Challenges of Science teaching for deaf students

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.20757

Keywords:

Science teaching; Deaf; Teacher; Training in Libras.

Abstract

In promoting education for the deaf, it is important to think about and organize education that guarantees full participation, making use of their language within the classroom and other school spaces. Thus, approaching the teaching of Science to deaf students was necessary, in order to show how teaching has been developed, as well as whether inclusion is meeting the linguistic characteristics of learning. This study aimed to analyze the challenges of teaching science to deaf students in two public schools belonging to the state education system of Piauí, in the modality of high school. Through an exploratory research, with a qualitative approach, an account of the experiences lived in the supervised internship discipline in the first year of high school was carried out, together with a literature review, in order to explain the topic and understand this relationship. . In this sense, the descriptors inclusion, teaching, learning, pedagogical training, strategies, visual and gestural resources were used. The results infer that, despite the existence of laws that ensure the right to enter school and education, these are not the only guarantees that make quality education possible for deaf students. It was also found that it is necessary to review the presence of teachers who are unprepared for the action of inclusion, the scarcity of some signs in Libras that express the themes in science, as well as the promotion of continuing education of teachers in Libras, in addition to the structuring of schools that do not bilingual.

Author Biographies

Rosemary Meneses dos Santos, Universidade Federal do Delta do Parnaíba

Possui Graduação em Pedagogia pela Universidade Castelo Branco-RJ, (2007) e Licenciatura em Ensino Religioso pelo Centro Ecumênico de Estudos Religiosos Superiores do Estado do Maranhão - (2007). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação. Especialização em Libras pela Faculdade de Ciências e Tecnologia de Teresina - FACET / CCTP, Educação Global, Inteligências Humanas e Construção da Cidadania-UNIFUTURO, Psicopedagogia Institucional e Clínica-ISEPRO, Educação Especial-FAESPI, Atuou na APAE / Parnaíba deste 1996 até janeiro de 2014, como professora de estimulação cognitiva, profissionalização para alunos e pais, Atendimento Educacional Especializado (AEE) e programa de profissionalização e atividades da Vida Diárias para alunos com deficiências Intelectual e múltiplas. Foi Professora do quadro provisório da UFPI- Parnaíba, professora de LIBRAS, UESPI / Parnaíba, atuando nos cursos de Pedagogia, na turma de Complemento de Pedagogia e enfermagem com as disciplinas de Educação Infantil, História Social da Criança, estágio supervisionado em gestão escolar, didática aplicada a enfermagem no curso de Enfermagem e Prática Pedagógica supervisionada em Educação Infantil. Tem experiência na SEDUC / Parnaíba atuando nas séries iniciais. E recentemente atuando nas Faculdades Brasileiras de Educação Religiosa - FABER / Parnaíba, com a disciplina Didática aplicada como Pessoas Portadoras de Deficiências, Faculdade Latino Americana de Educação-FLATED / Fortaleza-CE, com a disciplina Sociologia Geral e da Educação e Introdução a Educação, LIBRAS, nos Polos de Cocal -PI e Barroquinha- ​​CE, atuando no Núcleo de Conhecimento Brasileiro, ÀGORA, promovida pela Associação de Professores para o Desenvolvimento de Ensino ao Nível Superior Brasileiro APDENSB. Com a disciplina Organização e Estrutura da Educação Fundamental. Professora da Universidade Federal do Piauí-UFPI-Parnaíba. professora do município de Tutóia-Ma, no Ensino Fundamental, contratada para o Atendimento Educacional Especializado-AEE, pelo estado do Maranhão e Professora de Iniciação a pesquisa na escola Arco Íris no Ensino Fundamental das séries finais em Parnaíba.

Raí Emanuel da Silva, Universidade Federal do Piauí

Biomédico pela Universidade Federal do Piauí - UFPI, Especialista em Docência do Ensino Superior, Pós-graduando em Microbiologia Clínica e Mestre em Farmacologia pelo Núcleo de Pesquisas em Plantas Medicinais (Centro de Ciências da Saúde - CCS/UFPI). Possui experiências no desenvolvimento de pesquisas com moléculas de origem natural, com foco na investigação do seu potencial antimicrobiano. Domínio nas áreas de Farmacologia e Microbiologia, com ênfase em Bacteriologia. Como Docente, já atuou no ensino Profissionalizante, Técnico, Superior e Pós-graduação (Especialização Lato Sensu). Vasto conhecimento na elaboração e desenvolvimento de estudos acadêmicos. Experiência na área de Educação e Promoção da Saúde, explicitamente na Conscientização do Controle e Prevenção de Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde e Promoção do Conhecimento em Microbiologia para a Educação Escolar.

References

Albres, N. D. A., & Neves, S. L. G. (2013). Libras em estudo: política educacional. FENEIS, 170.

Alves, R. D. (2019). Interações da criança pequena na educação inclusiva: contribuições para a educação de surdos.

Araújo, A. S., de Carvalho Menezes, A. M., & Araújo, A. C. S. (2017). A Educação de Surdos: Formação de Professores na Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS). Id on line Revista de Psicologia, 11(38), 199-211.

Câmara, J. T. A. (2020). Escolarização de alunos surdos no cotidiano escolar. Revista Caparaó, 2(1), e17-e17.

Carmozine, M. M., & Noronha, S. C. (2012). Surdez e Libras: conhecimento em suas mãos. Hub Editoriak.

Cervo, A. L., Bervian, P. A., & Silva, R. (2007). Fases da pesquisa. O conhecimento científico. Bervian, PA & Silva, R. Metodologia Científica, 6, 73-89.

Cicilino, J. E. M., Giroto, C. R. M., & De Vitta, F. C. F. (2018). Formação de professores para a educação bilíngue de surdos na educação infantil e séries iniciais do ensino fundamental. Revista on line de Política e Gestão Educacional, 22(2), 794-809.

Da Silva, L. F. (2015). A linguagem como sinal diacrítico entre os ciganos na cidade alta. Revista Historiar, 7(12).

De Lacerda, C. B. F., dos Santos, L. F., & Caetano, J. F. (2011). Estratégias metodológicas para o ensino de alunos surdos. Coleção UAB− UFSCar, 101.

De Quadros, R. M. (2018). A Língua Brasileira de Sinais (Libras): uma língua (Tese de Doutorado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

De Souza, C. T. R., Barbosa, M. O., & Briega, D. A. M. (2019). Pesquisas em Educação Especial: Fios e Desafios. Appris Editora e Livraria Eireli-ME.

Dorziat, A. (2004). Educação de surdos no ensino regular: inclusão ou segregação? Revista Educação Especial, 77-85.

Dos Santos Lima, M. A., & Fernandes, S. (2021). Identidades, Culturas E Diferenças: Desafios E Perspectivas Da Inclusão De Estudantes Surdos No Ensino Superior. Brazilian Journal of Development, 7(3), 28121-28137.

Dos Santos, R. M., da Silva França, V. C., Rodrigues, M. D. D. C. S., da Silva, R. V. S., & de Morais Barros, R. (2021). No ensino médio? Construindo relatos e experiências no contexto do atendimento educacional especializado. Brazilian Journal of Development, 7(6), 62295-62305.

Dos Santos, R. M., de Assis, A. C. S., & Baluz, R. A. R. S. (2021). Abordagens para uso da gamificação como metodologia ativa em ambientes virtuais de aprendizagem no ensino superior à distância. Research, Society and Development, 10(5), e4010514650-e4010514650.

Estrela, C. (2018). Metodologia científica: ciência, ensino, pesquisa. Artes Médicas.

Fernandes, S. (2011). Educação de surdos. Editora Ibepex,

Ferreira da Silveira, R. (2015). Desafios Das Crianças Surdas No Convívio Familiar, Escolar E Social. Encontro Internacional de Formação de Professores e Fórum Permanente de Inovação Educacional, 8(1).

Glat, R., Pletsch, M. D., & de Souza Fontes, R. (2009). Panorama da educação inclusiva no município do Rio de Janeiro. Educação & Realidade, 34(1), 123-136.

Gomes, E. A., & da Silva, W. S. (2018). Disposição espacial do intérprete e tradutor de Libras-Língua Portuguesa educacional no ensino superior sob a perspectiva do estudante surdo. Revista de Ciências Humanas, (2).

Honora, M., & Frizanco, M. L. E. (2007). Ciranda da Inclusão; Esclarecendo as Deficiências. Ciranda Cultural.

Kotaki, C. S., & Lacerda, C. B. F. D. (2011). O intérprete de língua brasileira de sinais no contexto da escola inclusiva: focalizando sua atuação na segunda etapa do ensino fundamental. Coleção UAB− UFSCar-Língua brasileira de sinais–Libras. São Carlos:[Sn].

Lacerda, C. B. F. D. (2014). Santos, Lara Ferreira dos, Caetano, Juliana Fonseca. Estratégias Metodológicas para o Ensino de Alunos Surdos. IN LACERDA, Cristina Broglia Feitosa de. SANTOS, Lara Ferreira dos. (Orgs.). Tenho um aluno Surdo, e agora, 185-200.

Leite, T. (2016). Formação de professores para a inclusão. In Congresso Internacional Escola Inclusiva-Educar e formar para a vida independente. CERCICA.

Lodi, A. C. B. (2013). Educação bilíngue para surdos e inclusão segundo a Política Nacional de Educação Especial e o Decreto nº 5.626/05. Educação e Pesquisa, 39, 49-63.

Menezes, E. N. T. D. (2020). Recursos didáticos para o ensino de língua portuguesa para surdos. (Trabalho de Conclusão de Curso). Instituto Federal da Paraíba, João Pessoa, Paraíba, Brasil.

Menezes, A. H. N., Duarte, F. R., Carvalho, L. O. R., & Souza, T. E. S. (2019). Metodologia científica: teoria e aplicação na educação a distância. Universidade Federal do Vale do São Francisco, 83 p. Petrolina-PE.

Müller, J. I., Stürmer, I. E., Karnopp, L. B., & da Silva Thoma, A. (2013). Educação bilíngue para surdos: interlocução entre políticas linguísticas e educacionais. Nonada: Letras em Revista, 2(21), 1-15.

Oliveira, W. D. D., & Benite, A. M. C. (2015). Aulas de ciências para surdos: estudos sobre a produção do discurso de intérpretes de LIBRAS e professores de ciências. Ciência & Educação (Bauru), 21, 457-472.

Perlin, G., & Strobel, K. (2014). História cultural dos surdos: desafio contemporâneo. Educar em Revista, 17-31.

Pinheiro, R. C., & Rosa, M. (2016). Uma perspectiva etnomatemática para o processo de ensino e aprendizagem de alunos Surdos. Revista Paranaense de Educação Matemática, 5(9), 56-83.

Prodanov, Cleber Cristiano. Metodologia do trabalho científico [recurso eletrônico]: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico / Cleber Cristiano Prodanov, Ernani Cesar de Freitas. (2a ed.), FEEVALE, 2013.

Quadros, R. D. (2015). O “BI” em bilinguismo na educação de surdos. In: LODI, Ana Claudia Balieiro. et al. Letramento, bilinguismo e educação de surdos. (2a ed.), Editora Mediação, 187-200.

Queiroz, T. G. B., Silva, D. F., Macedo, K. G. D., & Benite, A. M. C. (2012). Estudo de planejamento e design de um módulo instrucional sobre o sistema respiratório: o ensino de ciências para surdos. Ciência & Educação (Bauru), 18, 913-930.

Rocha, L. R. M., Moretti, A. R., Costa, P. C. F., & Costa, F. G. (2015). Educação de surdos: relato de uma experiência inclusiva para o ensino de ciências e biologia. Revista Educação Especial, 28(52), 377-392.

Rocha, S. M. (2009). Antíteses, Díades, Dicotomias No Jogo Entre Memória E Apagamento Presentes Nas Narrativas Da História Da Educação De Surdos: um olhar para o (Doctoral dissertation, PUC-Rio).

Santiago, N. C. (2014). O ensino e a aprendizagem das ciências dos alunos com surdez.

Schinato, L. C. S., & Strieder, D. M. (2020). Educação Inclusiva no Campo da Pesquisa no Ensino de Ciências. HIPÁTIA-Revista Brasileira de História, Educação e Matemática, 5(1), 168-185.

Silva, J. M. D., & Souza, N. B. D. S. (2015). A importância do bilinguismo no contexto escolar dos alunos surdos.

Skliar, C. (2005). Apresentação: um olhar sobre o nosso olhar acerca da surdez e das diferenças. A surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre: Mediação.

Strobel, K. (2009). História da educação de surdos. UFSC.

Victorino, T. A. (2018). Ela não olha pra gente: o cotidiano escolar de jovens surdos no ensino médio. Dissertação de Mestrado. UFMG.

Yin, R. K. (2016). Pesquisa qualitativa do início ao fim. Penso Editora.

Published

03/10/2021

How to Cite

SANTOS, R. M. dos .; BRITO, S. M. de O. .; SILVA, R. E. da .; MELO, D. S. .; GOMES, E. B. . Challenges of Science teaching for deaf students. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, p. e39101320757, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.20757. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/20757. Acesso em: 8 dec. 2021.

Issue

Section

Education Sciences