kavalek, D. S. ., & Bianco, G. (2020). Thematic trends in monographs and the initial training proposal for a degree Course in Chemistry. Research, Society and Development, 9(9), e871997938. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7938

Issue

Section

Education Sciences