From the cafeteria to the nutrition and food unit (UAN): The transitions in the context of school feeding

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i6.15497

Keywords:

School feeding; School food handlers; Brazilian School Feeding Program–PNAE; Food and nutrition security.

Abstract

This study aims to analyze the school feeding transition process by taking into account the changes in the structure of its production space. An ethnographic research was carried out in a public school located in a low-income neighborhood in the city of Salvador (Bahia, Brazil) from October to December 2014 by mainly interviewing the school lunch handlers in that institution. In order to establish a dialogue with the empirical data gathered in the field, scientific publications and official documents were analyzed. Results show the transition from the “Cafeteria” to the “Nutrition and Food Unit” was shown to prevail much more at the conceptual than at the structural level, thus producing two symbolic spaces: the “ideal kitchen”, fully in line with both the legislation and the content regarding the handlers’ training, and the “real kitchen”, in which everyday practices take place. Further advances in PNAE-related policies should consider listening to all personnel involved in the process and undertake a critical reflection about their effectiveness in school settings.

Author Biographies

Lígia Amparo da Silva Santos, Universidade Federal da Bahia

Professora Associada III da Escola de Nutrição da Universidade Federal da Bahia, com formação de nutricionista e educação física, Mestrado em Medical Education - University of Dundee (1998), Doutorado em Ciências Sociais, com concentração em Antropologia, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2006). Realizou Doutorado Sanduíche na Centre des Études Transdisciplinaires Sociologie, Anthropologie, Histoire na École des Hautes Études en Sciences Sociales ? CETSAH/ EHESS, França. Atua nas linhas de Alimentação, Cultura e Saúde e e Educação Alimentar e Nutricional, trabalhando os seguintes temas, corpo, obesidade e saúde, antropologia da alimentação, antropologia do corpo, alimentação e cultura, alimentação escolar e alimentação saudável, dentre outros.Foi subcoordenadora de do Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição do Escolar (FNDE-CECANE/UFBA). Atua no Programa de Pós-Graduação em Alimentos, Nutrição e Saúde da UFBA, como docente orientando trabalhos de dissertação e teses, sendo vice coordenadora (2008-2010) e coordenadora (2010-2012; e de 2015-2019). Coordena o Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação e Cultura - NEPAC, desde 2006, o Programa de Educação Tutorial de Nutrição (PETNUT) de 2010 a 2018, e é uma das coordenadoras da REDE NAUS ? Rede Ibero Americana de Pesquisa Qualitativa em Alimentação e Sociedade. Editora Associada das Revistas Interface ? Comunicação, Saúde e Educação e Revista de Nutrição. Possui publicações de artigos, livros e capítulos de livros nos temas em que atua.

Lilian Miranda Magalhães, Universidade Federal da Bahia

Nutricionista graduada pela Universidade Federal da Bahia. Pós graduação em MBA em Gestão de Negócios em Alimentos pela Universidade Cruzeiro do Sul. Mestre e Doutora em Alimentos, Nutrição e Saúde pela Universidade Federal da Bahia. Pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação e Cultura (NEPAC/UFBA), junto ao qual desenvolve atividades de pesquisa relacionadas aos seguintes temas: Educação Alimentar e Nutricional, Tecnologias Sociais, Segurança Alimentar e Nutricional, Saúde Coletiva, Alimentação e Cultura, Nutrição Clínica. Docente do Centro Universitário Jorge Amado - Unijorge e professora substituta da Escola de Nutrição - Universidade Federal da Bahia.

Maria da Purificação Nazaré Araújo, Universidade Federal da Bahia

Possui graduação em Nutrição pela Universidade Federal da Bahia, mestrado em Nutrição pela UFBA e doutorado em Saúde Pública (ISC UFBA), área de concentração em Ciências Sociais em Saúde, com estágio de doutoramento no Departamento de Antropologia, Filosofia e Trabalho Social, na Universidad Rovira I Virgili, Espanha. Tem experiência na área de Nutrição, com ênfase em Alimentação para Coletividades e pesquisa qualitativa em saúde, atuando principalmente nos seguintes temas: alimentação coletiva, saúde do trabalhador, Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT), alimentação do trabalhador, avaliação de serviços de alimentação e nutrição hospitalares.

References

Cardoso, R. de C. V., Souza, E. V. A. de & Santos, P. Q. dos. (2005). Unidades de alimentação e nutrição nos campi da Universidade Federal da Bahia: um estudo sob a perspectiva do alimento seguro. Revista de Nutrição, 18 (5), 669-680.

Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição do Escolar da Universidade Federal do Rio Grande do Sul & Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição do Escolar da Universidade Federal de São Paulo. (2013). Guia de Instruções das Ferramentas para as Boas Práticas na Alimentação Escolar. http://www.fnde.gov.br/programas/alimentacao-escolar/alimentacao-escolar-material-de-divulgacao/alimentacao-manuais/item/5320-ferramenta-de-boas-práticas-de-fabricação-de-alimento

Chaves, F. M. (2000). Outros olhares em escolas públicas: as relações sociais de trabalho sob a ótica de merendeiras e serventes. Trabalho & Educação, 7(7), 132 -156.

Coimbra, M., Meira, J. F. P. de, & Starling, M. B. de L. (1982). Comer e aprender: uma história da alimentação escolar no Brasil. Belo Horizonte, MG: INAE.

Colombo, M., Oliveira, K. M. P. de & Silva, D. L. D. da. (2009). Conhecimento das merendeiras de Santa Fé, PR, sobre higiene e boas práticas de fabricação na produção de alimentos. Revista Higiene Alimentar, 23 (170/171), 39-46.

Costa, E. de Q. (2001). A dimensão educativa do trabalho das merendeiras: análise do material instrucional elaborado pelo Instituto de Nutrição Annes Dias. Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Da Cunha, D. T., Stedefeldt, E. & De Rosso, V. V. (2012). Boas práticas e qualidade microbiológica nos serviços de alimentação escolar: uma revisão sistemática. Revista Brasileira de Pesquisa em Saúde, 14 (4), 108-121.

Danelon, M. A. S., Danelon, M. S. & Silva, M. V. (2006). Serviços de alimentação destinados ao público escolar: análise da convivência do Programa de Alimentação Escolar e das cantinas. Segurança alimentar e nutricional, 13 (1), 85-94.

Fernandes, A. G. de S. (2012). Alimentando o saber: o perfil das merendeiras, suas percepções em relação ao ofício e as possibilidades para a educação. Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de janeiro, RJ, Brasil.

Ferro, L. L., Fialho, C. J., Pires, C. R. F., Teles, N. B., & Santos, V. F. (2018). Condições higiênico sanitárias de Unidades de Alimentação e Nutrição de escolas públicas do estado do Tocantins. Segurança alimentar e nutricional, 5 (2),118-130.

Gabriel, C. G., Vasconcelos, F. A.G. de, Milanez, G. H. G. & Hulse, S. B. (2010). Cantinas escolares de Florianópolis: existência e produtos comercializados após a instituição da lei de regulamentação. Revista de Nutrição, 23 (2), 191-199.

Gomes, K. dos S. (2014). Cozinhando e dialogando: merendeiras, suas possibilidades e desafios para ações de educação alimentar e nutricional em escolas públicas do Rio de Janeiro. Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Lei n. 11.947, de 16 de junho de 2009. (2009). Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar e do Programa Dinheiro Direto na Escola aos alunos da educação básica; altera as Leis nº 10.880, de 9 de junho de 2004, 11.273, de 6 de fevereiro de 2006, 11.507, de 20 de julho de 2007; revoga dispositivos da Medida Provisória nº 2.178-36, de 24 de agosto de 2001, e a Lei nº 8.913, de 12 de julho de 1994; e dá outras providências. Brasília. 2009.

Lima, A. F. A. de, Cunha, D. T. da & Stedefeldt, E. (2013). Avaliação do risco sanitário em Unidades de Alimentação e Nutrição Escolar da Baixada Santista, SP. Revista Higiene Alimentar, 27 (218/219), 51-56.

Ministério da Saúde. (2004). Resolução RDC nº 216, de 15 de setembro de 2004. Dispõe sobre Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação. Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Ministério da Saúde. (2006). Portaria Interministerial nº 1.010, de 8 de maio de 2006. Institui as diretrizes para a promoção da alimentação saudável nas escolas de educação infantil, fundamental e nível médio das redes públicas e privadas, em âmbito nacional. http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-1010.htm

Ministério da Saúde. (2012) Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprovar as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Conselho Nacional da Saúde. Brasília, DF.

Moysés, M. A., & Collares, C. (1997). Desnutrição, fracasso escolar e merenda. In: Patto, M. H. (Org.) Introdução à psicologia escolar (2a ed.). São Paulo: Casa do Psicólogo.

Oliveira, A. S. S. S., Macedo, J. L., Pereira, I. C., Soares, E. L. P., Gomes, F. O., & Assunção, M. J. S. M. (2019). Research, Society and Development, 8(3). https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/830. doi: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v8i3.830

Pistore, A.R. & Gelinskib, J.M.L.N. (2006). Avaliação dos conhecimentos higiênico-sanitários de manipuladores de merenda escolar: fundamento para treinamento contínuo e adequado. Revista Higiene Alimentar, 20 (146), 17-20.

Rodrigues, J. C. (1995). Higiene e ilusão: O lixo como invento social. Rio de Janeiro: Nau.

Sousa, A. M. F., Amóra, S. S. A. & Siqueira, E. E. (2012). Percepção das merendeiras sobre boas práticas de manipulação de alimentos em unidades de educação infantil. Anais do I Congresso Internacional Interdisciplinar em Sociais e Humanidades, Niterói, RJ, Brasil,1, 1-20.

Published

23/05/2021

How to Cite

SILVA, A. S. da .; SANTOS, L. A. da S. .; MAGALHÃES, L. M. .; ARAÚJO, M. da P. N. . From the cafeteria to the nutrition and food unit (UAN): The transitions in the context of school feeding . Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 6, p. e13710615497, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i6.15497. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/15497. Acesso em: 18 jun. 2021.

Issue

Section

Health Sciences