The landscape of the urban perimeter of the Grajaú river (Maranhão) analyzed from visual quality indicators

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v8i5.978

Keywords:

Landscape; Environmental Perception; Grajaú River; Visual Quality Indicators.

Abstract

This paper analyzes the environmental perception and the analysis of the landscape of the urban perimeter of the Grajaú river, in the city of the same name, state of Maranhão – Brazil. The objective was to analyze the environmental perception of grajauense population in relation to changes in the landscape of Grajaú river, as well as the impacts generated by human activities over the past few years. The research was qualitative and the methodology consisted of bibliographical review about the landscape and environmental perception terms in geographical approaches and were used in the indicators visual quality of the landscape, methodological approach adopted from Pires (2005). To check the degree of environmental perception of population were conducted semi-structured interviews. The results showed that the landscape of the Grajaú river presents average visual quality and although the population has sensitivity in relation to the situation of the river, there is little actions for their conservation.

References

Amorim Filho, O. B. (2002). Os estudos da percepção como a última fronteira da gestão ambiental. Anais do II Simpósio Situação Ambiental e Qualidade de Vida na Região Metropolitana de Belo Horizonte e Minas Gerais. Associação Brasileira de Geologia de Engenharia. Belo Horizonte, p. 16-20.

Bertrand, G. (2004). Paisagem e geografia física global: esboço metodológico. Ra'e Ga - O Espaço Geográfico em Análise, 8(1), 141-152.

Cavalcanti, A. P. B. (2011). Percepção e paisagem geográfica: procedimentos teóricos e metodológicos da pesquisa de campo. Geografia e Pesquisa, 5(1), 103-122.

Maciel, C. A. A. (2001). Morfologia da paisagem e imaginário geográfico: uma encruzilhada onto-gnoseológica. GEOgraphia, 3(6), 71-82. Disponível em: <https://doi.org/10.22409/GEOgraphia2001.v3i6.a13412>. Acesso em: 26 dez. 2017.

Marin, A. A. (2008). Pesquisa em educação ambiental e percepção ambiental. Pesquisa em Educação Ambiental, 3(1), 203-222.

Moura, D. V. & Simões, C. S. (2010). A evolução histórica do conceito de paisagem. Ambiente & Educação, 15(1), 179-186.

Oliveira, L. de. (2012). Percepção Ambiental. Geografia e Pesquisa, 6(2), 56-72.

Pires, P. dos S. (2005). A análise de indicadores da qualidade visual como etapa da caracterização de paisagens turísticas: uma aplicação no distrito-sede de Porto Belo – SC. Turismo: Visão e Ação, 7(3), 417-426.

Salgueiro, T. B. (2001). Paisagem e Geografia. Finisterra, Lisboa, 36(72), 37-53.

Salvio, V. L. (2008). Paisagens dos sítios arqueológicos de pintura rupestre da região de Diamantina-MG. Dissertação de Mestrado em Geografia. Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

Santiago-Almeida, M. M. (2011). Minidicionário livre da língua portuguesa. São Paulo: Hedra.

Santos, M. (2012). A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo. Razão e Emoção. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo.

Sauer, C. O. (1998). A morfologia da paisagem. En: Corrêa; R. L. & Rozendahl, Z. (Org.). Paisagem, tempo e cultura. Rio de Janeiro: EdUERJ, p. 12-74.

Schier, R. A. (2003). Trajetórias do conceito de paisagem na geografia. Ra'e Ga - O Espaço Geográfico em Análise, 7(1), 79-85.

Tuan, Yi-fu. (2012). Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Londrina: EDUEL.

Published

06/03/2019

How to Cite

LIMA, C. A. de S.; SILVA, M. N. S. da. The landscape of the urban perimeter of the Grajaú river (Maranhão) analyzed from visual quality indicators. Research, Society and Development, [S. l.], v. 8, n. 5, p. e2685978, 2019. DOI: 10.33448/rsd-v8i5.978. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/978. Acesso em: 27 sep. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences