A look at the new guidelines concerning teacher training

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i7.30087

Keywords:

Teacher training; Processes; Teaching.

Abstract

The quality of education is influenced by multiple factors and different authors point out that the teacher's didactic performance is the determining reason for the quality of student learning. It's not the only factor, but it's the most important. Therefore, public policies aimed at the qualification of teacher training are necessary, especially in the case of Brazil, which is in a difficult situation in relation to quality indicators in the teaching and learning processes. The new guidelines for training follow this scenario, in order to induce substantial changes in undergraduate courses. Methodologically, we analyzed the document, from a qualitative approach, by pointing out some limitations and suggesting alternative possibilities. Our objective was to critically reflect on the process of teacher (self) training promoted in undergraduate courses in Brazil. We conclude, for the time being, and considering that much needs to be done in teacher training courses, that the changes are dependent/autonomous of the broad context in which the institutions, courses, curricular components, effective teachers, students and civil servants are inserted. general. To make significant changes possible, all these agents will need to recognize the need to change and assume the task as their own, giving it meaning. That's process. Analyzing and critically reflecting on the proposed new guidelines can contribute to it.

Author Biography

Ruhena Kelber Abrão, Universidade Federal do Tocantins

Graduado em Educação Física (FURG). Mestre em Educação Física (UFPel) e Doutor em Educação em Ciências e Saúde (UFRGS). Pós Doutorando em Políticas Públicas (UMC), na linha em Práticas de Saúde e Desenvolvimento. Professor Adjunto II da Universidade Federal do Tocantins (UFT).Docente do curso de Educação Física e professor Permanente no Programa de Ensino em Ciências e Saúde (PPGECS). Bolsista Produtividade em Pesquisa pela UFT. Tutor da residência multiprofissional em Saúde da Família e bolsista da Escola de Saúde Pública de Palmas. Coordena, desde 2016, o Centro de Desenvolvimento do Esporte Recreativo e do Lazer, Rede CEDES.Filiado a Associação brasileira de pesquisa e pós-graduação em estudos do lazer (ANPEL) e da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco). Foi Conselheiro Chefe da Editora da UFT - biênio (2017-2019). Foi bolsista da Fiocruz (2016-2017). Foi Coordenador dos cursos de Pedagogia, Educação Física e Educação Física, modalidade PARFOR. Atuou por 12 anos na Educação Básica na esfera pública municipal, estadual e particular, bem como orientação escolar. Desde 2008 atua no Ensino Superior. Tem experiência na área de Educação e Saúde, atuando principalmente nos seguintes temas: Infâncias, formação de profissionais para a docência, Recreação Hospitalar, Estudos do Lazer, bem como Gestão, Planejamento e Políticas Públicas em Saúde.

References

Abrão, R. K. (2012). A política de organização das infâncias e o currículo da Educação Infantil e do primeiro ano. Zero-a-seis, 14(25), 51-74.

Abrão, R. K., & Silva, J. A. D. (2012). A análise do uso dos jogos para o desenvolvimento do pensamento lógico-matemático nos anos iniciais do ensino fundamental. Vivências (URI. Erechim), 14, 10-19.

Abrão, K. E Figueredo, M. (2013). A Corporeidade Infantil Nos Espaços da escola. Vivências. 9(16): 20-28.

Abrão, K. R., & Del Pino, J. C. (2016). Cognição e aprendizagem no espaço da tecnologia. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, 1776-1798.

Alonso Tapia. (2006). Motivar em la escuela, motivar em la família. Morata,

da Silva Quixabeira, A. P., Silva, A. R. A., de Araújo, B. C., Silva, B. C., Abreu, V. P. L., Borges, A. K. P., & Ferreira, R. K. A. (2021). Metodologias ativas e o ensino de educação física: uma revisão da literatura. Revista Observatório, 7(1), a12pt-a12pt.

da Silva, L. G., & Rocha, J. D. T. (2019). Formação docente: o uso da tecnologia educacional independente na educação básica. Humanidades & Inovação, 6(8), 123-129.

Darling-Hammond, L. (2010). The Flat World and Education – How America’s commitment to equity will determine our future. Teachers College Press.

Darling-Hammond. L. (2008). Powerful Learning – What we know about teaching for understanding. Jossey-Bass.

Darling-Hammond. L. (2005). Preparing Teachers for a Changing World – What teachers should learn and be able to do. Jossey-Bass.

Demo, P. Complexidade e aprendizagem – A dinâmica não linear do conhecimento. Atlas, 2002.

Demo, P. Outro professor – Alunos aprendem bem com professores que aprendem bem. Paco Editorial, 2011.

Demo, P. (2018). Atividades de aprendizagem: sair da mania do ensino para comprometer-se com a aprendizagem do estudante [recurso eletrônico] / Campo Grande: Secretaria de Estado de Educação do Mato Grosso do Sul – SED/MS, 2018.

do Nascimento, D. E., Abrão, R. K., Quaresma, F. R. P., Soares, K. C. P. C., & Tavares, A. L. (2020). Formação, lazer e currículo: os cursos de Educação Física do Tocantins. LICERE-Revista do Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer, 23(2), 342-361.

Ferreira, N S C. (1998). Gestão e Organização Escolar. IESDE Brasil, 2009FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia. Paz e Terra.

Ferreira, R. K. A., & da Silva Santos, E. (2021). Breves considerações sobre a documentação pedagógica. Research, Society and Development, 10(9), e15010917782-e15010917782.

Gatti, Bernardete Angelina. (2019). Professores do Brasil: novos cenários de formação / Elba Siqueira de Sá Barretto, Marli

Eliza Dalmazo Afonso de André e Patrícia Cristina Albieri de Almeida. – Brasília: Unesco, 2019. https://www.fcc.org.br/fcc/wp-content/uploads/2019/05/Livro_ProfessoresDoBrasil.pdf acessado em 09/07/2020.

Gimeno Sacristan, J. (1998). Currículo: os conteúdos do ensino ou uma análise da prática? In: Gimeno Sacristán, j.; Pérez Gomes, A. I. (Orgs). Compreender e transformar o ensino. (3a ed.), Artmed,. cap. 6. p.119-148.

Moares, R. (2003). Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciênc. educ. 9(2), 191-211. https://doi.org/10.1590/S1516-73132003000200004.

Morin, E. (2000). O método 3: O conhecimento do conhecimento. Porto Alegre: Sulina, 1999. Morin, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 2. ed., Cortez; UNESCO.

Nóvoa, A. (1995). Os professores e sua formação. Dom Quixote.

Oliveira Santana, M. D., Machado Silva, A. P., Carvalho de Araújo, B., & Abrão Ferreira, R. K. (2021). Conhecimentos e práticas de lazer: uma perspectiva de trabalho e saúde. Linhas Crí¬ticas, 27, e35146. https://doi.org/10.26512/lc.v27.2021.35146

Oliveira, R. M., Santana, T. P., & Ferreira, R. K. A. (2021). A aplicação dos princípios da Bioética no Ensino Superior. Revista Eletrônica Pesquiseduca, 13(30), 619-632.

Perrenoud, P. (2000). Dez Novas Competências para Ensinar. Artes Médicas.

Piaget, J. Seis estudos de Psicologia. Forense Universitária, 1990.

Pimenta, s.g.; Anastasiou, L.G.C. (2005). Docência no Ensino Superior. (2a ed.), Cortez.

Rocha, J. D. T., & Nogueira, C. D. R. M. (2019). Formação docente: uso das tecnologias como ferramentas de interatividade no processo de ensino. Revista Observatório, 5(6), 578-596.

Rocha, J. D. T., Nogueira, C. D. R. M., dos Santos Sousa, J. L., & de Sousa, G. R. (2018). Práticas pedagógicas curriculares: uso das tecnologias na contemporaneidade. Revista Observatório, 4(5), 673-694.

Rosário; Núñez; González-Piend. Comprometer-se Com o Estudar na Universidade: “Cartas Do Gervásio Ao Seu Umbigo –https://www.academia.edu/13702120/COMPROMETER-SE_COM_O_ESTUDAR_NA_UNIVERSIDADE_CARTAS_DO_GERV%C3%81SIO_AO_SEU_UMBIGO_, acessado em 13/07/2021.

Saviani, D (2001). Educação no Brasil: concepção e desafios para o século XXI. Revista HISTEDBR on-line, Campinas, n. 3, jul.

Schwartz, S., Vieira, M. A., Rodrigues, A. C. S., & Ferreira, R. K. A. (2020). Estratégias para o trabalho com textos na universidade. Research, Society and Development, 9(8), e790986209-e790986209.

Schwartz, s.; bitencourt, Z.A. Quem é o “bom professor” universitário? Estudantes e professores de cursos de Licenciatura em Pedagogia dizem quais são as (ideais) qualidades deste profissional. In: seminário de pesquisa em educação da região sul (ANPEd-SUL), IX., 2012, Caxias do Sul. Anais, Caxias do Sul: UCS, 2012.

Silva, A. P. M., de Araújo, B. C., Santana, M. D. O., & Ferreira, R. K. A. (2021). Estratégias docentes na transição do ensino presencial para o ensino remoto. Humanidades & Inovação, 8 (44), 63-72.

Tardif, M. (2010). Saberes docentes e formação profissional. (11a ed.), Vozes.

Veiga, I P A. Docência: formação, identidade profissional e inovações didáticas. In: encontro de didática e prática de ensino. 13, 2006, Anais... Recife: ENDIPE, 2006. 467-482.

Vieira, M. A., Cortes, M., & Abrao, R. K. (2020). O perfil educacional dos estudantes da educação a distância da UNIPAMPA. Revista Brasileira De Política E Administração Da Educação, 36(3), 1029–1045. https://doi.org/10.21573/vol36n32020.104884

Vygotsky, L. S. (1989). A formação social da mente. Martins Fontes.

Weisz, T. (2000). O diálogo entre o ensino e a aprendizagem. Ática...

Published

22/05/2022

How to Cite

SCHWARTZ, S. .; VIEIRA, M. A. .; ABRÃO, R. K. A look at the new guidelines concerning teacher training. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 7, p. e24211730087, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i7.30087. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/30087. Acesso em: 7 jul. 2022.

Issue

Section

Education Sciences